PCS JÁ



    Tópico Geral

    Admin
    Admin
    Super Administrador
    Super Administrador

    Cargo : Analista Judiciário
    Mensagens : 1231
    Reputação : 147
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral Empty Tópico Geral

    Mensagem por Admin em Sex 11 Jan 2013, 10:38 pm

    Tópico sobre os temas polêmicos da nossa carreira.


    Última edição por Admin em Seg 14 Jan 2013, 3:28 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    CaioCangaceiro
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 93
    Reputação : 2
    Data de inscrição : 08/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por CaioCangaceiro em Seg 14 Jan 2013, 3:12 pm

    a nova lei já está em vigor... interessante que fui consultar agora minha classe/padrão e continua inalterado... eu era A4 e continua como A4... quero nem saber, se vier salário diferente de A4 (da nova tabela) vou ajuizar uma ação... importante agora é concentrarmos esforços para ajuizarmos uma ação coletiva!
    andre3107
    andre3107
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 1112
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 31/08/2012
    Localização : Belém/PA

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por andre3107 em Seg 14 Jan 2013, 3:23 pm

    Supremo decide aguardar aprovação do Orçamento para pagar aumento da GAJ
    Publicado em Quinta, 10 Janeiro 2013 21:56

    No final da tarde desta quinta-feira (10/01), assessores da diretoria-geral do Supremo Tribunal Federal (STF) informaram ao coordenador-executivo da Fenajufe, Joaquim Castrillon, que o STF decidiu aguardar a aprovação do Orçamento 2013 para efetuar o pagamento do reajuste da Gratificação Judiciária (GAJ). A informação também foi repassada aos servidores do STF por meio de comunicado enviado pela intranet no início desta noite.

    A justificativa apresentada pelo Supremo no comunicado é a de que as Leis nº 12.771/2012 e 12.774/2012, que reajustam os subsídios dos ministros do STF e da GAJ dos servidores do Poder Judiciário, condicionam a despesa à existência de dotação consignada no Orçamento Geral da União. A Fenajufe considera que este argumento não é válido para o caso dos servidores, pois a Lei nº 12.774/2012 vincula o pagamento às dotações consignadas aos órgãos do Poder Judiciário e não ao Orçamento da União. Neste caso, os tribunais poderiam se utilizar de recursos próprios para efetuar o pagamento do reajuste no mês de janeiro. Já no caso dos magistrados, a Lei nº 12.771/2012 condiciona expressamente o pagamento do reajuste à aprovação da Lei Orçamentária Anual.

    A Fenajufe avalia que a decisão do Supremo foi reducionista e corporativa porque, já que não poderia pagar o reajuste dos magistrados, puniu os servidores não pagando o reajuste da GAJ. “É mais uma demonstração da falta de autonomia do Poder Judiciário e da sua pouca preocupação com as milhares de famílias de servidores que têm elevadas despesas no início do ano. Até porque alguns tribunais suspenderam o pagamento da antecipação do 13º salário no mês de janeiro”, destaca Joaquim Castrillon, coordenador-executivo da Fenajufe.

    “Após serem comunicados oficialmente pelo órgão superior, vários tribunais já haviam preparado a folha de pagamento de janeiro com o reajuste. Entretanto, receberam ordem por telefone para refazer a folha desconsiderando a lei vigente. Isso também demonstra uma clara preocupação da cúpula dirigente do judiciário em não receber críticas da mídia por pagar o reajuste antes da aprovação do Orçamento”, acrescenta o coordenador-geral da Fenajufe Ramiro Lopez.

    Contrariando a afirmação do STF de que não é possível viabilizar o pagamento do aumento neste mês enquanto o orçamento não for aprovado pelo Congresso, o Ministério Público pagou nesta quarta-feira (09/01) as férias e o adiantamento do 13º salário aos seus servidores e disponibilizou os contracheques de janeiro já levando em conta o aumento da GAMPU da Lei nº 12.773/2012.

    Atuação da Fenajufe

    A Fenajufe atuou durante toda esta semana em busca de informações junto aos conselhos e tribunais superiores sobre o pagamento do reajuste aos servidores neste mês de janeiro. Nesta quarta (9) os diretores da Fenajufe Ramiro Lopez e Cledo Vieira, junto com o coordenador-geral do Sindjus-DF, Jailton Assis, reuniram-se com o diretor geral do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que informou que o TST adotaria a posição que fosse tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Em seguida, os coordenadores obtiveram a informação de que os diretores gerais do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Superior Tribunal Militar (STM) também irão tomar o mesmo posicionamento.

    A Fenajufe já está com audiência agendada para esta sexta-feira (11) com o diretor-geral interino do STF, Dr. Roberto Bezerra, e também já acionou a sua assessoria jurídica nacional para análise do caso e imediatas providências.

    “Esta sequência de desencontros é uma clara demonstração do esgotamento do atual modelo de reajuste salarial para os servidores através dos PCSs. É imperioso que retomemos a discussão da carreira para que possamos apresentar ao governo uma proposta de política salarial decente, com a retomada da data-base, reposição das perdas e o ganho real no salário do servidor”, opina Joaquim Castrillon, coordenador-executivo da Fenajufe.

    Da Fenajufe - Cecília Bizerra Sousa

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Sem merreca este mês...
    andre3107
    andre3107
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 1112
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 31/08/2012
    Localização : Belém/PA

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por andre3107 em Seg 14 Jan 2013, 3:25 pm

    CaioCangaceiro escreveu:a nova lei já está em vigor... interessante que fui consultar agora minha classe/padrão e continua inalterado... eu era A4 e continua como A4... quero nem saber, se vier salário diferente de A4 (da nova tabela) vou ajuizar uma ação... importante agora é concentrarmos esforços para ajuizarmos uma ação coletiva!

    Tinham alterado no meu cadastro... Eu era A2 e me rebaixaram para A1.

    Mas alteraram novamente e passei a ser o antigo A2 só pra efeitos de pagamento. Já que não vão pagar a esmola em janeiro em razão de não ter orçamento aprovado.
    andre3107
    andre3107
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 1112
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 31/08/2012
    Localização : Belém/PA

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por andre3107 em Seg 14 Jan 2013, 3:29 pm

    Aqui estão as Leis e suas alterações/correlações.

    Poder Judiciário da União

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Ministério Público da União

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    BLACK SOUL
    BLACK SOUL
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2047
    Reputação : 119
    Data de inscrição : 04/01/2011

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por BLACK SOUL em Seg 14 Jan 2013, 3:46 pm

    Segundo informações da SOF do TRE/CE, seremos, sim, rebaixados aqui.

    Em compensação, receberemos o reajuste desde já.

    Alguém tem a inicial da ação das letrinhas.
    sonhador
    sonhador
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 495
    Reputação : 12
    Data de inscrição : 22/08/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por sonhador em Seg 14 Jan 2013, 3:50 pm

    Boa tarde. Muita gente sonha em ser servidor. Mas a verdade é que, quando conseguimos, entendemos que está longe de ser um pedacinho do céu.
    andre3107
    andre3107
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 1112
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 31/08/2012
    Localização : Belém/PA

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por andre3107 em Seg 14 Jan 2013, 3:53 pm

    Reajuste da GAJ é adiado
    10/01/13 15:04


    A Administração do Tribunal informa que, de acordo com orientação do Conselho da Justiça Federal (CJF), o aumento da GAJ (Gratificação de Atividade Judiciária) está garantido, mas não sairá de imediato, devido à falta de aprovação do Orçamento Geral da União para 2013. Ainda de acordo com aquele órgão, quando o orçamento for aprovado pelo Congresso Nacional, o pagamento do reajuste da gratificação será feito de forma retroativa.

    Pela lei aprovada, a GAJ passou a ser de 62% do vencimento em primeiro de janeiro deste ano. Em 2014, será de 75,2%. Em 2015, chegará a 90% do vencimento.

    Assessoria de Comunicação Social
    Tribunal Regional Federal da 1.ª Região

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    avatar
    VN
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 780
    Reputação : 18
    Data de inscrição : 08/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por VN em Seg 14 Jan 2013, 3:55 pm

    O Supremo Tribunal Federal deverá decidir, assim que o recesso do Poder Judiciário for encerrado, se o auxílio-alimentação dos servidores será equiparado ao valor mais alto pago aos órgãos dos Três Poderes: R$ 740,96.
    A questão decorre da análise do Recurso Extraordinário nº 710.293, em novembro passado, quando o STF reconheceu a repercussão geral da questão.
    Até agora o Supremo não julgou o mérito da matéria, mas segundo informações da assessoria de comunicação daquele órgão, o tema é constitucionalmente pertinente e será apreciado pelo tribunal.
    Conforme tem afirmando o relator do Recurso no STF, ministro Luiz Fux, o julgamento definitivo ocorrerá neste ano.
    Carlos_Hughes
    Carlos_Hughes
    Novo Usuário

    Mensagens : 1
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 14/01/2013

    Tópico Geral Empty Quanta eficiência....!!!!!

    Mensagem por Carlos_Hughes em Seg 14 Jan 2013, 4:00 pm

    Tanta trapalhada pra nada......
    Além do reajuste ser muito baixo, correram com o pretexto do aumento sair em janeiro, e deixaram pra trás as emendas aprovadas pelo plenário da câmara.
    Resultado: Aumento ridículo, só depois do orçamento e sem emendas (REDISTRIBUIÇÃO)!!!!!!!
    kiel
    kiel
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 945
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 17/10/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por kiel em Seg 14 Jan 2013, 4:04 pm

    E no MPU alguém sabe de alguma coisa sobre o pagamento em janeiro?
    epitaciosouza
    epitaciosouza
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 738
    Reputação : 6
    Data de inscrição : 01/09/2011

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por epitaciosouza em Seg 14 Jan 2013, 4:08 pm

    Pessoal vou "repostar" aqui:


    Reenquadramento com problema na APOSENTADORIA dos que estão entre o A-3 e o B-9


    Os PL’s 12.774/12 e o do MPU prejudicam a aposentadoria dos servidores do Judiciário Federal que ingressaram no serviço público a partir de 1/1/2004 e que estão entre os níveis A-3 e o B-9 (o servidor que ingressou em 2004 está no B-9), a qual será calculada pela média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, sendo que os mesmos não possuem integralidade.

    Pelo reenquadramento proposto, os servidores que estão no A-1 alcançarão o final da carreira em 12 anos, os que estão no A-2, em 13 anos, e os atuais servidores que estão entre o A-3 e o B-9 continuarão a alcançar o final em 14 anos.

    A forma de aumentar a aposentadoria dos servidores que ingressaram no serviço público a partir de 1/1/2004 é contribuir mais anos no final de carreira, aumentando sua média aritmética. Ou seja, quanto mais rápido se alcançar o final da carreira, mais anos se contribuirá sobre o maior valor da carreira, maior será o resultado da média aritmética e maior será o valor da aposentadoria.

    Da forma como foi proposto, quem está no A-1 e A-2 terá uma aposentadoria maior que aqueles que estão entre o A-3 e o B-9, pois alcançarão o final da carreira em menos tempo que os que estão atualmente entre o A-3 e o B-9.

    O mesmo ocorrerá com relação aos futuros servidores, que ingressarão no A-1. Ou seja, a situação dos servidores que estão entre o A-3 e o B-9 será pior do que a de servidores que ainda não estão no serviço público.

    Tal fato fere o princípio da isonomia, pois servidores mais novos na carreira, e mesmo servidores que ainda nem fazem parte do serviço público, que possuem a mesma regra de aposentadoria dos servidores que ingressaram no serviço público a partir de 1/1/2004, terão aposentadorias maiores que os que atualmente estão entre os níveis A-3 e B-9.

    É necessário se estender da redução do número de níveis da carreira para também quem está entre o A-3 e o C-13, e não apenas para os que estão no A-1 e A-2, a fim de conceder aposentadoria digna aos servidores que estão entre o A-1 e o C-13, em especial àqueles que estão entre o A-1 e o B-9, que ingressaram no serviço público a partir de 1/1/2004.

    A REGRESSÃO FUNCIONAL é inaceitável! Nenhuma vez na história houve movimentação extraordinária ou reenquadramento que não alcançasse todos os servidores do quadro! Nunca houve reenquadramento para manter o tempo de alcance ao último nível da carreira!

    O reenquadramento correto deve abranger toda a categoria, sendo que todos os servidores que estão entre o A-1 e o C-13 deveriam subir dois níveis, no que tange ao valor do vencimento base, e não apenas, como foi proposto, nos dois primeiros níveis, regredindo em igual número os que estão acima.

    Ademais, com os novos PL’s, a diferença entre início e fim de carreira aumentará, tanto para Analistas Judiciários quanto para Técnicos Judiciários.

    A remuneração que deve ser aumentada é a dos servidores que ingressaram no serviço público a partir de 1/1/2004, para melhorar suas aposentadorias, lembrando que eles não tem integralidade, paridade e incorporações de FC/CJ, bem como não tiveram movimentação extraordinária. Na crise, deve-se olhar pra quem mais precisa na carreira!

    Acrescente-se que está sendo dado um aumento em percentual, pelo que o aumento maior é para quem está no fim da carreira e já ganha bem! O aumento deveria ser assim: se no final da carreira há um aumento de R$ 1.000,00, esse valor deveria ser do aumento dos demais níveis! Em percentual, o aumento do final de carreira é maior, em termos nominais, do que dos outros níveis! O aumento deve levar em consideração o valor, e não o percentual!

    O aumento menor está sendo dado para quem ganha menos e que terá aposentadoria por média aritmética!! Vamos ao menos conceder a estes a progressão na carreira para todos os níveis, do A-1 até o C-13!


    Vamos preparar nosso P.A!!!
    Flurj
    Flurj
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 498
    Reputação : 10
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Flurj em Seg 14 Jan 2013, 4:24 pm

    STF assumiu estar dominado....
    VN escreveu:O Supremo Tribunal Federal deverá decidir, assim que o recesso do Poder Judiciário for encerrado, se o auxílio-alimentação dos servidores será equiparado ao valor mais alto pago aos órgãos dos Três Poderes: R$ 740,96.
    A questão decorre da análise do Recurso Extraordinário nº 710.293, em novembro passado, quando o STF reconheceu a repercussão geral da questão.
    Até agora o Supremo não julgou o mérito da matéria, mas segundo informações da assessoria de comunicação daquele órgão, o tema é constitucionalmente pertinente e será apreciado pelo tribunal.
    Conforme tem afirmando o relator do Recurso no STF, ministro Luiz Fux, o julgamento definitivo ocorrerá neste ano.
    JudiciarioRS
    JudiciarioRS
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 274
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 14/12/2011
    Localização : RS

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por JudiciarioRS em Seg 14 Jan 2013, 4:30 pm

    Acho que deveríamos pressionar nossos sindicatos para que ajuizassem ação contra esse rebaixamento e seus reflexos. Eles são nossos representantes e como o assunto atinge toda a categoria, cabe a eles lutarem por nós.
    Admin
    Admin
    Super Administrador
    Super Administrador

    Cargo : Analista Judiciário
    Mensagens : 1231
    Reputação : 147
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Admin em Seg 14 Jan 2013, 4:31 pm

    Galera, pra evitar dispersão sobre o tema, criei um tópico só para falar sobre o instituto da regressão funcional.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    Para evitar que o assunto fique disperso, seria bom que todas as manifestações sobre o assunto sejam enviadas para lá.

    Abraço.


    avatar
    Bagao
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 256
    Reputação : 7
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Bagao em Seg 14 Jan 2013, 4:47 pm

    So para comecar o ano bem:

    FORA PT!!
    FORA TOGAS PRETAS FROUXOS DO STF!!
    FORA SINDICANALHAS!!
    avatar
    Luis Fernando
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 733
    Reputação : 2
    Data de inscrição : 19/01/2011

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Luis Fernando em Seg 14 Jan 2013, 5:15 pm

    Flurj escreveu:STF assumiu estar dominado....
    VN escreveu:O Supremo Tribunal Federal deverá decidir, assim que o recesso do Poder Judiciário for encerrado, se o auxílio-alimentação dos servidores será equiparado ao valor mais alto pago aos órgãos dos Três Poderes: R$ 740,96.
    A questão decorre da análise do Recurso Extraordinário nº 710.293, em novembro passado, quando o STF reconheceu a repercussão geral da questão.
    Até agora o Supremo não julgou o mérito da matéria, mas segundo informações da assessoria de comunicação daquele órgão, o tema é constitucionalmente pertinente e será apreciado pelo tribunal.
    Conforme tem afirmando o relator do Recurso no STF, ministro Luiz Fux, o julgamento definitivo ocorrerá neste ano.

    ----
    Primeiramente, uma Boa Tarde e um Bom Ano para todos!!!

    O tema já não era pacífico?! Alguns Tribunais (TREs)só não estavam aguardando um OK para o pagamento?!

    Um abraço!

    avatar
    Convidad
    Convidado

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Convidad em Seg 14 Jan 2013, 5:59 pm

    Aroldo Rique
    Aroldo Rique
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5984
    Reputação : 40
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Aroldo Rique em Seg 14 Jan 2013, 7:12 pm

    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!!

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...


    _________________

    Pessoal, associem-se à ANATA.
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
    pernalonga
    pernalonga
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2043
    Reputação : 825
    Data de inscrição : 25/04/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por pernalonga em Seg 14 Jan 2013, 7:19 pm

    Aroldo Rique escreveu:
    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!!

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...

    É melhor deixar assentar a coisa antes de comomorar, esse pessoal graúdo da administração dos tribunais quando cai, costuma ser pra cima...
    Aroldo Rique
    Aroldo Rique
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5984
    Reputação : 40
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Aroldo Rique em Seg 14 Jan 2013, 7:24 pm

    Para os que ainda não viram (CARTA DE RENÚNCIA DE UM DIRETOR DO SINDJUS):

    Colegas,



    Espero que compreendam. Não posso mais compactuar com essa situação e permanecer de mãos atadas, sob pena de falhar com as pessoas que acreditaram em mim. Peço a quem puder que repassem para os colegas de sua caixa de correio para que todos saibam como o SINDJUS representa “toda” a categoria...



    Segue abaixo a minha carta de renúncia.







    CARTA DE RENÚNCIA



    Desde que fui chamado a integrar a nova Diretoria do SINDJUS-DF acreditei, pelas promessas daqueles que me convidaram, que estaria compondo uma nova diretoria, com uma nova visão, uma visão que buscaria a integração, o respeito e a igualdade a todas as categorias que compõem os servidores do Poder Judiciário da União no Distrito Federal.

    Achei, no íntimo de minha inocência no ambiente sindical, que essa nova diretoria, supostamente composta de representantes de todos os servidores, buscaria os direitos e resgataria o respeito aos servidores do Poder Judiciário de forma apartidária, contra tudo e todos que atuassem contra essas premissas, mas sempre respeitando o ordenamento jurídico, a Constituição e a ética.

    Contudo, nos meses em que participei (se é que se pode dizer isso!), à exemplo do meu amigo pessoal EMÍDIO PRATA, cuja situação ainda é mais delicada, já que é um dos Coordenadores Gerais do Sindicato, verifiquei exatamente o contrário.

    No período da greve, não fomos convocados para qualquer reunião da diretoria, não nos foi dado acesso à pauta da diretoria, não participamos de qualquer decisão a respeito do atual plano, nem nos foi passada qualquer decisão das reuniões com as autoridades, prerrogativas que, como diretor e Coordenador Geral do sindicato, pensávamos ter. No caso do meu amigo Emídio, ele nem mesmo obteve da atual diretoria sua liberação, prevista por Lei, para desempenhar suas atividades sindicais em prol dos servidores.

    No meu caso específico, tive participação somente no comando da greve, juntamente com colegas do fórum onde exerço minha atividades, não como diretor do sindicato. Fui voto vencido na assembléia do comando, ao alertar que o fim da greve seria um erro, já que essa greve tinha alcançado expressão que há tempos não se via em nível nacional, sem falar que nada tínhamos de concreto, a não ser um suposto “acordo verbal”, que acabou por não se concretizar, como os fatos nos mostraram posteriormente.

    Durante esse período, fui convocado, por carta, para assembléia de aprovação de contas do sindicato, que aconteceria no dia seguinte e, para a minha surpresa, ao questionar a própria transparência e lisura do processo durante a assembléia, fui duramente alijado, tive a minha fala cortada pela diretoria e ainda fui instado a pedir a minha renúncia!

    Resolvi permanecer, apesar de tudo isso, com o intuito de ver os interesses dos analistas representados dentro do sindicato, no entanto os recentes acontecimentos políticos me fizeram ver que de nada adianta tentar nadar contra a maré.

    Foi com muito contragosto que vi o deputado Policarpo que supostamente representa os interesses dos servidores do Poder Judiciário, na condição de relator do PL, aprovar emenda mudando a nomenclatura dos oficiais de justiça, trazendo mais uma diferenciação entre eles e demais cargos do Judiciário e, rejeitar emenda para mudar a nomenclatura dos analistas ao argumento de que tal mudança geraria um separatismo entre os servidores, que aliás, por força de Lei, deve existir em razão das diferentes atribuições dos cargos.

    Mas a gota d’água a ensejar a minha atual decisão ocorreu em razão da apresentação, pelo mesmo deputado Policarpo, de projeto de lei objetivando conceder aposentadoria especial para, tão somente, oficiais de justiça e agentes de segurança do Poder Judiciário da União.

    Vale ressaltar que, na fundamentação do seu projeto de lei, o deputado que diz representar toda a categoria, se valeu de decisões judiciais proferidas em favor de associações de servidores do Judiciário de vários estados, que fizeram suas reinvindicações em caráter amplo, ou seja, em favor de todos os servidores irrestritamente e, apesar disso, deixou de lado (mais uma vez) analistas e técnicos judiciários em prol de sua luta em favor exclusivamente de agentes de segurança e oficiais de justiça que, diga-se de passagem, já possuem gratificação especial para o desempenho de suas atribuições, tudo com o apoio irrestrito e sem qualquer crítica do SINDJUS-DF. Quando é que o SINDJUS-DF verdadeiramente vai representar TODOS os servidores do Poder Judiciário? Da minha parte, vou tentar defender os interesses dos analistas trilhando outros caminhos.

    Diante de tudo isso, é com profundo pesar e consternação, e pedindo minhas desculpas a todos os analistas que confiaram seu voto na minha pessoa, que venho perante essa diretoria executiva manifestar a minha renúncia, em caráter irretratável, em relação ao meu cargo de suplente da diretoria do SINDJUS-DF.

    Brasília-DF, 17 de dezembro de 2012.



    ALEXANDRE GUIMARÃES FIALHO


    _________________

    Pessoal, associem-se à ANATA.
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 6687
    Reputação : 291
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin em Seg 14 Jan 2013, 8:03 pm

    Vcs já deram uma olhada nos preços? Tudo está subindo. Os 5% não servirão de refresco.


    _________________
    NO RACISM!
    avatar
    TRF1/MG
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 4844
    Reputação : 314
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por TRF1/MG em Seg 14 Jan 2013, 8:35 pm

    Galizezin escreveu:Vcs já deram uma olhada nos preços? Tudo está subindo. Os 5% não servirão de refresco.

    Esses 5% nao cobrem nem a inflacao deste ano passado. E segue o baile...
    Ti@go
    Ti@go
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : AJAJ
    Mensagens : 781
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 02/10/2011
    Idade : 36

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Ti@go em Seg 14 Jan 2013, 8:52 pm

    pernalonga escreveu:
    Aroldo Rique escreveu:
    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!!

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...

    É melhor deixar assentar a coisa antes de comomorar, esse pessoal graúdo da administração dos tribunais quando cai, costuma ser pra cima...

    Olá colegas de labuta, que 2013 venha com muitas conquistas para todos nós.

    Quanto ao fato dos graudos cairem para cima isso é verdade, já deve ter alguma boa CJ aguardando o rapaizinho aiii.

    Já no que se trata da carta de renúncia apresentada, quase que perdi o o meu café da tarde aqui em razão das náuseas.

    Quanta nojeira pra um sindicato só, zulivre viu.

    Falando nisso, a quantas anda a ação para anular a eleição? Já saiu a sentença pelo menos?

    No mais, gostaria de parabenizar os Administradores do fórum por terem decidido mantê-lo.

    Acho interessante também que seja mantido esse esquema de um tópico para cada coisa e que todas as manifestações que não tenham relação com o assunto sejam deletadas de imediato.

    Não dá para ficar lendo 15 páginas só para saber quais são as últimas.

    Isso afugenta principalmente o pessoal que está tendo um contato inicial com o fórum e que certamente se irrita com as postagens desnecessárias (com todo o respeito ao momento cultural do pessoal ai, hehehe, mas ficar postando músicas por aqui não dá né).

    Grande abraço e grande ano a todos.
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 6687
    Reputação : 291
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin em Seg 14 Jan 2013, 8:54 pm

    E o Sinasempu? Não consegue adiantar informação a respeito do rebaixamento, ou não, de duas progressões aos servidores do MPU? As férias foram pagas considerando o rebaixamento de duas posições, mas no holerite constou a antiga classe e respectivo padrão.


    _________________
    NO RACISM!
    Aroldo Rique
    Aroldo Rique
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5984
    Reputação : 40
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Aroldo Rique em Seg 14 Jan 2013, 9:02 pm

    Galizezin escreveu:E o Sinasempu? Não consegue adiantar informação a respeito do rebaixamento, ou não, de duas progressões aos servidores do MPU? As férias foram pagas considerando o rebaixamento de duas posições, mas no holerite constou a antiga classe e respectivo padrão.

    Secretário Geral e PGR não recebem ninguém há muito tempo.


    _________________

    Pessoal, associem-se à ANATA.
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
    moablopes
    moablopes
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Cargo : Analista
    Mensagens : 136
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 23/06/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por moablopes em Seg 14 Jan 2013, 9:29 pm

    No TRE-PE foram publicados agora à tarde os contracheques. Estão com os valores novos e rolam e-mails na intranet dizendo que os scripts enviados pelo TSE (para retornat à folha antiga) não serão executados.
    gugalc
    gugalc
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 372
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 27/07/2010
    Idade : 38
    Localização : João Pessoa/PB

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por gugalc em Seg 14 Jan 2013, 9:34 pm

    Aroldo Rique escreveu:Para os que ainda não viram (CARTA DE RENÚNCIA DE UM DIRETOR DO SINDJUS):

    Colegas,



    Espero que compreendam. Não posso mais compactuar com essa situação e permanecer de mãos atadas, sob pena de falhar com as pessoas que acreditaram em mim. Peço a quem puder que repassem para os colegas de sua caixa de correio para que todos saibam como o SINDJUS representa “toda” a categoria...



    Segue abaixo a minha carta de renúncia.







    CARTA DE RENÚNCIA



    Desde que fui chamado a integrar a nova Diretoria do SINDJUS-DF acreditei, pelas promessas daqueles que me convidaram, que estaria compondo uma nova diretoria, com uma nova visão, uma visão que buscaria a integração, o respeito e a igualdade a todas as categorias que compõem os servidores do Poder Judiciário da União no Distrito Federal.

    Achei, no íntimo de minha inocência no ambiente sindical, que essa nova diretoria, supostamente composta de representantes de todos os servidores, buscaria os direitos e resgataria o respeito aos servidores do Poder Judiciário de forma apartidária, contra tudo e todos que atuassem contra essas premissas, mas sempre respeitando o ordenamento jurídico, a Constituição e a ética.

    Contudo, nos meses em que participei (se é que se pode dizer isso!), à exemplo do meu amigo pessoal EMÍDIO PRATA, cuja situação ainda é mais delicada, já que é um dos Coordenadores Gerais do Sindicato, verifiquei exatamente o contrário.

    No período da greve, não fomos convocados para qualquer reunião da diretoria, não nos foi dado acesso à pauta da diretoria, não participamos de qualquer decisão a respeito do atual plano, nem nos foi passada qualquer decisão das reuniões com as autoridades, prerrogativas que, como diretor e Coordenador Geral do sindicato, pensávamos ter. No caso do meu amigo Emídio, ele nem mesmo obteve da atual diretoria sua liberação, prevista por Lei, para desempenhar suas atividades sindicais em prol dos servidores.

    No meu caso específico, tive participação somente no comando da greve, juntamente com colegas do fórum onde exerço minha atividades, não como diretor do sindicato. Fui voto vencido na assembléia do comando, ao alertar que o fim da greve seria um erro, já que essa greve tinha alcançado expressão que há tempos não se via em nível nacional, sem falar que nada tínhamos de concreto, a não ser um suposto “acordo verbal”, que acabou por não se concretizar, como os fatos nos mostraram posteriormente.

    Durante esse período, fui convocado, por carta, para assembléia de aprovação de contas do sindicato, que aconteceria no dia seguinte e, para a minha surpresa, ao questionar a própria transparência e lisura do processo durante a assembléia, fui duramente alijado, tive a minha fala cortada pela diretoria e ainda fui instado a pedir a minha renúncia!

    Resolvi permanecer, apesar de tudo isso, com o intuito de ver os interesses dos analistas representados dentro do sindicato, no entanto os recentes acontecimentos políticos me fizeram ver que de nada adianta tentar nadar contra a maré.

    Foi com muito contragosto que vi o deputado Policarpo que supostamente representa os interesses dos servidores do Poder Judiciário, na condição de relator do PL, aprovar emenda mudando a nomenclatura dos oficiais de justiça, trazendo mais uma diferenciação entre eles e demais cargos do Judiciário e, rejeitar emenda para mudar a nomenclatura dos analistas ao argumento de que tal mudança geraria um separatismo entre os servidores, que aliás, por força de Lei, deve existir em razão das diferentes atribuições dos cargos.

    Mas a gota d’água a ensejar a minha atual decisão ocorreu em razão da apresentação, pelo mesmo deputado Policarpo, de projeto de lei objetivando conceder aposentadoria especial para, tão somente, oficiais de justiça e agentes de segurança do Poder Judiciário da União.

    Vale ressaltar que, na fundamentação do seu projeto de lei, o deputado que diz representar toda a categoria, se valeu de decisões judiciais proferidas em favor de associações de servidores do Judiciário de vários estados, que fizeram suas reinvindicações em caráter amplo, ou seja, em favor de todos os servidores irrestritamente e, apesar disso, deixou de lado (mais uma vez) analistas e técnicos judiciários em prol de sua luta em favor exclusivamente de agentes de segurança e oficiais de justiça que, diga-se de passagem, já possuem gratificação especial para o desempenho de suas atribuições, tudo com o apoio irrestrito e sem qualquer crítica do SINDJUS-DF. Quando é que o SINDJUS-DF verdadeiramente vai representar TODOS os servidores do Poder Judiciário? Da minha parte, vou tentar defender os interesses dos analistas trilhando outros caminhos.

    Diante de tudo isso, é com profundo pesar e consternação, e pedindo minhas desculpas a todos os analistas que confiaram seu voto na minha pessoa, que venho perante essa diretoria executiva manifestar a minha renúncia, em caráter irretratável, em relação ao meu cargo de suplente da diretoria do SINDJUS-DF.

    Brasília-DF, 17 de dezembro de 2012.



    ALEXANDRE GUIMARÃES FIALHO

    Eu acho é pouco. Sabiam que seria assim desde o começo.
    epitaciosouza
    epitaciosouza
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 738
    Reputação : 6
    Data de inscrição : 01/09/2011

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por epitaciosouza em Seg 14 Jan 2013, 9:45 pm

    Diretor-geral do TSE é exonerado do cargo

    Felipe Recondo | Agência Estado

    Tags: TSE exoneração

    COMENTÁRIOS (0) -AA+
    O pagamento milionário de horas extras no Tribunal Superior Eleitoral foi um dos motivos que provocaram a exoneração do diretor-geral do TSE, Alcidez Diniz. Homem de confiança da presidente do tribunal, ministra Cármen Lúcia, Diniz estava no comando da administração do TSE desde o início da atual gestão.
    A secretária de Controle Interno e Auditoria do TSE, Mary Ellen Gleason Gomide Madruga, também foi exonerada. Na lista de beneficiários de horas extras, ela aparece como tendo recebido em novembro do ano passado mais de R$ 26 mil. De acordo com integrantes do tribunal, as duas exonerações estão diretamente ligadas ao pagamento de horas extras durante o processo eleitoral.
    Dados do próprio TSE, obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, mostram um descontrole no pagamento de horas extras no período eleitoral de 2012. Só em novembro, o gasto com esses adicionais foi de cerca de R$ 3,8 milhões para pagamento dos 567 funcionários que alegam ter dado expediente fora de hora. Entre setembro e novembro, essas horas extras totalizaram R$ 9,5 milhões.
    Somados aos salários, os valores adicionais permitiram a esse grupo de funcionários receber, no fim de novembro, mais do que os próprios ministros.

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    matrixjfrj
    matrixjfrj
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 47
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 03/12/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por matrixjfrj em Seg 14 Jan 2013, 9:50 pm

    kiel escreveu:E no MPU alguém sabe de alguma coisa sobre o pagamento em janeiro?

    e aí kiel, tudo tranquilo na férias?
    De volta à labuta, mp pra vc..rs. abraços
    m09rios
    m09rios
    Novo Usuário

    Mensagens : 1
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 14/01/2013

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por m09rios em Seg 14 Jan 2013, 10:19 pm

    [quote="Aroldo Rique"]
    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!![/quote

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...

    Senhore, não sou defensor de ninguém, mas é sabido que em ano de Eleição o TSE, TRE'S pagam hora extra e que são boas horas extras. Quanto ao Alcides, ele não caiu, ele pediu pra sair...e não vai cair pra cima como disse o colega numa outra msg..rsrsrs.
    anadmin
    anadmin
    Novo Usuário

    Mensagens : 13
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 14/01/2013

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por anadmin em Seg 14 Jan 2013, 11:00 pm

    O que o Alexandre Guimarães Fialho quer fazer agora é mea culpa!!! Sabia sim.... E agora quer dar uma de santo
    Reaper
    Reaper
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Pé-Duro
    Mensagens : 1772
    Reputação : 16
    Data de inscrição : 13/07/2010
    Idade : 39
    Localização : Santos/SP

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Reaper em Seg 14 Jan 2013, 11:40 pm

    Diretor-geral do TSE é exonerado do cargo

    ..O pagamento milionário de horas extras no Tribunal Superior Eleitoral foi um dos motivos que provocaram a exoneração do diretor-geral do TSE, Alcidez Diniz. Homem de confiança da presidente do tribunal, ministra Cármen Lúcia, Diniz estava no comando da administração do TSE desde o início da atual gestão.

    Leia também:
    Procurador de Justiça do PR é nomeado para ministro do STJ


    A secretária de Controle Interno e Auditoria do TSE, Mary Ellen Gleason Gomide Madruga, também foi exonerada. Na lista de beneficiários de horas extras, ela aparece como tendo recebido em novembro do ano passado mais de R$ 26 mil. De acordo com integrantes do tribunal, as duas exonerações estão diretamente ligadas ao pagamento de horas extras durante o processo eleitoral.


    Dados do próprio TSE, obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, mostram um descontrole no pagamento de horas extras no período eleitoral de 2012. Só em novembro, o gasto com esses adicionais foi de cerca de R$ 3,8 milhões para pagamento dos 567 funcionários que alegam ter dado expediente fora de hora. Entre setembro e novembro, essas horas extras totalizaram R$ 9,5 milhões.


    Somados aos salários, os valores adicionais permitiram a esse grupo de funcionários receber, no fim de novembro, mais do que os próprios ministros.

    ..
    pernalonga
    pernalonga
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2043
    Reputação : 825
    Data de inscrição : 25/04/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por pernalonga em Ter 15 Jan 2013, 2:13 am

    [quote="m09rios"]
    Aroldo Rique escreveu:
    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!![/quote

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...

    Senhore, não sou defensor de ninguém, mas é sabido que em ano de Eleição o TSE, TRE'S pagam hora extra e que são boas horas extras. Quanto ao Alcides, ele não caiu, ele pediu pra sair...e não vai cair pra cima como disse o colega numa outra msg..rsrsrs.


    É, de fato o cenário agora é outro, esse é o tipo de acusação que pode fazer dele um semi pé-duro: manterá suas incorporações, mas a CJ se foi e dificilmente conseguirá outra...
    naranjito
    naranjito
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Eleitor do PT
    Mensagens : 754
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 17/08/2011
    Idade : 89
    Localização : Fila do Bolsa-Família

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por naranjito em Ter 15 Jan 2013, 2:33 am

    [quote="pernalonga"]
    m09rios escreveu:
    Aroldo Rique escreveu:
    Muito_Ansioso escreveu:é nós na globo!!!

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

    R$ 38 mil de hora extra no TSE!!!

    Viva o judiciário!![/quote

    E o Alcides Diniz caiu, finalmente...

    Senhore, não sou defensor de ninguém, mas é sabido que em ano de Eleição o TSE, TRE'S pagam hora extra e que são boas horas extras. Quanto ao Alcides, ele não caiu, ele pediu pra sair...e não vai cair pra cima como disse o colega numa outra msg..rsrsrs.


    É, de fato o cenário agora é outro, esse é o tipo de acusação que pode fazer dele um semi pé-duro: manterá suas incorporações, mas a CJ se foi e dificilmente conseguirá outra...

    Como o mundo dá voltas... Antes eram os AAs. Hoje são só os AAAAHHHHH! (onomatopeia de nego despencando no precipício).

    Agora é costurar o nome do Amarildo na boca do sapo... :evil2:
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 6687
    Reputação : 291
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin em Ter 15 Jan 2013, 11:26 am

    Aroldo Rique escreveu:
    Galizezin escreveu:E o Sinasempu? Não consegue adiantar informação a respeito do rebaixamento, ou não, de duas progressões aos servidores do MPU? As férias foram pagas considerando o rebaixamento de duas posições, mas no holerite constou a antiga classe e respectivo padrão.

    Secretário Geral e PGR não recebem ninguém há muito tempo.

    Será que isso é fruto do planejamento estratégico? PRIORIZAR o capital humano?
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 6687
    Reputação : 291
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin em Ter 15 Jan 2013, 11:30 am

    Hehehehe...parece que o sindjusdf está tirando uma com a cara do PGR e do SG...


    Sindjus cobra discussão sobre jornada de trabalho com PGR

    O Sindjus encaminhou, na quarta-feira (9/1), ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ofício requerendo audiência para discutir a questão da jornada de trabalho no MPU. Segundo o documento, assinado pela coordenadora Ana Paula Cusinato, é imprescindível realizar o debate sobre a alteração da jornada de trabalho para seis horas e sobre o controle eletrônico de frequência.

    “No dia 08 de novembro passado, nós entregamos um abaixo assinado em prol da jornada de seis horas contendo 2.209 assinaturas de servidores do MPU lotados no DF. Até agora, não tivemos resposta da administração do Ministério Público. Por isso, há necessidade de tratarmos dessa questão diretamente com o PGR”, frisou Ana Paula.

    O pedido de audiência com Gurgel logo no início de janeiro atesta o interesse do sindicato em construir uma jornada mais justa no MPU. Essa é uma luta antiga do Sindjus que será fortalecida este ano com várias ações.


    _________________
    NO RACISM!
    camirecas
    camirecas
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : AJAAECJE
    Mensagens : 1546
    Reputação : 76
    Data de inscrição : 02/09/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por camirecas em Ter 15 Jan 2013, 5:40 pm

    Aroldo Rique escreveu:Para os que ainda não viram (CARTA DE RENÚNCIA DE UM DIRETOR DO SINDJUS):

    Colegas,



    Espero que compreendam. Não posso mais compactuar com essa situação e permanecer de mãos atadas, sob pena de falhar com as pessoas que acreditaram em mim. Peço a quem puder que repassem para os colegas de sua caixa de correio para que todos saibam como o SINDJUS representa “toda” a categoria...



    Segue abaixo a minha carta de renúncia.







    CARTA DE RENÚNCIA



    Desde que fui chamado a integrar a nova Diretoria do SINDJUS-DF acreditei, pelas promessas daqueles que me convidaram, que estaria compondo uma nova diretoria, com uma nova visão, uma visão que buscaria a integração, o respeito e a igualdade a todas as categorias que compõem os servidores do Poder Judiciário da União no Distrito Federal.

    Achei, no íntimo de minha inocência no ambiente sindical, que essa nova diretoria, supostamente composta de representantes de todos os servidores, buscaria os direitos e resgataria o respeito aos servidores do Poder Judiciário de forma apartidária, contra tudo e todos que atuassem contra essas premissas, mas sempre respeitando o ordenamento jurídico, a Constituição e a ética.

    Contudo, nos meses em que participei (se é que se pode dizer isso!), à exemplo do meu amigo pessoal EMÍDIO PRATA, cuja situação ainda é mais delicada, já que é um dos Coordenadores Gerais do Sindicato, verifiquei exatamente o contrário.

    No período da greve, não fomos convocados para qualquer reunião da diretoria, não nos foi dado acesso à pauta da diretoria, não participamos de qualquer decisão a respeito do atual plano, nem nos foi passada qualquer decisão das reuniões com as autoridades, prerrogativas que, como diretor e Coordenador Geral do sindicato, pensávamos ter. No caso do meu amigo Emídio, ele nem mesmo obteve da atual diretoria sua liberação, prevista por Lei, para desempenhar suas atividades sindicais em prol dos servidores.

    No meu caso específico, tive participação somente no comando da greve, juntamente com colegas do fórum onde exerço minha atividades, não como diretor do sindicato. Fui voto vencido na assembléia do comando, ao alertar que o fim da greve seria um erro, já que essa greve tinha alcançado expressão que há tempos não se via em nível nacional, sem falar que nada tínhamos de concreto, a não ser um suposto “acordo verbal”, que acabou por não se concretizar, como os fatos nos mostraram posteriormente.

    Durante esse período, fui convocado, por carta, para assembléia de aprovação de contas do sindicato, que aconteceria no dia seguinte e, para a minha surpresa, ao questionar a própria transparência e lisura do processo durante a assembléia, fui duramente alijado, tive a minha fala cortada pela diretoria e ainda fui instado a pedir a minha renúncia!

    Resolvi permanecer, apesar de tudo isso, com o intuito de ver os interesses dos analistas representados dentro do sindicato, no entanto os recentes acontecimentos políticos me fizeram ver que de nada adianta tentar nadar contra a maré.

    Foi com muito contragosto que vi o deputado Policarpo que supostamente representa os interesses dos servidores do Poder Judiciário, na condição de relator do PL, aprovar emenda mudando a nomenclatura dos oficiais de justiça, trazendo mais uma diferenciação entre eles e demais cargos do Judiciário e, rejeitar emenda para mudar a nomenclatura dos analistas ao argumento de que tal mudança geraria um separatismo entre os servidores, que aliás, por força de Lei, deve existir em razão das diferentes atribuições dos cargos.

    Mas a gota d’água a ensejar a minha atual decisão ocorreu em razão da apresentação, pelo mesmo deputado Policarpo, de projeto de lei objetivando conceder aposentadoria especial para, tão somente, oficiais de justiça e agentes de segurança do Poder Judiciário da União.

    Vale ressaltar que, na fundamentação do seu projeto de lei, o deputado que diz representar toda a categoria, se valeu de decisões judiciais proferidas em favor de associações de servidores do Judiciário de vários estados, que fizeram suas reinvindicações em caráter amplo, ou seja, em favor de todos os servidores irrestritamente e, apesar disso, deixou de lado (mais uma vez) analistas e técnicos judiciários em prol de sua luta em favor exclusivamente de agentes de segurança e oficiais de justiça que, diga-se de passagem, já possuem gratificação especial para o desempenho de suas atribuições, tudo com o apoio irrestrito e sem qualquer crítica do SINDJUS-DF. Quando é que o SINDJUS-DF verdadeiramente vai representar TODOS os servidores do Poder Judiciário? Da minha parte, vou tentar defender os interesses dos analistas trilhando outros caminhos.

    Diante de tudo isso, é com profundo pesar e consternação, e pedindo minhas desculpas a todos os analistas que confiaram seu voto na minha pessoa, que venho perante essa diretoria executiva manifestar a minha renúncia, em caráter irretratável, em relação ao meu cargo de suplente da diretoria do SINDJUS-DF.

    Brasília-DF, 17 de dezembro de 2012.



    ALEXANDRE GUIMARÃES FIALHO


    Interessante!!
    Só não gosto da resignação: ...os recentes acontecimentos políticos me fizeram ver que de nada adianta tentar nadar contra a maré.
    mpuh
    mpuh
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 140
    Reputação : 5
    Data de inscrição : 03/09/2012

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por mpuh em Ter 15 Jan 2013, 8:47 pm

    NOTÍCIAS

    Turma Recursal do DF esclarece a natureza da VPI e determina a aplicação do índice de 13,23% a todos os servidores
    (15/01/2013)
    A vantagem criada para repor perdas salariais, na verdade, elevou o índice de revisão geral de vencimentos, devendo ser repassada a todos no mesmo valor



    Servidor público ingressou com ação contra a União Federal requerendo o recebimento do maior índice concedido a título de Vantagem Pecuniária Individual (VPI). Representado pelo escritório Wagner Advogados Associados, o autor da ação assegurou o recebimento da parcela através de decisão da Turma Recursal do Juizado Especial Federal do Distrito Federal.

    A Vantagem Pecuniária Individual (VPI) foi criada em função da revisão geral anual de vencimentos, remunerações, subsídios, proventos e pensões dos servidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, das autarquias e fundações públicas. O repasse da vantagem em um valor fixo objetivava repor perdas salariais sofridas pelos servidores, resultando numa recomposição de até 13,23% aos vencimentos daqueles que recebiam as menores remunerações.

    Contudo, a parcela instituída elevou o percentual da revisão geral com um índice diferenciado entre os servidores, o que gerou o direito, agora reconhecido, à sua concessão igual para todos. A Turma Recursal do JEF/DF, seguindo decisões precedentes do TRF da 1ª Região, julgou justa e necessária a aplicação do maior índice da vantagem a todos os servidores dos três poderes, autarquias e fundações, descontando-se os valores já repassados referentes à mesma parcela.

    O advogado Luiz Antonio Müller Marques, sócio de Wagner Advogados Associados, explica que essa decisão é uma mudança completa de entendimento da Turma Recursal, posto que a mesma posicionava-se contrária ao reajuste. A nova orientação segue a mudança de entendimento ocorrida junto ao TRF da 1ª Região.

    Fonte: Wagner Advogados Associados
    rodfat
    rodfat
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1966
    Reputação : 4
    Data de inscrição : 06/08/2010
    Localização : Acari/RN

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por rodfat em Ter 15 Jan 2013, 10:33 pm

    mpuh escreveu:NOTÍCIAS

    Turma Recursal do DF esclarece a natureza da VPI e determina a aplicação do índice de 13,23% a todos os servidores
    (15/01/2013)
    A vantagem criada para repor perdas salariais, na verdade, elevou o índice de revisão geral de vencimentos, devendo ser repassada a todos no mesmo valor



    Servidor público ingressou com ação contra a União Federal requerendo o recebimento do maior índice concedido a título de Vantagem Pecuniária Individual (VPI). Representado pelo escritório Wagner Advogados Associados, o autor da ação assegurou o recebimento da parcela através de decisão da Turma Recursal do Juizado Especial Federal do Distrito Federal.

    A Vantagem Pecuniária Individual (VPI) foi criada em função da revisão geral anual de vencimentos, remunerações, subsídios, proventos e pensões dos servidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, das autarquias e fundações públicas. O repasse da vantagem em um valor fixo objetivava repor perdas salariais sofridas pelos servidores, resultando numa recomposição de até 13,23% aos vencimentos daqueles que recebiam as menores remunerações.

    Contudo, a parcela instituída elevou o percentual da revisão geral com um índice diferenciado entre os servidores, o que gerou o direito, agora reconhecido, à sua concessão igual para todos. A Turma Recursal do JEF/DF, seguindo decisões precedentes do TRF da 1ª Região, julgou justa e necessária a aplicação do maior índice da vantagem a todos os servidores dos três poderes, autarquias e fundações, descontando-se os valores já repassados referentes à mesma parcela.

    O advogado Luiz Antonio Müller Marques, sócio de Wagner Advogados Associados, explica que essa decisão é uma mudança completa de entendimento da Turma Recursal, posto que a mesma posicionava-se contrária ao reajuste. A nova orientação segue a mudança de entendimento ocorrida junto ao TRF da 1ª Região.

    Fonte: Wagner Advogados Associados


    Temos chance de receber essa VPNI?

    Conteúdo patrocinado

    Tópico Geral Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua 21 Ago 2019, 5:25 pm