PCS JÁ



    Novo PCS

    Compartilhe
    avatar
    EmCuiabá
    Novo Usuário

    Mensagens : 28
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 02/06/2015

    Re: Novo PCS

    Mensagem por EmCuiabá em Ter 18 Set - 20:12

    euvoltei escreveu: O serviço público há ilhas de excelência,(RFB e TCU) por exemplo..
    sempre pensam no custo, por mais meritória que uma proposta pareça,
    padrão no Brasil todo
    não é inchando

    Enfim, se quiser mudar, muda rapidamente... Só ir resolvendo uma coisa de cada vez, de cima pra baixo, com bom senso e racionalidade...

    O PJE é um exemplo.. Há 7 anos atrás, quem imaginava um sistema só pra todo mundo, funcionando, eletrônico...
    Quando querem em pouco tempo a coisa anda...

    Estes órgãos tem quadro enxutos (se comparados a outras carreiras do executivo e judiciário). Várias procuradorias estaduais e municipais, por ser menores, também funcionam desta forma, aliás, uma procuradoria fazendária bem organizada é muito rentável à instituição.

    A solução para o Judiciário, a meu ver, passa pela redução da cargos e ampliação de competências, e não pelo inchaço do quadro e redução de jornada, como alguns defendem. Os sistemas eletrônicos de gestão, processos judiciais etc. favorecem esta linha de entendimento.

    SENATUS
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 466
    Reputação : 32
    Data de inscrição : 23/11/2010

    Re: Novo PCS

    Mensagem por SENATUS em Qua 26 Set - 10:35

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    subsidiando
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1433
    Reputação : 12
    Data de inscrição : 13/07/2010

    Re: Novo PCS

    Mensagem por subsidiando em Qua 26 Set - 11:24

    Em resposta às perguntas dos servidores, Alexandre Camanho deixou claro o interesse da administração em buscar formas de melhorar a atuação do MPF, mesmo diante da imposição de cortes de gastos decorrentes da Emenda Constitucional 95/2016 (que congelou os orçamentos por 20 anos) e expôs sua opinião sobre assuntos relevantes, como a recomposição salarial, a sustentabilidade do Plan-Assiste e a reposição de vagas.

    A respeito dos salários, ele revelou que considera viável (como alternativa diante das regras da EC95) a concessão de reajustes anuais que ao menos reponham a inflação, mediante projetos de lei. “Não há um estudo, mas essa é a minha ideia, porém é preciso também um convencimento dos servidores de que se trata de uma possibilidade justa e plausível”, explicou. O SG esclareceu que, embora “tenha tudo para prosperar”, essa solução dependeria ainda de uma unidade com sindicatos, associações e até mesmo o Poder Judiciário.

    RELATOR
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1799
    Reputação : 75
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Re: Novo PCS

    Mensagem por RELATOR em Qua 26 Set - 16:51

    Está previsto em pauta para logo mais a partir das 14 horas no Superior Tribunal de Justiça – STJ – julgamento do pedido de uniformização da interpretação da lei dos 13,23%. O procedimento visa por fim às sentenças divergentes, oriundas de interpretações diferentes quando doa análise da questão nos tribunais federais.

    O julgamento de hoje deverá estabelecer uma diretriz única e uniforme para as decisões sobre o tema, a partir de então. Coordenadores da Fenajufe e dirigentes dos sindicatos de base estarão acompanhando a sessão a partir das 14 horas.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    avatar
    Solange4
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1027
    Reputação : 98
    Data de inscrição : 03/06/2015

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Solange4 em Qui 27 Set - 16:09

    Plano quer reestruturar as carreiras do funcionalismo
    Projeto é reduzir de 309 para 20 o número decarreiras de servidores da União; salário inicial deve ser de R$ 5 mil

    Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

    27 Setembro 2018 | 04h00

    BRASÍLIA - O plano de reestruturação das carreiras dos servidores da União deve acabar com a progressão automática por tempo de serviço e levar em conta critérios para que o servidor público seja promovido, como avaliação de mérito, desempenho e capacitação.

    Dessa forma, nem todo funcionário público chegará ao topo da carreira antes de se aposentar. O novo desenho da reforma de pessoal que será apresentado ao novo presidente eleito, durante a transição de governo, eliminará a quantidade de carreiras das atuais 309 para cerca de 20, segundo apurou o Estadão/Broadcast. O governo federal gasta R$ 300 bilhões por ano com a folha de pessoal para 1,3 milhão de servidores, incluindo os inativos.

    A proposta é que o salário inicial para a maioria das carreiras seja de R$ 5 mil, como sugerido no plano anterior de reestruturação, feito pelo então ministro do Planejamento Dyogo Oliveira. A estratégia é alinhar a remuneração do início de carreira aos salários praticados na iniciativa privada. Há carreiras, como a da Receita, Polícia Federal e do chamado ciclo de gestão, em que o salário inicial é de quase R$ 18 mil.

    Redução de gastos. Pela proposta anterior, que não chegou a ser encaminhada ao Congresso devido à forte pressão das carreiras mais poderosas, o foco maior estava na redução dos gastos, mas não alterava a lógica de promoção dos servidores. Hoje, o sistema de promoções é dissociado de critérios de mérito e capacitação. Para subir na carreira, basta seguir o tempo de serviço em cada etapa profissional.

    Para o Ministério do Planejamento, que está conduzindo a elaboração da proposta de reforma de pessoal, há um número exagerado de carreiras, situação que provoca distorções no setor público. Para fazer as mudanças, será preciso apenas a aprovação de projeto de lei ordinária, com tramitação mais simples e sem quórum qualificado para a aprovação. O projeto não altera temas polêmicos, com a estabilidade do servidor no emprego, e nem muda a estrutura salarial dos militares.

    As mudanças vão valer para quem entrar no serviço público depois de aprovado o projeto.

    Com a proposta, a ideia é que demore mais tempo para o servidor ser promovido. Há carreiras nas quais em seis anos é possível chegar ao topo, o que desestimula o servidor e aumenta a pressão por salários cada vez mais elevados. É o caso da Advocacia Geral da União. A reforma prevê um processo mais demorado, alongando o tempo em cada etapa.

    O servidor para progredir de uma etapa a outra terá que cumprir critérios. Uma economia que será se dará no futuro, mas que precisa começar a ser planejada agora, na avaliação dos técnicos.

    Para auxiliar na avaliação, o banco de talentos dos servidores será uma dos instrumentos que o Ministério do Planejamento vai usar. Recém-criado, o banco é uma espécie de Linkedin (rede social para assuntos profissionais).

    Fonte: O Estado de S. Paulo em 27/09/2018
    avatar
    Protocol
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 402
    Reputação : 41
    Data de inscrição : 01/06/2015

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Protocol em Qui 27 Set - 16:23

    Solange4 escreveu: Plano quer reestruturar as carreiras do funcionalismo
    Projeto é reduzir de 309 para 20 o número decarreiras de servidores da União; salário inicial deve ser de R$ 5 mil

    Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

    27 Setembro 2018 | 04h00

    BRASÍLIA - O plano de reestruturação das carreiras dos servidores da União deve acabar com a progressão automática por tempo de serviço e levar em conta critérios para que o servidor público seja promovido, como avaliação de mérito, desempenho e capacitação.

    Dessa forma, nem todo funcionário público chegará ao topo da carreira antes de se aposentar. O novo desenho da reforma de pessoal que será apresentado ao novo presidente eleito, durante a transição de governo, eliminará a quantidade de carreiras das atuais 309 para cerca de 20, segundo apurou o Estadão/Broadcast. O governo federal gasta R$ 300 bilhões por ano com a folha de pessoal para 1,3 milhão de servidores, incluindo os inativos.

    A proposta é que o salário inicial para a maioria das carreiras seja de R$ 5 mil, como sugerido no plano anterior de reestruturação, feito pelo então ministro do Planejamento Dyogo Oliveira. A estratégia é alinhar a remuneração do início de carreira aos salários praticados na iniciativa privada. Há carreiras, como a da Receita, Polícia Federal e do chamado ciclo de gestão, em que o salário inicial é de quase R$ 18 mil.

    Redução de gastos. Pela proposta anterior, que não chegou a ser encaminhada ao Congresso devido à forte pressão das carreiras mais poderosas, o foco maior estava na redução dos gastos, mas não alterava a lógica de promoção dos servidores. Hoje, o sistema de promoções é dissociado de critérios de mérito e capacitação. Para subir na carreira, basta seguir o tempo de serviço em cada etapa profissional.

    Para o Ministério do Planejamento, que está conduzindo a elaboração da proposta de reforma de pessoal, há um número exagerado de carreiras, situação que provoca distorções no setor público. Para fazer as mudanças, será preciso apenas a aprovação de projeto de lei ordinária, com tramitação mais simples e sem quórum qualificado para a aprovação. O projeto não altera temas polêmicos, com a estabilidade do servidor no emprego, e nem muda a estrutura salarial dos militares.

    As mudanças vão valer para quem entrar no serviço público depois de aprovado o projeto.

    Com a proposta, a ideia é que demore mais tempo para o servidor ser promovido. Há carreiras nas quais em seis anos é possível chegar ao topo, o que desestimula o servidor e aumenta a pressão por salários cada vez mais elevados. É o caso da Advocacia Geral da União. A reforma prevê um processo mais demorado, alongando o tempo em cada etapa.

    O servidor para progredir de uma etapa a outra terá que cumprir critérios. Uma economia que será se dará no futuro, mas que precisa começar a ser planejada agora, na avaliação dos técnicos.

    Para auxiliar na avaliação, o banco de talentos dos servidores será uma dos instrumentos que o Ministério do Planejamento vai usar. Recém-criado, o banco é uma espécie de Linkedin (rede social para assuntos profissionais).

    Fonte: O Estado de S. Paulo em 27/09/2018

    Embora não nos afete diretamente, se estas mudanças se concretizarem por certo vão se refletir no futuro nas carreiras do MPU e do Judiciário.
    avatar
    Sigma
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Judiciário - Especialidade TI
    Mensagens : 5068
    Reputação : 132
    Data de inscrição : 08/07/2010
    Idade : 38
    Localização : Curitiba/PR

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Sigma em Qui 27 Set - 16:58

    Como seria bom se houvesse o vazamento do "rascunho" desse plano...

    Edit: Achei algo, mas isso já tem mais de 1 ano:

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    RELATOR
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1799
    Reputação : 75
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Re: Novo PCS

    Mensagem por RELATOR em Qui 27 Set - 19:15

    Pelo menos nao pode haver diminuição do salario!
    avatar
    josebarbos
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2686
    Reputação : 386
    Data de inscrição : 20/05/2015

    Re: Novo PCS

    Mensagem por josebarbos em Sex 28 Set - 10:42

    RELATOR escreveu:Pelo menos nao pode haver diminuição do salario!

    Não nominal, mas na prática, também não se concederão sequer reposições inflacionárias até se fechar um alinhamento com os "novatos", e muito provavelmente, o passo seguinte é tornar bastante difícil as progressões, de forma que o salário final seja só um canto da sereia.
    Nos anos 90, o plano de cargos e salários da Caixa era assim: um teto simplesmente impossível de ser alcançado.
    avatar
    Buda1975
    Novo Usuário

    Mensagens : 8
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 12/12/2014

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Buda1975 em Qua 10 Out - 10:02

    Por isso que penso ser imperativo lutarmos pelo direito dos servidores do Poder Judiciário exercer a advocacia, ainda que não atuando no órgão no qual esteja vinculado, pende de julgamento uma ação no Supremo, mas não anda!
    avatar
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5912
    Reputação : 224
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Galizezin em Qua 10 Out - 10:10

    Sindicatos deixaram passar em branco. Temer aprovou a terceirização da atividade fim. Vejam que concursos públicos estão minguando. Se a crise apertar, até as instituições contrárias irão terceirizar suas áreas fim. Pega um comissionado de fora, paga 1/3 do salário de um analista, se começar a faltar ou baixar a produtividade, pode demiti-lo...
    Na minha visão, o desmonte do serviço público já começou. A arma está apontada, basta alguém apertar o gatilho.


    _________________
    NO RACISM!
    avatar
    juliorjr
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 183
    Reputação : 27
    Data de inscrição : 20/06/2012

    Re: Novo PCS

    Mensagem por juliorjr em Qua 10 Out - 15:28

    Galizezin escreveu:Sindicatos deixaram passar em branco. Temer aprovou a terceirização da atividade fim. Vejam que concursos públicos estão minguando. Se a crise apertar, até as instituições contrárias irão terceirizar suas áreas fim. Pega um comissionado de fora, paga 1/3 do salário de um analista, se começar a faltar ou baixar a produtividade, pode demiti-lo...
    Na minha visão, o desmonte do serviço público já começou. A arma está apontada, basta alguém apertar o gatilho.

    concordo completamente.

    Carreira pública está com dias contados. Nós seremos os últimos marajás do serviço público no futuro.
    avatar
    euvoltei
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1060
    Reputação : 119
    Data de inscrição : 30/01/2015

    Re: Novo PCS

    Mensagem por euvoltei em Qua 10 Out - 17:56

    juliorjr escreveu:
    Galizezin escreveu:Sindicatos deixaram passar em branco. Temer aprovou a terceirização da atividade fim. Vejam que concursos públicos estão minguando. Se a crise apertar, até as instituições contrárias irão terceirizar suas áreas fim. Pega um comissionado de fora, paga 1/3 do salário de um analista, se começar a faltar ou baixar a produtividade, pode demiti-lo...
    Na minha visão, o desmonte do serviço público já começou. A arma está apontada, basta alguém apertar o gatilho.

    concordo completamente.

    Carreira pública está com dias contados. Nós seremos os últimos marajás do serviço público no futuro.

    Faz uns 10 anos, pelo menos, que sindicatos arrotam um poder que não possuem..

    Quanto a isso, acho que nem eles nem ninguém seguraria a onda, que era desejo do presidente + congresso

    Conteúdo patrocinado

    Re: Novo PCS

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg 15 Out - 7:57