PCS JÁ



    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Nilo
    Nilo
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Administrativo, C-13
    Mensagens : 551
    Reputação : 81
    Data de inscrição : 22/06/2015
    Localização : São Paulo - SP.

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Nilo em Sex 23 Out 2015, 4:10 pm

    “Meu peru é sem noção; apoia Dilma e o petrolão”
    Leiam o post; vocês vão entender. Hierarquia no crime, doutores!
    Por: Reinaldo Azevedo  23/10/2015 às 16:37


    FONTE: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Eduardo Cunha tem razão quando diz achar estranho que peçam a sua renúncia, mas não a de Dilma.

    É verdade. Eu peço as duas, por exemplo.

    Lula, que sente o cheiro de carne queimada, não quer a de ninguém. O apedeuta tá doido para fazer um acordo que livre a cara de todo mundo. Mas agora a coisa fugiu do controle. Não dá mais.

    É incrível a capacidade que o PT ainda conserva de fazer com que farsas prosperem. E bem verdade que, desta vez, o Partido conta com uma baita ajuda de Rodrigo Janot. De todo modo, a hegemonia cultural da esquerda é inegável. Com a colaboração da imprensa e dos universitários.

    Até a “peruada”, uma festa-farra, já tradicional, da Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP) se contamina pelo espírito.
    O mote deste ano: “meu peru é sem noção; apoia o Cunha e a redução”, numa referência ao presidente da Câmara e à redução da maioridade penal. Proponho um outro: “meu peru é sem noção: apoia a Dilma e o petrolão”. Que tal?
    Minha rima faz sentido? Acho que sim, né ? Cunha entrou na rima porque cometeu crimes ou por causa da posição ideológica?

    Ora, se crimes motivassem rimas, Dilma teria a prevalência. Questão de hierarquia. Os futuros doutores têm de estar atentos a essa ordem, ou não saberão jamais a proporcionalidade necessária entre os delitos e as penas.
    Ideologia deixa cego o peru!!!

    --------------

    Eduardo Cunha escreveu:
    Dilma escreveu:Meu governo não está envolvido em escândalo de corrupção.

    Não sabia que a Petrobras não era do governo.  
    :trollface:



    farao

    RVMS
    RVMS
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1355
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 29/07/2011

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por RVMS em Sex 23 Out 2015, 4:11 pm

    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.



    bethoven escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.
    Nilo
    Nilo
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Administrativo, C-13
    Mensagens : 551
    Reputação : 81
    Data de inscrição : 22/06/2015
    Localização : São Paulo - SP.

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Nilo em Sex 23 Out 2015, 4:38 pm

    ‘Meta Zero’ na Receita: mais um pepino para Levy
    Operação-padrão dos auditores faz autuações despencarem
    Por: Geraldo Samor  22/10/2015 às 2:01


    FONTE: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Em campanha por valorização profissional há sete meses, os auditores da Receita Federal têm intensificado sua operação-padrão nas ações de fiscalização, conhecida internamente como ‘Meta Zero’.
    A operação gera problemas de curto, médio e longo prazos para as contas públicas, porque é a fiscalização da Receita que gera os autos de infração que, ao longo do tempo, se convertem em arrecadação. Historicamente, uma média de 20% das autuações se convertem em arrecadação efetiva.
    Dados fornecidos à coluna por auditores da Receita mostram que, no 1º trimestre, o resultado da fiscalização fechou com alta de 66,6% em relação a 2014, gerando 17,8 bilhões de reais a mais em autuações.
    Em abril, quando começou o movimento, algumas unidades da Receita iniciaram a ‘Meta Zero’ como forma de protesto.
    Naquele mês, o crescimento das autuações em relação ao mesmo mês do ano passado desacelerou para 41%; em maio, 31,5%; até que, em junho, os números ficaram no vermelho, com queda de 0,5%.

    No 3º trimestre, a ‘Meta Zero’ aumentou sua adesão. As autuações mergulharam -25,9% em julho, -68,7% em agosto e -69,5% em setembro — sempre em relação ao mesmo período de 2014.
    Os auditores dizem que não buscam apenas um aumento salarial, e sim valorização profissional.  Eles reclamam do esvaziamento da Receita desde quando o atual secretário, Jorge Rachid, deixou o cargo em seu mandato anterior, em 2008.  Dizem que os auditores foram alijados da formulação da política fiscal e não foram ouvidos, por exemplo, nas desonerações épicas do Governo Dilma, que chegarão a 458 bilhões de reais até 2018.
    “A sociedade nunca vai reconhecer o nosso trabalho, sabe por quê?  Porque eu sou o cara que mete a mão no teu bolso, te multa e entrega o dinheiro para o Estado gastar mal,” disse um auditor. “Mas a gente precisa pelo menos ter condições de desenvolver nosso trabalho.”
    O salário máximo de um auditor da Receita, no final da carreira, é de 22,5 mil reais;  nos fiscos estaduais, são comuns salários de 30-40 mil reais, dependendo do tempo de serviço.
    Os auditores querem que a Receita se engaje pela aprovação da PEC 186, que estabelece autonomia para a administração tributária do ponto de vista administrativo, orçamentário e funcional. A PEC também prevê uma lei orgânica para os auditores, o que disciplinaria direitos e deveres que não poderiam ser retirados mais tarde por medida provisória.
    A insatisfação entre os auditores se agravou recentemente, durante a tramitação no Congresso da PEC 443, que, se incluísse os auditores, elevaria a remuneração máxima da carreira para 90,25% do salário de um ministro do STF, cerca de 30 mil reais.  Mas o Governo se recusou a incluir os auditores no texto e, da tribuna, o líder do Governo, José Guimarães, disse que a PEC (que contempla advogados públicos e delegados da Polícia Federal) era apenas “para carreiras jurídicas de Estado,” e que havia gente tentando “incluir outras coisas.”

    A exclusão da categoria e a grosseria do deputado azedaram o clima. A PEC ainda tramita

    .

    --------------
    Isso é que é refém bom!  

    A estratégia deles foi muito bem aplicada: golpear um ponto sensível e estrangular a entrada de caixa do governo.  O plano estratégico foi bem implementado e estão pagando pela divulgação, não em outdoors, mas na TV aberta, se eles tivessem feito uma movimentação semelhante a nossa na época da votação da PEC 443 talvez já estivessem recebendo.

    O governo só está conseguindo bater naquelas categorias mais fracas ou aquelas que ficam esperando providências/salvação das diretorias de seus sindicatos.  Chega disso!

    farao

    zero dois
    zero dois
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 459
    Reputação : 11
    Data de inscrição : 01/04/2011

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por zero dois em Sex 23 Out 2015, 4:40 pm

    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.



    bethoven escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.

    Caramba.
    Hoje a AGU tem a pior remuneração dentre os membros federais.
    Não à toa que nos concursos do MPF sempre há vários aprovados que são membros da AGU.
    Com rateio dos honorários + liberação da advocacia a carreira vai ficar bem atrativa.
    Sem esquecer da PEC da equiparação...
    zero dois
    zero dois
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 459
    Reputação : 11
    Data de inscrição : 01/04/2011

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por zero dois em Sex 23 Out 2015, 4:46 pm

    Nilo escreveu:

    ‘Meta Zero’ na Receita: mais um pepino para Levy
    Operação-padrão dos auditores faz autuações despencarem
    Por: Geraldo Samor  22/10/2015 às 2:01




    FONTE: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Em campanha por valorização profissional há sete meses, os auditores da Receita Federal têm intensificado sua operação-padrão nas ações de fiscalização, conhecida internamente como ‘Meta Zero’.
    A operação gera problemas de curto, médio e longo prazos para as contas públicas, porque é a fiscalização da Receita que gera os autos de infração que, ao longo do tempo, se convertem em arrecadação. Historicamente, uma média de 20% das autuações se convertem em arrecadação efetiva.
    Dados fornecidos à coluna por auditores da Receita mostram que, no 1º trimestre, o resultado da fiscalização fechou com alta de 66,6% em relação a 2014, gerando 17,8 bilhões de reais a mais em autuações.
    Em abril, quando começou o movimento, algumas unidades da Receita iniciaram a ‘Meta Zero’ como forma de protesto.
    Naquele mês, o crescimento das autuações em relação ao mesmo mês do ano passado desacelerou para 41%; em maio, 31,5%; até que, em junho, os números ficaram no vermelho, com queda de 0,5%.

    No 3º trimestre, a ‘Meta Zero’ aumentou sua adesão. As autuações mergulharam -25,9% em julho, -68,7% em agosto e -69,5% em setembro — sempre em relação ao mesmo período de 2014.
    Os auditores dizem que não buscam apenas um aumento salarial, e sim valorização profissional.  Eles reclamam do esvaziamento da Receita desde quando o atual secretário, Jorge Rachid, deixou o cargo em seu mandato anterior, em 2008.  Dizem que os auditores foram alijados da formulação da política fiscal e não foram ouvidos, por exemplo, nas desonerações épicas do Governo Dilma, que chegarão a 458 bilhões de reais até 2018.
    “A sociedade nunca vai reconhecer o nosso trabalho, sabe por quê?  Porque eu sou o cara que mete a mão no teu bolso, te multa e entrega o dinheiro para o Estado gastar mal,” disse um auditor. “Mas a gente precisa pelo menos ter condições de desenvolver nosso trabalho.”
    O salário máximo de um auditor da Receita, no final da carreira, é de 22,5 mil reais;  nos fiscos estaduais, são comuns salários de 30-40 mil reais, dependendo do tempo de serviço.
    Os auditores querem que a Receita se engaje pela aprovação da PEC 186, que estabelece autonomia para a administração tributária do ponto de vista administrativo, orçamentário e funcional. A PEC também prevê uma lei orgânica para os auditores, o que disciplinaria direitos e deveres que não poderiam ser retirados mais tarde por medida provisória.
    A insatisfação entre os auditores se agravou recentemente, durante a tramitação no Congresso da PEC 443, que, se incluísse os auditores, elevaria a remuneração máxima da carreira para 90,25% do salário de um ministro do STF, cerca de 30 mil reais.  Mas o Governo se recusou a incluir os auditores no texto e, da tribuna, o líder do Governo, José Guimarães, disse que a PEC (que contempla advogados públicos e delegados da Polícia Federal) era apenas “para carreiras jurídicas de Estado,” e que havia gente tentando “incluir outras coisas.”

    A exclusão da categoria e a grosseria do deputado azedaram o clima. A PEC ainda tramita



    .

    --------------
    Isso é que é refém bom!  

    A estratégia deles foi muito bem aplicada: golpear um ponto sensível e estrangular a entrada de caixa do governo.  O plano estratégico foi bem implementado e estão pagando pela divulgação, não em outdoors, mas na TV aberta, se eles tivessem feito uma movimentação semelhante a nossa na época da votação da PEC 443 talvez já estivessem recebendo.

    O governo só está conseguindo bater naquelas categorias mais fracas ou aquelas que ficam esperando providências/salvação das diretorias de seus sindicatos.  Chega disso!

    farao



    As carreiras fiscais são as que têm mais condições de conseguir melhores salários.
    Hoje a Receita Federal está ganhando menos do que nos Estados pq ficaram dormindo de botas, achando que "status" vale alguma coisa.
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8695
    Reputação : 245
    Data de inscrição : 14/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por darkshi em Sex 23 Out 2015, 4:55 pm

    zero dois escreveu:
    Hoje a Receita Federal está ganhando menos do que nos Estados pq ficaram dormindo de botas, achando que "status" vale alguma coisa.

    Isto me lembra uma certa carreira que ficou sem brigar por quase 9 anos pq achou que o PT iria reconhecer a sua importância.
    CEptico
    CEptico
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 564
    Reputação : 20
    Data de inscrição : 05/10/2011
    Idade : 44
    Localização : Ceará

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por CEptico em Sex 23 Out 2015, 4:56 pm

    zero dois escreveu:
    Nilo escreveu:

    ‘Meta Zero’ na Receita: mais um pepino para Levy
    Operação-padrão dos auditores faz autuações despencarem
    Por: Geraldo Samor  22/10/2015 às 2:01





    FONTE: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Em campanha por valorização profissional há sete meses, os auditores da Receita Federal têm intensificado sua operação-padrão nas ações de fiscalização, conhecida internamente como ‘Meta Zero’.
    A operação gera problemas de curto, médio e longo prazos para as contas públicas, porque é a fiscalização da Receita que gera os autos de infração que, ao longo do tempo, se convertem em arrecadação. Historicamente, uma média de 20% das autuações se convertem em arrecadação efetiva.
    Dados fornecidos à coluna por auditores da Receita mostram que, no 1º trimestre, o resultado da fiscalização fechou com alta de 66,6% em relação a 2014, gerando 17,8 bilhões de reais a mais em autuações.
    Em abril, quando começou o movimento, algumas unidades da Receita iniciaram a ‘Meta Zero’ como forma de protesto.
    Naquele mês, o crescimento das autuações em relação ao mesmo mês do ano passado desacelerou para 41%; em maio, 31,5%; até que, em junho, os números ficaram no vermelho, com queda de 0,5%.

    No 3º trimestre, a ‘Meta Zero’ aumentou sua adesão. As autuações mergulharam -25,9% em julho, -68,7% em agosto e -69,5% em setembro — sempre em relação ao mesmo período de 2014.
    Os auditores dizem que não buscam apenas um aumento salarial, e sim valorização profissional.  Eles reclamam do esvaziamento da Receita desde quando o atual secretário, Jorge Rachid, deixou o cargo em seu mandato anterior, em 2008.  Dizem que os auditores foram alijados da formulação da política fiscal e não foram ouvidos, por exemplo, nas desonerações épicas do Governo Dilma, que chegarão a 458 bilhões de reais até 2018.
    “A sociedade nunca vai reconhecer o nosso trabalho, sabe por quê?  Porque eu sou o cara que mete a mão no teu bolso, te multa e entrega o dinheiro para o Estado gastar mal,” disse um auditor. “Mas a gente precisa pelo menos ter condições de desenvolver nosso trabalho.”
    O salário máximo de um auditor da Receita, no final da carreira, é de 22,5 mil reais;  nos fiscos estaduais, são comuns salários de 30-40 mil reais, dependendo do tempo de serviço.
    Os auditores querem que a Receita se engaje pela aprovação da PEC 186, que estabelece autonomia para a administração tributária do ponto de vista administrativo, orçamentário e funcional. A PEC também prevê uma lei orgânica para os auditores, o que disciplinaria direitos e deveres que não poderiam ser retirados mais tarde por medida provisória.
    A insatisfação entre os auditores se agravou recentemente, durante a tramitação no Congresso da PEC 443, que, se incluísse os auditores, elevaria a remuneração máxima da carreira para 90,25% do salário de um ministro do STF, cerca de 30 mil reais.  Mas o Governo se recusou a incluir os auditores no texto e, da tribuna, o líder do Governo, José Guimarães, disse que a PEC (que contempla advogados públicos e delegados da Polícia Federal) era apenas “para carreiras jurídicas de Estado,” e que havia gente tentando “incluir outras coisas.”

    A exclusão da categoria e a grosseria do deputado azedaram o clima. A PEC ainda tramita




    .

    --------------
    Isso é que é refém bom!  

    A estratégia deles foi muito bem aplicada: golpear um ponto sensível e estrangular a entrada de caixa do governo.  O plano estratégico foi bem implementado e estão pagando pela divulgação, não em outdoors, mas na TV aberta, se eles tivessem feito uma movimentação semelhante a nossa na época da votação da PEC 443 talvez já estivessem recebendo.

    O governo só está conseguindo bater naquelas categorias mais fracas ou aquelas que ficam esperando providências/salvação das diretorias de seus sindicatos.  Chega disso!

    farao




    As carreiras fiscais são as que têm mais condições de conseguir melhores salários.
    Hoje a Receita Federal está ganhando menos do que nos Estados pq ficaram dormindo de botas, achando que "status" vale alguma coisa.
    Eles têm poder de barganha. Arrecadam pro governo federal. Se param, para tudo. (Alguém aqui, só pra exemplificar, faria greve ou apoiaria uma greve que fechasse a folha do seu tribunal?).
    Nós não arrecadamos DIRETAMENTE nada (algumas justiças, a exemplo da 'minha', Eleitoral, nem direta nem indiretamente). Cadê nosso poder de barganha? Por isso, é mera questão de tempo eles terem valorização de suas carreiras (merecidamente, diga-se de passagem). Quanto a nós, temos que aproveitar o momento político e forçar a barra, a qualquer custo, na derrubada do veto. Dificilmente teremos, tão cedo, outra oportunidade tão boa.
    VictorAlbuquerque
    VictorAlbuquerque
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Judiciário
    Mensagens : 581
    Reputação : 120
    Data de inscrição : 01/06/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por VictorAlbuquerque em Sex 23 Out 2015, 5:07 pm


    RVMS,

    SÓ UMA CORREÇÃO: a nossa proposta é de 23,2% sobre a folha até jul/19, o que significa entre 34% e 40,4% no final das contas. Já em relação ao Executivo, mesmo em se tratando de carreiras típicas de Estado, o percentual é de 21,3% e incide diretamente sobre o subsídio ou vencimento. Não tem mágica...



    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.



    bethoven escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.
    Nilo
    Nilo
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Administrativo, C-13
    Mensagens : 551
    Reputação : 81
    Data de inscrição : 22/06/2015
    Localização : São Paulo - SP.

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Nilo em Sex 23 Out 2015, 5:30 pm

    CEptico escreveu:
    zero dois escreveu:
    Nilo escreveu:

    ‘Meta Zero’ na Receita: mais um pepino para Levy
    Operação-padrão dos auditores faz autuações despencarem
    Por: Geraldo Samor  22/10/2015 às 2:01



    FONTE: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    [EDITADO]
    o líder do Governo, José Guimarães, disse que a PEC (que contempla advogados públicos e delegados da Polícia Federal) era apenas “para carreiras jurídicas de Estado,” e que havia gente tentando “incluir outras coisas.”

    A exclusão da categoria e a grosseria do deputado azedaram o clima. A PEC ainda tramita

    .

    --------------
    Isso é que é refém bom!  

    A estratégia deles foi muito bem aplicada: golpear um ponto sensível e estrangular a entrada de caixa do governo.  O plano estratégico foi bem implementado e estão pagando pela divulgação, não em outdoors, mas na TV aberta, se eles tivessem feito uma movimentação semelhante a nossa na época da votação da PEC 443 talvez já estivessem recebendo.

    O governo só está conseguindo bater naquelas categorias mais fracas ou aquelas que ficam esperando providências/salvação das diretorias de seus sindicatos.  Chega disso!

    farao


    As carreiras fiscais são as que têm mais condições de conseguir melhores salários.
    Hoje a Receita Federal está ganhando menos do que nos Estados pq ficaram dormindo de botas, achando que "status" vale alguma coisa.
    Eles têm poder de barganha. Arrecadam pro governo federal. Se param, para tudo. (Alguém aqui, só pra exemplificar, faria greve ou apoiaria uma greve que fechasse a folha do seu tribunal?).
    Nós não arrecadamos DIRETAMENTE nada (algumas justiças, a exemplo da 'minha', Eleitoral, nem direta nem indiretamente). Cadê nosso poder de barganha? Por isso, é mera questão de tempo eles terem valorização de suas carreiras (merecidamente, diga-se de passagem). Quanto a nós, temos que aproveitar o momento político e forçar a barra, a qualquer custo, na derrubada do veto. Dificilmente teremos, tão cedo, outra oportunidade tão boa.

    Concordo, dormiram de botas mesmo. E acho que perderam uma GRANDE OPORTUNIDADE quando foram retirados da PEC 443.

    E não foi falta de aviso: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    -------
    "Os sindicatos e associações destas categorias têm levado às suas bases e à Administração um discurso inflamado pela indignação de quem está prestes a ser “rebaixado” para segunda divisão do funcionalismo federal. Talvez em virtude do tom e da forte adesão das bases ao movimento, vemos na Receita Federal o engajamento de toda a administração no mesmo propósito.
    Tudo muito bom, tudo muito bonito, não fosse um ardil, contido no Destaque de nº 7, cujo objetivo inequívoco é o de alijar os Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil da PEC, da Administração Tributária Federal e da Carreira de Auditoria.
    "
    ALTERAÇÃO SUBSÍDIO:

    Art. 1º O inciso XXII do art. 37 e o § 4º do art. 39 da Constituição passam a vigorar com a seguinte redação:

    Art. 37. .......................................................................

    XXII – as administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras específicas, terão recursos prioritários para realização de suas atividades e atuarão de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou convênio, observado, quanto aos servidores diretamente responsáveis pela fiscalização tributária no âmbito da União, o disposto no § 2º-A do art. 131, inclusive em relação a atividades incumbidas da fiscalização do cumprimento de encargos trabalhistas de natureza parafiscal.

    Art. 131. .....................................................................

    § 2º-A O subsídio do grau ou nível máximo das carreiras de que tratam o § 2º deste artigo, a parte final do inciso XXII do art. 37 e o caput do art. 132 corresponderá a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal fixado para os Ministros do Supremo Tribunal Federal, escalonando-se a partir desse valor os subsídios dos demais integrantes daquelas carreiras, observados os seguintes critérios:

    I – a diferença entre um subsídio e o imediatamente posterior não será inferior a cinco nem superior a dez por cento;

    II – o subsídio inicial não será fixado em valor inferior a setenta e cinco por cento do subsídio máximo.
    [CONTINUA...]

    -------

    Temos que continuar "surfando" esse momento político.  Estou acompanhando a evolução do cenário político e participo de vários grupos de Facebook curtindo e comentando as páginas dos parlamentares para que nossa demanda no congresso não seja esquecida.  Acompanho em especial o EDUARDO CUNHA devido a importância do cargo que ele ocupa e ser a principal figura política que se opõe aos desmandos de dilmandioca.  

    farao

    Blumenau
    Blumenau
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1003
    Reputação : 138
    Data de inscrição : 20/05/2015
    Idade : 52
    Localização : Blumenau/SC

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Blumenau em Sex 23 Out 2015, 5:31 pm

    Nosso Faraó meteu uma saraivada de links da VEJA kkkkkkkkkk que isso !! What a Face
    GCC
    GCC
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : Analista Judiciário - TJDFT
    Mensagens : 360
    Reputação : 74
    Data de inscrição : 06/02/2013

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por GCC em Sex 23 Out 2015, 5:38 pm

    VictorAlbuquerque escreveu:
    RVMS,

    SÓ UMA CORREÇÃO: a nossa proposta é de 23,2% sobre a folha até jul/19, o que significa entre 34% e 40,4% no final das contas. Já em relação ao Executivo, mesmo em se tratando de carreiras típicas de Estado, o percentual é de 21,3% e incide diretamente sobre o subsídio ou vencimento. Não tem mágica...



    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.



    bethoven escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.

    Para eles não tem mágica? Tem sim.

    Só de aumento em auxílio alimentação creche e etc.., que não está incluso nos 21% do executivo, eles vão tirar mais do que o líquido mensal de aumento que o PL Leitinho vai dar em janeiro de 2016 pra gente.

    Ou você acha que para o PJU vai vir aumento significativo nesses auxílios?

    Para a AGU vai ter advocacia a honorários. Para a receita se negocia uma gratificação de fiscalização e por ai vai.

    Sem contar que a defasagem nossa é muito maior do que as outras categorias, por termos recebido só 15,8 sobre a folha, de 2006 até agora.

    E por fim, para a maioria do executivo, em 2017 começa nova campanha salarial. Para nós, o que oferecem (impõem) é recessão engessada até 2019.
    herval
    herval
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : técnico
    Mensagens : 458
    Reputação : 15
    Data de inscrição : 09/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por herval em Sex 23 Out 2015, 5:41 pm

    EnSabah escreveu:
    Rook escreveu:Lembram dele?

    Vice-presidente da Câmara também é alvo de pedido de cassação: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Depois dele vem quem na fila?

    Se gritar: pega ladrão!
    não sobra um,   meu irmão....
    :trollface:


    brincadeira... talvez sobre. toda regra tem exceção. ESPERO
    BLACK SOUL
    BLACK SOUL
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2047
    Reputação : 119
    Data de inscrição : 03/01/2011

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por BLACK SOUL em Sex 23 Out 2015, 5:50 pm

    VictorAlbuquerque escreveu:
    RVMS,

    SÓ UMA CORREÇÃO: a nossa proposta é de 23,2% sobre a folha até jul/19, o que significa entre 34% e 40,4% no final das contas. Já em relação ao Executivo, mesmo em se tratando de carreiras típicas de Estado, o percentual é de 21,3% e incide diretamente sobre o subsídio ou vencimento. Não tem mágica...



    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.



    bethoven escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.
    Moderação, BAN até o dia 18/11, certo?

    foi o que ficou acertado entre os moderas, não!?
    PCS-TRE
    PCS-TRE
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1771
    Reputação : 154
    Data de inscrição : 27/02/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-TRE em Sex 23 Out 2015, 6:49 pm

    Solange4 escreveu:
    EnSabah escreveu:
    Rook escreveu:Lembram dele?

    Vice-presidente da Câmara também é alvo de pedido de cassação: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Depois dele vem quem na fila?
    Na linha sucessória, depois do Presidente da Câmara, vem o do STF - Lewando

    O vice presidente da Câmara só substitui o presidente na Mesa ou em sessões.

    Se o presidente cai, o vice fica por alguns dias até nova eleição, como aconteceu com Severino Cavalcanti. O vice nem aparece na galeria de presidentes. Quem aparece como seu sucessor é Aldo Rebelo, que se elegeu em seguida.

    Então o vice presidente da Câmara jamais poderia entrar na linha sucessória do Planalto...
    L.R
    L.R
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 436
    Reputação : 43
    Data de inscrição : 26/08/2014

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por L.R em Sex 23 Out 2015, 6:54 pm

    BLACK SOUL escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    RVMS,

    SÓ UMA CORREÇÃO: a nossa proposta é de 23,2% sobre a folha até jul/19, o que significa entre 34% e 40,4% no final das contas. Já em relação ao Executivo, mesmo em se tratando de carreiras típicas de Estado, o percentual é de 21,3% e incide diretamente sobre o subsídio ou vencimento. Não tem mágica...



    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.





    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.
    Moderação, BAN até o dia 18/11, certo?

    foi o que ficou acertado entre os moderas, não!?

    Tem que banir o cara até maio de 2016. Até lá o nosso veto não terá sido apreciado.
    PCS-TRE
    PCS-TRE
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1771
    Reputação : 154
    Data de inscrição : 27/02/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-TRE em Sex 23 Out 2015, 7:02 pm

    PCS-TRE escreveu:
    Solange4 escreveu:
    EnSabah escreveu:
    Rook escreveu:Lembram dele?

    Vice-presidente da Câmara também é alvo de pedido de cassação: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Depois dele vem quem na fila?
    Na linha sucessória, depois do Presidente da Câmara, vem o do STF - Lewando

    O vice presidente da Câmara só substitui o presidente na Mesa ou em sessões.

    Se o presidente cai, o vice fica por alguns dias até nova eleição, como aconteceu com Severino Cavalcanti. O vice nem aparece na galeria de presidentes. Quem aparece como seu sucessor é Aldo Rebelo, que se elegeu em seguida.

    Então o vice presidente da Câmara jamais poderia entrar na linha sucessória do Planalto...

    O único que fica em pé nessa história em qualquer hipótese da casa cair é o papi.

    1 - Impeachment de Dilma
    Assume o vice Temer
    Mas se a lama respingar em Temer
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    2 - Cassação da chapa das eleições 2014
    Dilma e Temer caem juntos
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    Se o caldo entornar, tudo termina no Lewando Lero.

    E ainda mais: ele que comandará o julgamento no STF dos eventuais recursos e ações judiciais em um ou outro caso.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Convidado em Sex 23 Out 2015, 7:28 pm


    17/NOV É O DIA DO TUDO OU NADA.

    Parece pouco provável que o governo manobre para adiar; por outro lado,
    os servidores também querem definir logo. Com a aparente disposição dos
    dois lados para o embate, o dia 17 dever ser o dia D.

    1) Caravanas bancadas pelos servidores darão o tom do envolvimento: se recolher
    pouco dinheiro, é sinal que os servidores estão pouco se importando, e os discurso
    nas redes não passam de discursos.

    2) Mobilização para visitar parlamentares dos Estados é uma importante ação de
    convencimento, ainda mais já passados muitos dias dos 'incômodos' reclamados por
    parlamentares.


    SINTRAJUD SP EM AÇÃO

    22/10/2015


    Servidores preparam nova mobilização para derrubar veto 26

    Assembleia aprova paralisação de 16 a 18 de novembro e caravana a Brasília


    Na semana passada, o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse a lideranças do Senado que deve convocar a sessão para analisar os vetos no dia 17 de novembro.

    Uma caravana de servidores seguirá um dia antes para Brasília, onde deverá se juntar a delegações de outros estados para mais uma grande mobilização pela derrubada do veto na capital federal.

    A ideia é que desta vez a caravana seja inteiramente bancada pelos servidores, por meio de uma campanha específica de arrecadação de fundos.

    O Sintrajud deverá divulgar a relação desses parlamentares e os servidores vão se organizar em grupos para visitá-los e para cobrar o apoio à derrubada do veto.


    http://www.sintrajud.org.br/conteudo/detalhe_noticia.php?cod=4257



    No entanto, acho que devíamos contar os votos na véspera, e se não for suficiente,
    pedir a NÃO presença dos deputados para derrubar a sessão. Já esperamos 9 anos,
    esperar mais 2 meses não significa nada.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Convidado em Sex 23 Out 2015, 7:41 pm

    Outo equívoco é não pedir a RETIRADA dos outros PL´s que estão
    no Congresso, tanto do MPU quanto do PJU. Se fosse pedido sua
    retirada, fortaleceria a luta e o convencimento dos parlamentares.
    Vai ter deputado defendendo o outro PL do Lewando, com o intuito
    de confundir outros parlamentares! O próprio Lewando pode interferir
    pedindo que mantenha o veto ao PLC 28 e aprovem o PL dele!

    Pela RETIRADA DOS OUTROS PL´S de reajuste já!
    herval
    herval
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : técnico
    Mensagens : 458
    Reputação : 15
    Data de inscrição : 09/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por herval em Sex 23 Out 2015, 8:03 pm

    PCS-TRE escreveu:
    PCS-TRE escreveu:
    Solange4 escreveu:
    EnSabah escreveu:

    Depois dele vem quem na fila?
    Na linha sucessória, depois do Presidente da Câmara, vem o do STF - Lewando

    O vice presidente da Câmara só substitui o presidente na Mesa ou em sessões.

    Se o presidente cai, o vice fica por alguns dias até nova eleição, como aconteceu com Severino Cavalcanti. O vice nem aparece na galeria de presidentes. Quem aparece como seu sucessor é Aldo Rebelo, que se elegeu em seguida.

    Então o vice presidente da Câmara jamais poderia entrar na linha sucessória do Planalto...

    O único que fica em pé nessa história em qualquer hipótese da casa cair é o papi.

    1 - Impeachment de Dilma
    Assume o vice Temer
    Mas se a lama respingar em Temer
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    2 - Cassação da chapa das eleições 2014
    Dilma e Temer caem juntos
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    Se o caldo entornar, tudo termina no Lewando Lero.

    E ainda mais: ele que comandará o julgamento no STF dos eventuais recursos e ações judiciais em um ou outro caso.

    Cerealguy  O papi Lero Leite herda de todos os jeitos?!!! tá de brincadeira!
    não sabia que nesses casos o papi estaria na linha de sucessão.
    PCS-JA
    PCS-JA
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2284
    Reputação : 134
    Data de inscrição : 15/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-JA em Sex 23 Out 2015, 8:05 pm

    BLACK SOUL escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    RVMS,

    SÓ UMA CORREÇÃO: a nossa proposta é de 23,2% sobre a folha até jul/19, o que significa entre 34% e 40,4% no final das contas. Já em relação ao Executivo, mesmo em se tratando de carreiras típicas de Estado, o percentual é de 21,3% e incide diretamente sobre o subsídio ou vencimento. Não tem mágica...



    RVMS escreveu:
    VictorAlbuquerque escreveu:
    Não sabia que para as Carreiras Típicas de Estado a proposta era de 21,3% até janeiro/19. Pensei que fosse a mesma merreca de 10,8% até dez/17.





    Foi feita a primeira proposta de 21,3% até 2019. Diversas carreiras não aceitaram e, após "negociação", o Executivo deu a opção de 10,8% em dois anos, com segunda parcela em 2017. Portanto, as carreiras puderam optar entre as duas pro(b)ostas. A maioria do carreirão e outras carreiras representadas pelo CONDSEF aceitou a segunda proposta.

    Que eu saiba, até o momento, nenhuma das carreiras típicas de estado assinou acordo ou aceitou, ainda, qualquer proposta. TCU, Câmara e Senado já possuem PLs tramitando com a proposta de 21,3% até 2019. Nós também (PJU e MPU).

    Os advogados da União estão votando a proposta do governo, com honorários e possibilidade de advocacia privada: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    A íntegra da proposta feita à AGU está aqui: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Parece-me que foia  primeira proposta feita para uma das carreiras do ciclo subsídio/carreiras de estado. Pelo que sei, receita Federal trabalha coma  possibilidade de uma GDI com base na arrecadação.
    Moderação, BAN até o dia 18/11, certo?

    foi o que ficou acertado entre os moderas, não!?

    __________
    Black tem razão, cito, para esclarecer e espancar qualquer sombra de dúvida:

    "CRAZYKONG escreveu:
    Não acho, e vou suspender, se acharem abusivo reclamem aos admins! Sei que vocês não são Mavs, Diego e Denovo, mas evitem falar do 2648 aqui. Falem das chances de derrubada ou não e etc.
    Abraço, e quando passar por aqui farei valer!

    Admin. Tem o meu apoio, CRAZYKONG.
    O assunto deste tópico está bem claro no nome dele.
    Há tópicos específicos para outros assuntos.
    "

    O PL LIXOSO e suas variáveis tem tópicos específico, para aqueles que tem "doentia paixão" pelo pl. leitinho (ou pl titica). Portanto, lá é que se devem ser expostos percentuais, vantagens e desvantagem.

    AQUI

    DERRUBADA DO VETO dia 17-11-2015

    _____
    Servidor sem virtude acaba por ser escravo (hino de Estado).

    Morena
    Morena
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2773
    Reputação : 638
    Data de inscrição : 01/06/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Morena em Sex 23 Out 2015, 8:46 pm


    Em todo o país, categoria reafirma luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15

    Depois de uma greve que teve a adesão de todos os estados no país, a categoria tem reafirmado, em assembleias gerais, a continuidade da luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15. Os servidores seguem mobilizados para deter o congelamento salarial e repor as perdas acumuladas nos últimos nove anos.


    No RS, a última assembleia geral reafirmou o foco na derrubada do veto. Da mesma forma, no Paraná, dia 6; em Alagoas, Amazonas e Roraima, dia 9; Minas Gerais, dia 15; Bahia, dia 16; São Paulo, dia 17; Maranhão, dia 19; Rio de Janeiro, dia 21, as assembleias gerais confirmaram que a luta da categoria deve se concentrar na derrubada do veto 26 pelo Congresso Nacional.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    anuvenzinha
    anuvenzinha
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : ANALISTA
    Mensagens : 1122
    Reputação : 158
    Data de inscrição : 19/12/2014

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por anuvenzinha em Sex 23 Out 2015, 9:35 pm

    VANDER DE PAULA escreveu:Outo equívoco é não pedir a RETIRADA dos outros PL´s que estão
    no Congresso, tanto do MPU quanto do PJU. Se fosse pedido sua
    retirada, fortaleceria a luta e o convencimento dos parlamentares.
    Vai ter deputado defendendo o outro PL do Lewando, com o intuito
    de confundir outros parlamentares! O próprio Lewando pode interferir
    pedindo que mantenha o veto ao PLC 28 e aprovem o PL dele!

    Pela RETIRADA DOS OUTROS PL´S de reajuste já!

    Concordo contigo Vander!

    Enquanto isso vmos assistindo o drama dos petistas...por isso q aqui anda lotado...
    Nenhum petista terá sossego
    O deputado federal Zeca do PT, aquele que apresentou José Carlos Bumlai a Lula, foi recebido com protestos no aeroporto de Campo Grande (MS). As manifestações ganham novas formas.
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Vander,
    PLC 28/41 Mamute vai ser integral com ou sem arquivamento!
    E vai dar Combo!
    PCS-TRE
    PCS-TRE
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1771
    Reputação : 154
    Data de inscrição : 27/02/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-TRE em Sex 23 Out 2015, 10:01 pm

    herval escreveu:
    PCS-TRE escreveu:
    PCS-TRE escreveu:
    Solange4 escreveu:
    Na linha sucessória, depois do Presidente da Câmara, vem o do STF - Lewando

    O vice presidente da Câmara só substitui o presidente na Mesa ou em sessões.

    Se o presidente cai, o vice fica por alguns dias até nova eleição, como aconteceu com Severino Cavalcanti. O vice nem aparece na galeria de presidentes. Quem aparece como seu sucessor é Aldo Rebelo, que se elegeu em seguida.

    Então o vice presidente da Câmara jamais poderia entrar na linha sucessória do Planalto...

    O único que fica em pé nessa história em qualquer hipótese da casa cair é o papi.

    1 - Impeachment de Dilma
    Assume o vice Temer
    Mas se a lama respingar em Temer
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    2 - Cassação da chapa das eleições 2014
    Dilma e Temer caem juntos
    Vem o enrolado Cunha
    Depois o enrolado Renan
    E por fim o papi

    Se o caldo entornar, tudo termina no Lewando Lero.

    E ainda mais: ele que comandará o julgamento no STF dos eventuais recursos e ações judiciais em um ou outro caso.

    Cerealguy  O papi Lero Leite herda de todos os jeitos?!!! tá de brincadeira!
    não sabia que nesses casos o papi estaria na linha de sucessão.

    Mas somente o vice tem direito a concluir o mandato.
    Os demais ficam apenas 90 dias com a missão de organizar as eleições para os anos restantes do mandato.
    PCS-JA
    PCS-JA
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2284
    Reputação : 134
    Data de inscrição : 15/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-JA em Sab 24 Out 2015, 10:17 am

    Morena escreveu:
    Em todo o país, categoria reafirma luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15

    Depois de uma greve que teve a adesão de todos os estados no país, a categoria tem reafirmado, em assembleias gerais, a continuidade da luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15. Os servidores seguem mobilizados para deter o congelamento salarial e repor as perdas acumuladas nos últimos nove anos.


    No RS, a última assembleia geral reafirmou o foco na derrubada do veto. Da mesma forma, no Paraná, dia 6; em Alagoas, Amazonas e Roraima, dia 9; Minas Gerais, dia 15; Bahia, dia 16; São Paulo, dia 17; Maranhão, dia 19; Rio de Janeiro, dia 21, as assembleias gerais confirmaram que a luta da categoria deve se concentrar na derrubada do veto 26 pelo Congresso Nacional.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    ++++++++++++++++++++++++++++++++++
    William Douglas NÃO DESISTIU - continua publicando o seu ótimo Artigo. E, não, claro que não valor desanimar - DERRUBADA DO VETO JÁ

    Sobre o Reajuste dos Servidores do Poder Judiciário da União
    A quem interessa um Judiciário fraco?

    Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar
    Publicado por William Douglas - 11 horas atrás

    Venho a público prestar esclarecimentos a respeito das inverdades que têm sido publicadas na imprensa a respeito da aprovação do PLC 28/2015, que repõe parte das perdas salariais dos seus servidores, há nove anos sem qualquer tipo de reajuste.

    1. Não se tratam de 25 bilhões, como está sendo noticiado, mas de 10 bilhões, referentes às perdas sofridas pelos servidores nos últimos nove anos. O reajuste, desta forma, não irá impactar o orçamento deste ano. A recomposição será paga em parcelas semestrais pelos próximos três anos, portanto o impacto não será total no orçamento de 2015, como se tem noticiado, mas diluído nos orçamentos dos próximos períodos fiscais, demonstrando nosso compromisso com o ajuste fiscal;

    2. Os servidores têm IR e Previdência descontados na fonte, o que, no caso do ajuste, reverterá aos cofres públicos parte substancial desse montante;

    3. O Poder Judiciário é superavitário, contribuindo para a arrecadação mais do que gera em despesas com sua estrutura, em execuções fiscais e extrajudiciais, execução de verbas previdenciárias e custas judiciais;

    4. O Judiciário é um poder independente, autônomo (art. 99 da CF/88) e não pode ser tratado como um mero departamento do Poder Executivo;

    5. O PLC 28/2015 tramita desde de 2009 (sob outras numerações mas o pleito é o mesmo) e passou por todas as comissões pertinentes do Congresso Nacional;

    6. As carreiras do judiciário estão defasadas em comparação às suas análogas do Legislativo e do Executivo, causando grande evasão nos quadros;


    7. Não podemos permitir o sucateamento do Poder Judiciário, é uma questão de preservação da nossa democracia;

    8. Em 2006, o salário mínimo era de R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais) e hoje (2015) é R$788,00 (setecentos e oitenta e oito reais) representando um aumento de 125%. Neste mesmo período o reajuste nos salários dos servidores do PJU foi de 15,8%. Portanto está clara mais uma vez, nossa contribuição para o ajuste fiscal do país, e para a diminuição das desigualdades sociais;

    9. Neste mesmo período a inflação média acumulada até 2015 (IPCA, dados do BC) foi de 56,03% (dados do IBGE);

    10. A remuneração dos servidores do PJU não se dá por subsídios. Ela é composta por salário base acrescido de gratificações e algumas vantagens que não acompanham o servidor na inatividade. Portanto, essa taxa de aumento veiculada é enganosa e não reflete a verdade;

    11. O valor de 78%, maliciosamente anunciado como se fosse para todos, é na verdade apenas para os Auxiliares Judiciários – carreira que está em extinção e para a qual não há mais concurso. Este reajuste maior que a média dos demais visa corrigir uma injustiça antiga, pois realizam o mesmo trabalho dos técnicos ganhando muito menos. Basta olhar a tabela para ver que a maior parte dos reajustes é menor;

    12. Esse aumento vem acompanhado de um aumento equivalente em relação aos valores pagos pelos servidores a título de imposto de renda (IR) e PSS o que fará com que a média de aumento, em dezembro de 2017, esteja entre 28% e 35% do atual salário líquido dos servidores, ou seja, em média, o servidor receberá 33% a mais do que recebia em 2006, período do último aumento concedido. Não é preciso ser um gênio em matemática para inferir que isso significa em 11 anos, um aumento anual de 3%, percentual que está longe de superar a inflação do período que, teve como índice mais baixo, verificado em 2007, 2.998%;

    13. Lembre-se que esses planos de reajuste salariais só existem pela falta de uma base de dados anual para a correção dos salários da categoria;

    14. Usar o argumento de que “o momento não é favorável” não se sustenta. O PL tramita desde 2009. Em 2010 a taxa de crescimento do Brasil foi de 7,6%. Porque não foi concedido o aumento então?

    15. Neste mesmo período o salário da Presidente da República evoluiu 248% partindo de R$8.900,00, em 2006, para R$ 30.900,00 em 2015. Querer que os servidores aceitem e se contentem com aumento de 21,3%, para o mesmo período, é no mínimo imoral;

    16. Outros esclarecimentos podem ser vistos na Nota Técnica do Supremo Tribunal Federal, autor do PLC 28/15;

    17. Os servidores não estão pleiteando aumento, mas reivindicando reposição inflacionária, conforme especificado no art. 37, X da CF. Eles não foram os causadores dos problemas econômicos do País, mas, ao contrário de outras carreiras e do fundo partidário, não tiveram os reajustes devidos;

    18. A forma como o governo/Executivo está anunciando a pretensa necessidade do veto coloca a Sociedade contra os servidores e o Poder Judiciário, gerando uma animosidade desnecessária e baseada em premissas falsas.

    Em suma, os servidores são essenciais para a prestação da tutela jurisdicional e não podem ser tratados como pretende a Presidência da República e a liderança do PT no Senado.


    William Douglas

    Juiz federal, professor e escritor. Mestre em Direito e Pós-graduado em Políticas Públicas e Governo.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    PCS-JA
    PCS-JA
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2284
    Reputação : 134
    Data de inscrição : 15/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-JA em Sab 24 Out 2015, 10:23 am

    VANDER DE PAULA escreveu:Outo equívoco é não pedir a RETIRADA dos outros PL´s que estão
    no Congresso, tanto do MPU quanto do PJU. Se fosse pedido sua
    retirada, fortaleceria a luta e o convencimento dos parlamentares.
    Vai ter deputado defendendo o outro PL do Lewando, com o intuito
    de confundir outros parlamentares! O próprio Lewando pode interferir
    pedindo que mantenha o veto ao PLC 28 e aprovem o PL dele!

    Pela RETIRADA DOS OUTROS PL´S  de reajuste já!

    ________________-

    Nossos incansáveis, não somos fracos, somos unidos na NOSSA LUTA CONTINUA - DERRUBADA DO VETO 26

    Reajuste, servidores do judiciário pressionam congressistas em visitas COMENTE
    Leandro Mazzini 23/10/2015 10:54
    Compartilhe
    Os servidores da Justiça cessaram o barulhento e incômodo protesto diário em frente ao plenário do Senado, e dentro do Salão Verde na Câmara, pela derrubada do veto presidencial ao reajuste das categorias.

    Mas passaram a visitar os congressistas porta a porta, numa pressão direta.

    A sessão do Congresso Nacional para análise dos vetos será em Novembro.


    Tags : reajuste servidores do judiciário veto visitas

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    avatar
    rogcampinas
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1024
    Reputação : 368
    Data de inscrição : 25/06/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por rogcampinas em Sab 24 Out 2015, 11:19 am

    Opa... e lá vem mais uma. "Haddad cogita deixar PT e flerta com partido de Marina". Como disse dias atrás, os ratos estão abandonando o navio... o instinto de sobrevivência lhes diz que vai afundar. Até dia 17 tem muito abacaxi a ser descascado hehehe. Na sessão do veto, enfrentaremos um governo tísico, alquebrantado, sem apoio da base aliada, da oposição e dos próprios filiados. Nos bastidores do CN, o que se corre boca-a-boca é de que o veto vai cair, como muitos colegas já disseram. Não tem jeito. O PLC é nosso.


    E antes que alguém venha falar que não tem orçamento ou tentar impor obstáculos à aprovação e implantação do PLC, saiba, e saiba muito bem, que, nesse contexto, nós não trabalhamos para o presidente do STF. Aliás, o presidente trabalha para o povo. E vimos reivindicar nossos direitos na qualidade de cidadãos... somos, portanto, povo... logo ELE trabalha pra nós!
    Onvrs
    Onvrs
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 142
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 05/08/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Onvrs em Sab 24 Out 2015, 11:43 am

    Uma dúvida: se liberassem a advocacia no PL leitinho, ainda que saibamos que muitos não são bacharéis, vcs acham que mudaria o cenário? Depois que o Governo ofereceu adv privada pra AGU, já não acharia tão impossível aceitarem isso, já que não tem custos.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Convidado em Sab 24 Out 2015, 12:05 pm

    zero dois escreveu:
    Nilo escreveu:

    ‘Meta Zero’ na Receita: mais um pepino para Levy
    Operação-padrão dos auditores faz autuações despencarem
    Por: Geraldo Samor  22/10/2015 às 2:01












    FONTE: http://veja.abril.com.br/blog/mercados/economia/meta-zero-na-receita-mais-um-pepino-para-levy/

    Em campanha por valorização profissional há sete meses, os auditores da Receita Federal têm intensificado sua operação-padrão nas ações de fiscalização, conhecida internamente como ‘Meta Zero’.
    A operação gera problemas de curto, médio e longo prazos para as contas públicas, porque é a fiscalização da Receita que gera os autos de infração que, ao longo do tempo, se convertem em arrecadação. Historicamente, uma média de 20% das autuações se convertem em arrecadação efetiva.
    Dados fornecidos à coluna por auditores da Receita mostram que, no 1º trimestre, o resultado da fiscalização fechou com alta de 66,6% em relação a 2014, gerando 17,8 bilhões de reais a mais em autuações.
    Em abril, quando começou o movimento, algumas unidades da Receita iniciaram a ‘Meta Zero’ como forma de protesto.
    Naquele mês, o crescimento das autuações em relação ao mesmo mês do ano passado desacelerou para 41%; em maio, 31,5%; até que, em junho, os números ficaram no vermelho, com queda de 0,5%.

    No 3º trimestre, a ‘Meta Zero’ aumentou sua adesão. As autuações mergulharam -25,9% em julho, -68,7% em agosto e -69,5% em setembro — sempre em relação ao mesmo período de 2014.
    Os auditores dizem que não buscam apenas um aumento salarial, e sim valorização profissional.  Eles reclamam do esvaziamento da Receita desde quando o atual secretário, Jorge Rachid, deixou o cargo em seu mandato anterior, em 2008.  Dizem que os auditores foram alijados da formulação da política fiscal e não foram ouvidos, por exemplo, nas desonerações épicas do Governo Dilma, que chegarão a 458 bilhões de reais até 2018.
    “A sociedade nunca vai reconhecer o nosso trabalho, sabe por quê?  Porque eu sou o cara que mete a mão no teu bolso, te multa e entrega o dinheiro para o Estado gastar mal,” disse um auditor. “Mas a gente precisa pelo menos ter condições de desenvolver nosso trabalho.”
    O salário máximo de um auditor da Receita, no final da carreira, é de 22,5 mil reais;  nos fiscos estaduais, são comuns salários de 30-40 mil reais, dependendo do tempo de serviço.
    Os auditores querem que a Receita se engaje pela aprovação da PEC 186, que estabelece autonomia para a administração tributária do ponto de vista administrativo, orçamentário e funcional. A PEC também prevê uma lei orgânica para os auditores, o que disciplinaria direitos e deveres que não poderiam ser retirados mais tarde por medida provisória.
    A insatisfação entre os auditores se agravou recentemente, durante a tramitação no Congresso da PEC 443, que, se incluísse os auditores, elevaria a remuneração máxima da carreira para 90,25% do salário de um ministro do STF, cerca de 30 mil reais.  Mas o Governo se recusou a incluir os auditores no texto e, da tribuna, o líder do Governo, José Guimarães, disse que a PEC (que contempla advogados públicos e delegados da Polícia Federal) era apenas “para carreiras jurídicas de Estado,” e que havia gente tentando “incluir outras coisas.”

    A exclusão da categoria e a grosseria do deputado azedaram o clima. A PEC ainda tramita











    .

    --------------
    Isso é que é refém bom!  

    A estratégia deles foi muito bem aplicada: golpear um ponto sensível e estrangular a entrada de caixa do governo.  O plano estratégico foi bem implementado e estão pagando pela divulgação, não em outdoors, mas na TV aberta, se eles tivessem feito uma movimentação semelhante a nossa na época da votação da PEC 443 talvez já estivessem recebendo.

    O governo só está conseguindo bater naquelas categorias mais fracas ou aquelas que ficam esperando providências/salvação das diretorias de seus sindicatos.  Chega disso!

    farao











    As carreiras fiscais são as que têm mais condições de conseguir melhores salários.
    Hoje a Receita Federal está ganhando menos do que nos Estados pq ficaram dormindo de botas, achando que "status" vale alguma coisa.

    não dormiram não! simplesmente não há quem possa contra um estado aparelhado, com ministério público e judiciário comprados! a receita fez operação padrão e o pt, em retaliação, ajuizou ação com multa pesadíssima para arruinar o sindicato. foram tolhidos de um direito constitucional (greve). quem defende o pt, com tudo o que está acontecendo, é porque gosta de ser sodomizado...e como tem rampeira do pt por aqui, vigi nossa...kkk
    PCS-JA
    PCS-JA
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2284
    Reputação : 134
    Data de inscrição : 15/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-JA em Sab 24 Out 2015, 12:41 pm

    [quote="rogcampinas"]Opa... e lá vem mais uma. "Haddad cogita deixar PT e flerta com partido de Marina". Como disse dias atrás, os ratos estão abandonando o navio... o instinto de sobrevivência lhes diz que vai afundar. Até dia 17 tem muito abacaxi a ser descascado hehehe. Na sessão do veto, enfrentaremos um governo tísico, alquebrantado, sem apoio da base aliada, da oposição e dos próprios filiados. Nos bastidores do CN, o que se corre boca-a-boca é de que o veto vai cair, como muitos colegas já disseram. Não tem jeito. O PLC é nosso.


    E antes que alguém venha falar que não tem orçamento ou tentar impor obstáculos à aprovação e implantação do PLC, saiba, e saiba muito bem, que, nesse contexto, nós não trabalhamos para o presidente do STF. Aliás, o presidente trabalha para o povo. E vimos reivindicar nossos direitos na qualidade de cidadãos... somos, portanto, povo... logo ELE trabalha pra nós!
    _________________

    Poderíamos CONVERSAR com os Desembargadores "Estaduais", Federais e do Trabalho, para juntos DERRUBARMOS AMBOS OS VETOS - o veto ao PLC 28 e o veto a PEC da Bengala:


    Desembargadores se articulam para rejeição do veto à PEC da Bengala
    PUBLICADO EM 24/10/2015 ÀS 11:14 POR CÁSSIO OLIVEIRA EM NOTÍCIAS


    [b]O presidente da Associação Nacional dos Desembargadores, Bartolomeu Bueno, juntamente com outros desembargadores se movimentam para articular a rejeição do veto da presidente Dilma Rousseff, ao PLS 274/2015, conhecido como PEC da Bengala. O projeto visa a prorrogação da idade de aposentadoria compulsória dos magistrados e outros servidores para 75 anos de idade.


    >> Dilma veta aposentadoria compulsória aos 75 para servidores públicos
    >> PEC da Bengala: em pauta a votação da Lei Complementar que estende o benefício a todos os servidores públicos
    >> Sílvio Costa critica decisão do STF sobre PEC da Bengala

    Bartolomeu Bueno, já deu início à intensa articulação com membros de outros poderes interessados na aprovação da medida, a exemplo da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil – Atricon; Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios; Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas – Audicon. Além disso, o magistrado está construindo uma agenda com representantes nacionais das categorias, em união pela derrubada do veto e posterior aprovação da medida.

    [size=24]O desembargador está com viagem marcada para próxima quarta-feira (28/10) a Brasília, onde se reunirá com lideranças das bancadas, com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara Federal, Eduardo Cunha.


    >> Álvaro Porto colhe assinaturas e apresenta PEC da Bengala de Pernambuco à Mesa da Alepe
    >> Deputado Estadual Álvaro Porto já colhe assinaturas para PEC da Bengala

    Bartolomeu ressalta que a aprovação dessa medida, além de contribuir com o atual momento de crise financeira nacional, postergando as aposentadorias de servidores, também teria o condão de reter a bagagem profissional dessas pessoas em prol da melhoria dos serviços públicos.

    >> PEC da Bengala é aprovada em primeiro turno pela Câmara

    “No dia 7 de outubro, o Supremo Tribunal Federal analisou o projeto e considerou-o constitucional, mesmo atingindo membros do Judiciário. Em sessão administrativa, os ministros do Supremo deliberaram, por sete votos a um, e que a possível sanção do projeto pela presidente Dilma Rousseff não infringiria a Constituição”, explicou Bueno.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    avatar
    rogcampinas
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1024
    Reputação : 368
    Data de inscrição : 25/06/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por rogcampinas em Sab 24 Out 2015, 1:12 pm

    PCS-JA escreveu:
    rogcampinas escreveu:Opa... e lá vem mais uma. "Haddad cogita deixar PT e flerta com partido de Marina". Como disse dias atrás, os ratos estão abandonando o navio... o instinto de sobrevivência lhes diz que vai afundar. Até dia 17 tem muito abacaxi a ser descascado hehehe. Na sessão do veto, enfrentaremos um governo tísico, alquebrantado, sem apoio da base aliada, da oposição e dos próprios filiados. Nos bastidores do CN, o que se corre boca-a-boca é de que o veto vai cair, como muitos colegas já disseram. Não tem jeito. O PLC é nosso.


    E antes que alguém venha falar que não tem orçamento ou tentar impor obstáculos à aprovação e implantação do PLC, saiba, e saiba muito bem, que, nesse contexto, nós não trabalhamos para o presidente do STF. Aliás, o presidente trabalha para o povo. E vimos reivindicar nossos direitos na qualidade de cidadãos... somos, portanto, povo... logo ELE trabalha pra nós!
    _________________

    Poderíamos CONVERSAR com os Desembargadores "Estaduais", Federais e do Trabalho, para juntos DERRUBARMOS AMBOS OS VETOS - o veto ao PLC 28 e o veto a PEC da Bengala:


    Desembargadores se articulam para rejeição do veto à PEC da Bengala
    PUBLICADO EM 24/10/2015 ÀS 11:14 POR CÁSSIO OLIVEIRA EM NOTÍCIAS


    O presidente da Associação Nacional dos Desembargadores, Bartolomeu Bueno, juntamente com outros desembargadores se movimentam para articular a rejeição do veto da presidente Dilma Rousseff, ao PLS 274/2015, conhecido como PEC da Bengala. O projeto  visa a prorrogação  da idade de aposentadoria compulsória dos magistrados e outros servidores para 75 anos de idade.

    >> Dilma veta aposentadoria compulsória aos 75 para servidores públicos
    >> PEC da Bengala: em pauta a votação da Lei Complementar que estende o benefício a todos os servidores públicos
    >> Sílvio Costa critica decisão do STF sobre PEC da Bengala

    Bartolomeu Bueno, já deu início à intensa articulação com membros de outros poderes interessados na aprovação da medida, a exemplo da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil – Atricon;  Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios; Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas – Audicon. Além disso, o magistrado está construindo uma agenda com representantes nacionais das categorias, em união pela derrubada do veto e posterior aprovação da medida.

    O desembargador está com viagem marcada para próxima quarta-feira (28/10) a Brasília, onde se reunirá com lideranças das bancadas, com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

    >> Álvaro Porto colhe assinaturas e apresenta PEC da Bengala de Pernambuco à Mesa da Alepe
    >> Deputado Estadual Álvaro Porto já colhe assinaturas para PEC da Bengala

    Bartolomeu ressalta que a aprovação dessa medida, além de contribuir com o atual momento de crise financeira nacional, postergando as aposentadorias de servidores, também teria o condão de reter a bagagem profissional dessas pessoas em prol da melhoria dos serviços públicos.

    >> PEC da Bengala é aprovada em primeiro turno pela Câmara

    “No dia 7 de outubro, o Supremo Tribunal Federal analisou o projeto e considerou-o constitucional, mesmo atingindo membros do Judiciário. Em sessão administrativa, os ministros do Supremo deliberaram, por sete votos a um, e que a possível sanção do projeto pela presidente Dilma Rousseff não infringiria a Constituição”, explicou Bueno.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Exato colega. Temos de nos unir a outras entidades, classes e associações. E vou além... Servidores da Receita. Eles autuam, lavram seus autos, emitem as NFLD, mas se o devedor não pagar no âmbito administrativo, aí entram os servidores do judiciário (ou alguem acha que juiz dá andamento sozinho às execuções fiscais?). Se houve decréscimo na arrecadação, tenha certeza que temos nossa parcela de influência. Se nos unirmos, não será 1+1=2. Será 1+1= x. Excelente idéia colega
    Admin
    Admin
    Super Administrador
    Super Administrador

    Cargo : Analista Judiciário
    Mensagens : 1231
    Reputação : 147
    Data de inscrição : 06/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Admin em Sab 24 Out 2015, 1:28 pm

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

    Poucas curtidas.
    bethoven
    bethoven
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 561
    Reputação : 43
    Data de inscrição : 17/07/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por bethoven em Sab 24 Out 2015, 2:58 pm

    DIA 17 ESTÁ CHEGANDO . QUE VENHA LOGO E ACONTEÇA A QUEDA DO VETO AO NOSSO PL.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Convidado em Sab 24 Out 2015, 3:01 pm

    Melhor não se unir a capas-preta, já nos traíram demais nesses 9 anos.
    Cada um na sua.
    PCS-JA
    PCS-JA
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2284
    Reputação : 134
    Data de inscrição : 15/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por PCS-JA em Sab 24 Out 2015, 3:05 pm

    DJANGO escreveu:Melhor não se unir a capas-preta, já nos traíram demais nesses 9 anos.
    Cada um na sua.

    ___________________

    Notícias
    23/10/2015 18:36

    Em todo o país, categoria reafirma luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15

    Depois de uma greve que teve a adesão de todos os estados no país, a categoria tem reafirmado, em assembleias gerais, a continuidade da luta pela derrubada do veto ao PLC 28/15. Os servidores seguem mobilizados para deter o congelamento salarial e repor as perdas acumuladas nos últimos nove anos.


    No RS, a última assembleia geral reafirmou o foco na derrubada do veto. Da mesma forma, no Paraná, dia 6; em Alagoas, Amazonas e Roraima, dia 9; Minas Gerais, dia 15; Bahia, dia 16; São Paulo, dia 17; Maranhão, dia 19; Rio de Janeiro, dia 21, as assembleias gerais confirmaram que a luta da categoria deve se concentrar na derrubada do veto 26 pelo Congresso Nacional.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    JONGA
    JONGA
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 220
    Reputação : 20
    Data de inscrição : 20/05/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por JONGA em Sab 24 Out 2015, 3:47 pm

    Admin escreveu:[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

    Poucas curtidas.

    ME POSSUA!!
    avatar
    ldmelo
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 758
    Reputação : 14
    Data de inscrição : 07/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por ldmelo em Sab 24 Out 2015, 4:20 pm

    rogcampinas escreveu:
    PCS-JA escreveu:
    rogcampinas escreveu:Opa... e lá vem mais uma. "Haddad cogita deixar PT e flerta com partido de Marina". Como disse dias atrás, os ratos estão abandonando o navio... o instinto de sobrevivência lhes diz que vai afundar. Até dia 17 tem muito abacaxi a ser descascado hehehe. Na sessão do veto, enfrentaremos um governo tísico, alquebrantado, sem apoio da base aliada, da oposição e dos próprios filiados. Nos bastidores do CN, o que se corre boca-a-boca é de que o veto vai cair, como muitos colegas já disseram. Não tem jeito. O PLC é nosso.


    E antes que alguém venha falar que não tem orçamento ou tentar impor obstáculos à aprovação e implantação do PLC, saiba, e saiba muito bem, que, nesse contexto, nós não trabalhamos para o presidente do STF. Aliás, o presidente trabalha para o povo. E vimos reivindicar nossos direitos na qualidade de cidadãos... somos, portanto, povo... logo ELE trabalha pra nós!
    _________________

    Poderíamos CONVERSAR com os Desembargadores "Estaduais", Federais e do Trabalho, para juntos DERRUBARMOS AMBOS OS VETOS - o veto ao PLC 28 e o veto a PEC da Bengala:


    Desembargadores se articulam para rejeição do veto à PEC da Bengala
    PUBLICADO EM 24/10/2015 ÀS 11:14 POR CÁSSIO OLIVEIRA EM NOTÍCIAS


    O presidente da Associação Nacional dos Desembargadores, Bartolomeu Bueno, juntamente com outros desembargadores se movimentam para articular a rejeição do veto da presidente Dilma Rousseff, ao PLS 274/2015, conhecido como PEC da Bengala. O projeto  visa a prorrogação  da idade de aposentadoria compulsória dos magistrados e outros servidores para 75 anos de idade.

    >> Dilma veta aposentadoria compulsória aos 75 para servidores públicos
    >> PEC da Bengala: em pauta a votação da Lei Complementar que estende o benefício a todos os servidores públicos
    >> Sílvio Costa critica decisão do STF sobre PEC da Bengala

    Bartolomeu Bueno, já deu início à intensa articulação com membros de outros poderes interessados na aprovação da medida, a exemplo da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil – Atricon;  Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios; Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas – Audicon. Além disso, o magistrado está construindo uma agenda com representantes nacionais das categorias, em união pela derrubada do veto e posterior aprovação da medida.

    O desembargador está com viagem marcada para próxima quarta-feira (28/10) a Brasília, onde se reunirá com lideranças das bancadas, com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

    >> Álvaro Porto colhe assinaturas e apresenta PEC da Bengala de Pernambuco à Mesa da Alepe
    >> Deputado Estadual Álvaro Porto já colhe assinaturas para PEC da Bengala

    Bartolomeu ressalta que a aprovação dessa medida, além de contribuir com o atual momento de crise financeira nacional, postergando as aposentadorias de servidores, também teria o condão de reter a bagagem profissional dessas pessoas em prol da melhoria dos serviços públicos.

    >> PEC da Bengala é aprovada em primeiro turno pela Câmara

    “No dia 7 de outubro, o Supremo Tribunal Federal analisou o projeto e considerou-o constitucional, mesmo atingindo membros do Judiciário. Em sessão administrativa, os ministros do Supremo deliberaram, por sete votos a um, e que a possível sanção do projeto pela presidente Dilma Rousseff não infringiria a Constituição”, explicou Bueno.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Exato colega. Temos de nos unir a outras entidades, classes e associações. E vou além... Servidores da Receita. Eles autuam, lavram seus autos, emitem as NFLD, mas se o devedor não pagar no âmbito administrativo, aí entram os servidores do judiciário (ou alguem acha que juiz dá andamento sozinho às execuções fiscais?). Se houve decréscimo na arrecadação, tenha certeza que temos nossa parcela de influência. Se nos unirmos, não será 1+1=2. Será 1+1= x. Excelente idéia colega

    Veto a pec da bengala? Presidente vetando pec?
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8695
    Reputação : 245
    Data de inscrição : 14/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por darkshi em Sab 24 Out 2015, 5:31 pm

    ldmelo escreveu:
    Veto a pec da bengala? Presidente vetando pec?

    Culpe o jornalista, que não sabe diferenciar PLS de PEC
    herval
    herval
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : técnico
    Mensagens : 458
    Reputação : 15
    Data de inscrição : 09/07/2010

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por herval em Sab 24 Out 2015, 5:37 pm

    rogcampinas escreveu:
    PCS-JA escreveu:
    rogcampinas escreveu:Opa... e lá vem mais uma. "Haddad cogita deixar PT e flerta com partido de Marina". Como disse dias atrás, os ratos estão abandonando o navio... o instinto de sobrevivência lhes diz que vai afundar. Até dia 17 tem muito abacaxi a ser descascado hehehe. Na sessão do veto, enfrentaremos um governo tísico, alquebrantado, sem apoio da base aliada, da oposição e dos próprios filiados. Nos bastidores do CN, o que se corre boca-a-boca é de que o veto vai cair, como muitos colegas já disseram. Não tem jeito. O PLC é nosso.


    E antes que alguém venha falar que não tem orçamento ou tentar impor obstáculos à aprovação e implantação do PLC, saiba, e saiba muito bem, que, nesse contexto, nós não trabalhamos para o presidente do STF. Aliás, o presidente trabalha para o povo. E vimos reivindicar nossos direitos na qualidade de cidadãos... somos, portanto, povo... logo ELE trabalha pra nós!
    _________________

    Poderíamos CONVERSAR com os Desembargadores "Estaduais", Federais e do Trabalho, para juntos DERRUBARMOS AMBOS OS VETOS - o veto ao PLC 28 e o veto a PEC da Bengala:


    Desembargadores se articulam para rejeição do veto à PEC da Bengala
    PUBLICADO EM 24/10/2015 ÀS 11:14 POR CÁSSIO OLIVEIRA EM NOTÍCIAS


    O presidente da Associação Nacional dos Desembargadores, Bartolomeu Bueno, juntamente com outros desembargadores se movimentam para articular a rejeição do veto da presidente Dilma Rousseff, ao PLS 274/2015, conhecido como PEC da Bengala. O projeto  visa a prorrogação  da idade de aposentadoria compulsória dos magistrados e outros servidores para 75 anos de idade.

    Bartolomeu Bueno, já deu início à intensa articulação com membros de outros poderes interessados na aprovação da medida, a exemplo da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil – Atricon;  Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios; Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas – Audicon. Além disso, o magistrado está construindo uma agenda com representantes nacionais das categorias, em união pela derrubada do veto e posterior aprovação da medida.

    O desembargador está com viagem marcada para próxima quarta-feira (28/10) a Brasília, onde se reunirá com lideranças das bancadas, com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

    >> Álvaro Porto colhe assinaturas e apresenta PEC da Bengala de Pernambuco à Mesa da Alepe
    >> Deputado Estadual Álvaro Porto já colhe assinaturas para PEC da Bengala

    Bartolomeu ressalta que a aprovação dessa medida, além de contribuir com o atual momento de crise financeira nacional, postergando as aposentadorias de servidores, também teria o condão de reter a bagagem profissional dessas pessoas em prol da melhoria dos serviços públicos.

    >> PEC da Bengala é aprovada em primeiro turno pela Câmara

    “No dia 7 de outubro, o Supremo Tribunal Federal analisou o projeto e considerou-o constitucional, mesmo atingindo membros do Judiciário. Em sessão administrativa, os ministros do Supremo deliberaram, por sete votos a um, e que a possível sanção do projeto pela presidente Dilma Rousseff não infringiria a Constituição”, explicou Bueno.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Exato colega. Temos de nos unir a outras entidades, classes e associações. E vou além... Servidores da Receita. Eles autuam, lavram seus autos, emitem as NFLD, mas se o devedor não pagar no âmbito administrativo, aí entram os servidores do judiciário (ou alguem acha que juiz dá andamento sozinho às execuções fiscais?). Se houve decréscimo na arrecadação, tenha certeza que temos nossa parcela de influência. Se nos unirmos, não será 1+1=2. Será 1+1= x. Excelente idéia colega


    Com todo respeito aos colegas, vcs são bem ingênuos. tática ineficaz. Eles não precisam da gente. eles resolvem o problema deles sozinhos.Eles (magistrados) se bastam.

    além disso, defender pec da bengala que só beneficia um parcela ínfima de servidores que fazem trabalho leve e tem bastante poder enquanto estão na ativa (tipo juízes, ministros do stf, desembargadores e etc)?


    Servidores normais se aposentam no tempo certo. Os únicos que conheço que querem ficar até a compulsória, são pesos mortos no serviço. Querem nada, nem trabalhar, só  encher o saco dos servidores que trabalham e ficar enrolando no serviço.


    FOCO NO VETO
    e, sinceramente, ÓTIMO ELA TER VETADO. OS ministros do stf querem a pec da bengala. não tiveram? foi vetado? kkkkkkk bem feito!


    Dilma veta aposentadoria compulsória aos 75 para servidores públicos
    Publicado em 23/10/2015 às 9:46 por Cássio Oliveira em Notícias
    Folhapress – A presidente Dilma Rousseff vetou nesta quinta-feira (22) a lei que permitia aposentadoria aos 75 anos a todos os servidores públicos.

    O texto havia sido aprovado por unanimidade pelo Senado no último dia 29. O projeto também já havia passado pela Câmara e dependia somente da sanção da presidente.

    A mudança era esperada (?) por funcionários públicos (?) (somente juízes, ministros de tribunais, desembargadores, procuradores...) desde a promulgação da emenda constitucional que adiou a aposentadoria compulsória de magistrados dos tribunais superiores e do TCU (Tribunal de Contas da União) de 70 para 75 anos.

    Quando a chamada PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da Bengala passou a vigorar, alguns desembargadores não quiseram esperar pela lei e passaram a reivindicar na Justiça decisões liminares permitindo a permanência na carreira mesmo após os 70 anos.

    STF

    A PEC da Bengala tirou da presidente a certeza da indicação dos cinco próximos ministros do Supremo Tribunal Federal, corte composta por 11 cadeiras.

    Pelas regras até então em vigor, cinco ministros do STF que completam 70 anos até o final de 2018 teriam que deixar a corte antes do final do mandato de Dilma (Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki e Rosa Weber).

    Agora, a petista só fará novas indicações para a mais alta corte do país caso algum ministro deixe voluntariamente o tribunal antes da data de aposentadoria compulsória.
    Sete Vidas
    Sete Vidas
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 837
    Reputação : 221
    Data de inscrição : 17/07/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Sete Vidas em Sab 24 Out 2015, 6:11 pm



    LOGO APÓS O FERIADO, VAMOS COMEÇAR TER OUTRO CENÁRIO NO BRASIL E ACREDITO QUE

    O CENÁRIO VAI NOS FAVORECER COM CERTEZA.

    SÓ NÃO PODEMOS DEIXAR CAIR A VONTADE DA LUTA E QUE CATEGORIA FAÇA SUA PARTE

    COLABORANDO COM OUTROS COLEGAS QUE VÃO ESTAR EM BSB DIA 17/11.

    MESMO COM POUCOS RECURSOS ESTAMOS LUTANDO E DIA 17 SERÁ O ÚLTIMO GOLPE CONTRA

    PT E SEUS AMIGOS.

    NÃO SOU FAVOR DO LEITINHO, ELE NOS TIRA 13,23% GANHO E AINDA CONCEDE 25% PARA CJS

    EU ACREDITO NA DERRUBADA DO VETO.

    EM BSB FALA-SE MUITO QUE O JOAQUIM LEVY VAI CAIR ANTES DO CUNHA.

    VAMOS NOS MANTER NA DERRUBADA DO VETO E QUALQUER OUTRO ASSUNTO FORA DA

    DERRUBADA É ESPECULAÇÃO DOS CLONES DOS PONCI ANNUUSS.
    avatar
    rogcampinas
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1024
    Reputação : 368
    Data de inscrição : 25/06/2015

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por rogcampinas em Sab 24 Out 2015, 6:31 pm

    Ingenuidade??? Dificuldade de cognição é flórida viu... Eles, magistrados, não precisam de gente, NÓS sim. E não me referi a buscar apoio apenas a magistrados (há juízes e juízes, como por exemplo, o Dr. Willian Douglas, dentre outros). Longe dessa limitação. NÓS precisamos de gente e ELES, SENADORES E DEPUTADOS, precisam de votos. Quanto mais simpatia tivermos de outros movimentos sociais, mais poder de pressão teremos sob o ponto de vista "eleitoreiro". Por exemplo.... aposentados, servidores da receita, políticos regionais etc. Ainda e principalmente, os que representam a grande massa... as lideranças dos movimentos pró-impeachment (ou os petralhinhas esqueceram que 93% da população reprova o reinado da mandioca?).


    Pra mim, não basta apenas o veto derrubado. Eu ainda verei a dilma cair pra nunca mais levantar, o pt extirpado da face do planeta e o pinguço enjaulado, juntamente com sua família.

    Conteúdo patrocinado

    PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015 - Página 2 Empty Re: PCS - PL 7920/2014 - PLC 28/2015

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter 17 Set 2019, 5:50 am