PCS JÁ

PCS JÁ



    PCS - PL 2648/2015

    androsvilazza
    androsvilazza
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2756
    Reputação : 522
    Data de inscrição : 22/01/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por androsvilazza Sex 03 Jun 2016, 2:58 pm

    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    Nãããããoooo!!
    Cerealguy

    Vai começar a discussão eterna sobre os índices, de novo!
    Daniel Fernandes - SJRJ
    Daniel Fernandes - SJRJ
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 245
    Reputação : 8
    Data de inscrição : 26/04/2012

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Daniel Fernandes - SJRJ Sex 03 Jun 2016, 2:59 pm

    Calculo empiricamente hoje, em torno de 50%. Ao final desse plano, deve baixar pruns 42%. Chutômetro.
    servidoratre
    servidoratre
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 39
    Reputação : 12
    Data de inscrição : 02/12/2014

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por servidoratre Sex 03 Jun 2016, 3:02 pm

    Ontem fiz uma publicação mandando todo mundo tomar no centro... cambada de invejosos da p! Explicar o q pra quem ? um bando de incapaz! tem mais q se ferrar mesmo
    Lisalesaelouca
    Lisalesaelouca
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Judiciário- Batedora de Meta conforme proposta lixo
    Mensagens : 691
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 06/09/2011
    Localização : Brasília/DF

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Lisalesaelouca Sex 03 Jun 2016, 3:07 pm

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    Obrigada, colega, pelo simulador. Muito bom. cheers cheers cheers
    Sem Frescura
    Sem Frescura
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 3056
    Reputação : 408
    Data de inscrição : 13/07/2010

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Sem Frescura Sex 03 Jun 2016, 3:09 pm

    servidoratre escreveu:Ontem fiz uma publicação mandando todo mundo tomar no centro... cambada de invejosos da p! Explicar o q pra quem ? um bando de incapaz! tem mais q se ferrar mesmo

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    sprg4
    sprg4
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 434
    Reputação : 34
    Data de inscrição : 01/06/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por sprg4 Sex 03 Jun 2016, 3:11 pm

    Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    Lisalesaelouca
    Lisalesaelouca
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Judiciário- Batedora de Meta conforme proposta lixo
    Mensagens : 691
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 06/09/2011
    Localização : Brasília/DF

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Lisalesaelouca Sex 03 Jun 2016, 3:14 pm

    sprg4 escreveu:Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    O que o Cristóvão falou?
    pclima82
    pclima82
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 274
    Reputação : 28
    Data de inscrição : 16/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por pclima82 Sex 03 Jun 2016, 3:14 pm

    Mas é claro que a nossa querida presidanta pagou o cabeleireiro com grana roubada da Petrobrás e vai ocupar o Jornal Nacional de hoje, tornando-nos notícia de ontem. Pelo menos agora essa senhora (queria falar um palavrão) tá sendo útil para alguma coisa.
    fairbanks
    fairbanks
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 182
    Reputação : 8
    Data de inscrição : 24/11/2014

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por fairbanks Sex 03 Jun 2016, 3:15 pm

    Lisalesaelouca escreveu:
    sprg4 escreveu:Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    O que o Cristóvão falou?

    Que sim.
    pclima82
    pclima82
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 274
    Reputação : 28
    Data de inscrição : 16/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por pclima82 Sex 03 Jun 2016, 3:15 pm

    Lisalesaelouca escreveu:
    sprg4 escreveu:Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    O que o Cristóvão falou?

    Esses senadores estã ose fazendo de indecisos para ganhar um carinho.  Ninguém é louco de fazer voltar a Dilma.
    MPF SP
    MPF SP
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Administrativo
    Mensagens : 2150
    Reputação : 218
    Data de inscrição : 17/09/2014
    Idade : 32
    Localização : São Paulo

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por MPF SP Sex 03 Jun 2016, 3:20 pm

    pclima82 escreveu:
    Lisalesaelouca escreveu:
    sprg4 escreveu:Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    O que o Cristóvão falou?

    Esses senadores estã ose fazendo de indecisos para ganhar um carinho.  Ninguém é louco de fazer voltar a Dilma.

    Concordo, economia recuperando, reajustes sendo aprovados, só falta o desemprego cair e ainda tem pelego querendo a volta da Dilma ?

    Até os sindicatos perderam o poder de sacanear os servidores e estão sendo alijados, quem ganha são os verdadeiros servidores que terão recomposição, mesmo que a menor do que teríamos direito.
    Reajuste
    Reajuste
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 227
    Reputação : 20
    Data de inscrição : 02/06/2015
    Idade : 32

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Reajuste Sex 03 Jun 2016, 3:27 pm

    Deixem a mídia falar o que quiser esse leitinho já está garantido.

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    tre-rj
    tre-rj
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1534
    Reputação : 118
    Data de inscrição : 06/07/2010

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por tre-rj Sex 03 Jun 2016, 3:31 pm

    Até o planejamento usando de malandragem, a nosso favor!, ao informar que nossos vencimentos estao congelados ha 9 anos (sei que estao congelados mas nao o salario).

    Em nota publicada nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento afirma que não houve "criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas".

    A Folha mostrou nesta sexta-feira que a Câmara aprovou um projeto de lei que cria 14 mil novos postos na administração federal. A reportagem não afirma que haverá aumento de despesas.

    O mesmo texto aprovado pelos deputados na quarta-feira também extingue cargos. Mas esses hoje estão vagos e já não representavam despesas para o governo. Portanto, uma vez criados e realizados concursos para as áreas, a criação dos postos implica novas ocupações.

    Na justificativa do projeto de lei aprovado, o próprio ministério afirma que parte dos cargos extintos "sequer vêm sendo objeto de autorização de concursos", por não atenderem mais às necessidades do governo.

    Na nota, o Ministério do Planejamento diz também que todos os cargos criados "serão mantidos vagos". "A legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e esta medida deve ser mantida em 2017."

    Na avaliação de um técnico do governo, a extinção dos cargos não compensa a criação dos novos postos, porque foram em grande parte cortados postos de carreiras mais antigas, que teriam mais dificuldades de ser preenchidos, e criados cargos com expectativa de ocupação.

    Os 14 mil novos postos criados representam quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano.

    Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação —são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

    A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

    *

    Leia a íntegra da nota:

    Ao contrário de notícias veiculadas pela imprensa nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão esclarece que:

    1 - Não houve criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas. O que houve foi a compensação com a extinção de outros cargos equivalentes.

    2 - O Projeto de Lei 4.253 2015, em seu artigo 149 é claríssimo: "A criação de cargos a que se referem os artigos 3º, art. 42, 43 e 47 ocorrerá sem aumento de despesa, pela compensação entre os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos vagos extintos e os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos e das funções criadas".

    3 - Todos os cargos remanejados serão mantidos vagos uma vez que a legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e que esta medida deve ser mantida em 2017. Esclarecendo-se mais uma vez que não haverá aumento de despesa.

    4 - Por sua vez, a recomposição parcial das perdas provocadas pela inflação a categorias do funcionalismo do governo federal foi diluída em até quatro anos nas medidas aprovadas pela Câmara dos Deputados. Entrarão em vigor a partir de agosto deste ano com impacto orçamentário de R$ 7 bilhões. Esse valor já estava previsto no Orçamento Geral da União de 2016, além de contabilizado no déficit previsto de R$ 96 bilhões pelo governo anterior.

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.
    Blumenau
    Blumenau
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1003
    Reputação : 138
    Data de inscrição : 20/05/2015
    Idade : 55
    Localização : Blumenau/SC

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Blumenau Sex 03 Jun 2016, 3:34 pm

    androsvilazza escreveu:
    Rodssss escreveu:
    Leugim escreveu:
    josebarbos escreveu:Um raríssimo caso de análise ponderada do cara:
    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    Tipo de jornalista que, com esta imparcialidade, merece ter mais artigos lidos.

    Pena que já tem um cara lá nos comentários da página "descendo o cacete" no jornalista...


    E com argumentos estilo seu Creison.
    dados jogados ao vento sem nenhum compromisso com a lógica.

    Cara que estuda/estudou no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca vir falar mal de servidor público rsrs... Ou será que no CEFET dele só tinha parede ensinando aos alunos?
    Muita abobrinha junto, o cara passa vida pendurado nas tetas do governo, mesmo "sem saber", e vem com blablabla falando de prefeitura, vereador, coisas completamente sem ligação com os projetos aprovados. Pelo tom das "críticas", deve ser mais um discípulo arrotando as bobagens pregadas pelo Olavo de Carvalho, o "patriota" que prefere não morar no Brasil.

    Exatamente !!

    ok
    Lucas Sol
    Lucas Sol
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1072
    Reputação : 81
    Data de inscrição : 24/05/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Lucas Sol Sex 03 Jun 2016, 3:45 pm

    É isso aí, tá na iniciativa privada? Problema teu!


    servidoratre escreveu:Ontem fiz uma publicação mandando todo mundo tomar no centro... cambada de invejosos da p! Explicar o q pra quem ? um bando de incapaz! tem mais q se ferrar mesmo
    pclima82
    pclima82
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 274
    Reputação : 28
    Data de inscrição : 16/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por pclima82 Sex 03 Jun 2016, 3:45 pm

    tre-rj escreveu:Até o planejamento usando de malandragem, a nosso favor!, ao informar que nossos vencimentos estao congelados ha 9 anos (sei que estao congelados mas nao o salario).

    Em nota publicada nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento afirma que não houve "criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas".

    A Folha mostrou nesta sexta-feira que a Câmara aprovou um projeto de lei que cria 14 mil novos postos na administração federal. A reportagem não afirma que haverá aumento de despesas.

    O mesmo texto aprovado pelos deputados na quarta-feira também extingue cargos. Mas esses hoje estão vagos e já não representavam despesas para o governo. Portanto, uma vez criados e realizados concursos para as áreas, a criação dos postos implica novas ocupações.

    Na justificativa do projeto de lei aprovado, o próprio ministério afirma que parte dos cargos extintos "sequer vêm sendo objeto de autorização de concursos", por não atenderem mais às necessidades do governo.

    Na nota, o Ministério do Planejamento diz também que todos os cargos criados "serão mantidos vagos". "A legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e esta medida deve ser mantida em 2017."

    Na avaliação de um técnico do governo, a extinção dos cargos não compensa a criação dos novos postos, porque foram em grande parte cortados postos de carreiras mais antigas, que teriam mais dificuldades de ser preenchidos, e criados cargos com expectativa de ocupação.

    Os 14 mil novos postos criados representam quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano.

    Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação —são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

    A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

    *

    Leia a íntegra da nota:

    Ao contrário de notícias veiculadas pela imprensa nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão esclarece que:

    1 - Não houve criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas. O que houve foi a compensação com a extinção de outros cargos equivalentes.

    2 - O Projeto de Lei 4.253 2015, em seu artigo 149 é claríssimo: "A criação de cargos a que se referem os artigos 3º, art. 42, 43 e 47 ocorrerá sem aumento de despesa, pela compensação entre os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos vagos extintos e os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos e das funções criadas".

    3 - Todos os cargos remanejados serão mantidos vagos uma vez que a legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e que esta medida deve ser mantida em 2017. Esclarecendo-se mais uma vez que não haverá aumento de despesa.

    4 - Por sua vez, a recomposição parcial das perdas provocadas pela inflação a categorias do funcionalismo do governo federal foi diluída em até quatro anos nas medidas aprovadas pela Câmara dos Deputados. Entrarão em vigor a partir de agosto deste ano com impacto orçamentário de R$ 7 bilhões. Esse valor já estava previsto no Orçamento Geral da União de 2016, além de contabilizado no déficit previsto de R$ 96 bilhões pelo governo anterior.

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.

    Tô falando... nosso maior defensor se chama Michel Temer. Temos obrigação de em 2018 sair em campanha para ele. E mais, temos que apoiá-lo AGORA para que ele não sucumba às pressões da mídia e mude de ideia.

    Os petistas devem estar se rasgando.

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]

    Se espirrar, saúde Presidente.
    rijomo2015
    rijomo2015
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 337
    Reputação : 19
    Data de inscrição : 07/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por rijomo2015 Sex 03 Jun 2016, 3:47 pm

    pclima82 escreveu:
    tre-rj escreveu:Até o planejamento usando de malandragem, a nosso favor!, ao informar que nossos vencimentos estao congelados ha 9 anos (sei que estao congelados mas nao o salario).

    Em nota publicada nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento afirma que não houve "criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas".

    A Folha mostrou nesta sexta-feira que a Câmara aprovou um projeto de lei que cria 14 mil novos postos na administração federal. A reportagem não afirma que haverá aumento de despesas.

    O mesmo texto aprovado pelos deputados na quarta-feira também extingue cargos. Mas esses hoje estão vagos e já não representavam despesas para o governo. Portanto, uma vez criados e realizados concursos para as áreas, a criação dos postos implica novas ocupações.

    Na justificativa do projeto de lei aprovado, o próprio ministério afirma que parte dos cargos extintos "sequer vêm sendo objeto de autorização de concursos", por não atenderem mais às necessidades do governo.

    Na nota, o Ministério do Planejamento diz também que todos os cargos criados "serão mantidos vagos". "A legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e esta medida deve ser mantida em 2017."

    Na avaliação de um técnico do governo, a extinção dos cargos não compensa a criação dos novos postos, porque foram em grande parte cortados postos de carreiras mais antigas, que teriam mais dificuldades de ser preenchidos, e criados cargos com expectativa de ocupação.

    Os 14 mil novos postos criados representam quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano.

    Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação —são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

    A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

    *

    Leia a íntegra da nota:

    Ao contrário de notícias veiculadas pela imprensa nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão esclarece que:

    1 - Não houve criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas. O que houve foi a compensação com a extinção de outros cargos equivalentes.

    2 - O Projeto de Lei 4.253 2015, em seu artigo 149 é claríssimo: "A criação de cargos a que se referem os artigos 3º, art. 42, 43 e 47 ocorrerá sem aumento de despesa, pela compensação entre os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos vagos extintos e os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos e das funções criadas".

    3 - Todos os cargos remanejados serão mantidos vagos uma vez que a legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e que esta medida deve ser mantida em 2017. Esclarecendo-se mais uma vez que não haverá aumento de despesa.

    4 - Por sua vez, a recomposição parcial das perdas provocadas pela inflação a categorias do funcionalismo do governo federal foi diluída em até quatro anos nas medidas aprovadas pela Câmara dos Deputados. Entrarão em vigor a partir de agosto deste ano com impacto orçamentário de R$ 7 bilhões. Esse valor já estava previsto no Orçamento Geral da União de 2016, além de contabilizado no déficit previsto de R$ 96 bilhões pelo governo anterior.

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.

    Tô falando... nosso maior defensor se chama Michel Temer. Temos obrigação de em 2018 sair em campanha para ele. E mais, temos que apoiá-lo AGORA para que ele não sucumba às pressões da mídia e mude de ideia.

    Os petistas devem estar se rasgando.

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]

    Se espirrar, saúde Presidente.
    like
    Rodssss
    Rodssss
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 813
    Reputação : 99
    Data de inscrição : 27/03/2014

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Rodssss Sex 03 Jun 2016, 3:50 pm

    androsvilazza escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    Nãããããoooo!!
    Cerealguy

    Vai começar a discussão eterna sobre os índices, de novo!

    ipca de 01/01/2006 a 01/03/2016 tem um acumulo de 82% de inflação se você corrigir 1 real hoje deveria ser 1,82 .
    Ou seja considerando os 15% de recomposição já aplicada nos anos de governo do capiroto de saia ainda falta recompor 58% de defasagem referente até a data de 01/03/2016 isso sem considerar o que vem de inflação até 2019.
    Papa Mike em QRU
    Papa Mike em QRU
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Soldadinho amarelo
    Mensagens : 798
    Reputação : 17
    Data de inscrição : 21/05/2012
    Localização : Crateús - CE

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Papa Mike em QRU Sex 03 Jun 2016, 4:04 pm

    Lisalesaelouca escreveu:
    sprg4 escreveu:Critovam Buarque foi almoçar com Temer. O interino deve ter apertado ele sobre a declaração de ontem. E aí, cara, quer me fod...?
    O que o Cristóvão falou?

    Que faltou um adjetivo no seu nome.
    drhoff
    drhoff
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Escravo
    Mensagens : 607
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 21/05/2015
    Idade : 96
    Localização : Cavalocity.

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por drhoff Sex 03 Jun 2016, 4:05 pm

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.

    Eta governinho bom, duvido q o governo daquele doida varrida iria defender os servidores, além do mais os do judiciário.
    Como sempre disse, tudo depende do chefe do executivo.
    cangaceiro
    cangaceiro
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 213
    Reputação : 17
    Data de inscrição : 02/06/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por cangaceiro Sex 03 Jun 2016, 4:08 pm

    O PL vai passar. Os caras vão derrubar mesmo é a criação de cargos.


    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    Jaspion
    Jaspion
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico
    Mensagens : 1031
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 06/08/2012

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Jaspion Sex 03 Jun 2016, 4:15 pm

    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%
    grazi
    grazi
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Processual
    Mensagens : 511
    Reputação : 135
    Data de inscrição : 07/07/2010
    Localização : PGR

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por grazi Sex 03 Jun 2016, 4:17 pm

    Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%
    mridazi
    mridazi
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 83
    Reputação : 23
    Data de inscrição : 05/06/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por mridazi Sex 03 Jun 2016, 4:24 pm

    tre-rj escreveu:Até o planejamento usando de malandragem, a nosso favor!, ao informar que nossos vencimentos estao congelados ha 9 anos (sei que estao congelados mas nao o salario).

    Em nota publicada nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento afirma que não houve "criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas".

    A Folha mostrou nesta sexta-feira que a Câmara aprovou um projeto de lei que cria 14 mil novos postos na administração federal. A reportagem não afirma que haverá aumento de despesas.

    O mesmo texto aprovado pelos deputados na quarta-feira também extingue cargos. Mas esses hoje estão vagos e já não representavam despesas para o governo. Portanto, uma vez criados e realizados concursos para as áreas, a criação dos postos implica novas ocupações.

    Na justificativa do projeto de lei aprovado, o próprio ministério afirma que parte dos cargos extintos "sequer vêm sendo objeto de autorização de concursos", por não atenderem mais às necessidades do governo.

    Na nota, o Ministério do Planejamento diz também que todos os cargos criados "serão mantidos vagos". "A legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e esta medida deve ser mantida em 2017."

    Na avaliação de um técnico do governo, a extinção dos cargos não compensa a criação dos novos postos, porque foram em grande parte cortados postos de carreiras mais antigas, que teriam mais dificuldades de ser preenchidos, e criados cargos com expectativa de ocupação.

    Os 14 mil novos postos criados representam quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano.

    Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação —são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

    A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

    *

    Leia a íntegra da nota:

    Ao contrário de notícias veiculadas pela imprensa nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão esclarece que:

    1 - Não houve criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas. O que houve foi a compensação com a extinção de outros cargos equivalentes.

    2 - O Projeto de Lei 4.253 2015, em seu artigo 149 é claríssimo: "A criação de cargos a que se referem os artigos 3º, art. 42, 43 e 47 ocorrerá sem aumento de despesa, pela compensação entre os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos vagos extintos e os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos e das funções criadas".

    3 - Todos os cargos remanejados serão mantidos vagos uma vez que a legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e que esta medida deve ser mantida em 2017. Esclarecendo-se mais uma vez que não haverá aumento de despesa.

    4 - Por sua vez, a recomposição parcial das perdas provocadas pela inflação a categorias do funcionalismo do governo federal foi diluída em até quatro anos nas medidas aprovadas pela Câmara dos Deputados. Entrarão em vigor a partir de agosto deste ano com impacto orçamentário de R$ 7 bilhões. Esse valor já estava previsto no Orçamento Geral da União de 2016, além de contabilizado no déficit previsto de R$ 96 bilhões pelo governo anterior.

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.


    Meu Deus, será que estou sonhando?

    O governo e o MPGO contando a verdade!!
    Depois do que passamos com o Dilmônio, Nelson Barbosa e toda a corja é até de se emocionar ler essas linhas.
    Vida longa a Temer!!
    Os Petralhas do Judiciário piram!!!
    rijomo2015
    rijomo2015
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 337
    Reputação : 19
    Data de inscrição : 07/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por rijomo2015 Sex 03 Jun 2016, 4:28 pm

    mridazi escreveu:
    tre-rj escreveu:Até o planejamento usando de malandragem, a nosso favor!, ao informar que nossos vencimentos estao congelados ha 9 anos (sei que estao congelados mas nao o salario).

    Em nota publicada nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento afirma que não houve "criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas".

    A Folha mostrou nesta sexta-feira que a Câmara aprovou um projeto de lei que cria 14 mil novos postos na administração federal. A reportagem não afirma que haverá aumento de despesas.

    O mesmo texto aprovado pelos deputados na quarta-feira também extingue cargos. Mas esses hoje estão vagos e já não representavam despesas para o governo. Portanto, uma vez criados e realizados concursos para as áreas, a criação dos postos implica novas ocupações.

    Na justificativa do projeto de lei aprovado, o próprio ministério afirma que parte dos cargos extintos "sequer vêm sendo objeto de autorização de concursos", por não atenderem mais às necessidades do governo.

    Na nota, o Ministério do Planejamento diz também que todos os cargos criados "serão mantidos vagos". "A legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e esta medida deve ser mantida em 2017."

    Na avaliação de um técnico do governo, a extinção dos cargos não compensa a criação dos novos postos, porque foram em grande parte cortados postos de carreiras mais antigas, que teriam mais dificuldades de ser preenchidos, e criados cargos com expectativa de ocupação.

    Os 14 mil novos postos criados representam quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano.

    Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação —são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

    A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

    *

    Leia a íntegra da nota:

    Ao contrário de notícias veiculadas pela imprensa nesta sexta-feira (3), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão esclarece que:

    1 - Não houve criação de novos cargos na administração federal, que gerasse aumento de despesas. O que houve foi a compensação com a extinção de outros cargos equivalentes.

    2 - O Projeto de Lei 4.253 2015, em seu artigo 149 é claríssimo: "A criação de cargos a que se referem os artigos 3º, art. 42, 43 e 47 ocorrerá sem aumento de despesa, pela compensação entre os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos vagos extintos e os valores correspondentes à totalidade da remuneração dos cargos e das funções criadas".

    3 - Todos os cargos remanejados serão mantidos vagos uma vez que a legislação orçamentária impede a realização de concursos este ano e que esta medida deve ser mantida em 2017. Esclarecendo-se mais uma vez que não haverá aumento de despesa.

    4 - Por sua vez, a recomposição parcial das perdas provocadas pela inflação a categorias do funcionalismo do governo federal foi diluída em até quatro anos nas medidas aprovadas pela Câmara dos Deputados. Entrarão em vigor a partir de agosto deste ano com impacto orçamentário de R$ 7 bilhões. Esse valor já estava previsto no Orçamento Geral da União de 2016, além de contabilizado no déficit previsto de R$ 96 bilhões pelo governo anterior.

    5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.


    Meu Deus, será que estou sonhando?

    O governo e o MPGO contando a verdade!!
    Depois do que passamos com o Dilmônio, Nelson Barbosa e toda a corja é até de se emocionar ler essas linhas.
    Vida longa a Temer!!
    Os Petralhas do Judiciário piram!!!
    like like like
    Daniel Fernandes - SJRJ
    Daniel Fernandes - SJRJ
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 245
    Reputação : 8
    Data de inscrição : 26/04/2012

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Daniel Fernandes - SJRJ Sex 03 Jun 2016, 4:31 pm

    15,8% foi sobre a folha. Na prática foram 27% no contracheque.

    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%
    Jaspion
    Jaspion
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico
    Mensagens : 1031
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 06/08/2012

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Jaspion Sex 03 Jun 2016, 4:33 pm

    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%

    Verdade Grazi, foi 26,7%.

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 26,7%

    Defasagem em 04/2016 = 40,1%
    VadeMekum
    VadeMekum
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1309
    Reputação : 193
    Data de inscrição : 11/05/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por VadeMekum Sex 03 Jun 2016, 4:36 pm

    A notinha do MPOG poderia ser melhor se esclarecesse aos urubus de plantão que o "grandioso" reajuste do Judiciário será de apenas 4,5% ao ano, totalizando pouco mais de 20% ao cabo de longos 04 anos.

    4,5% ao ano não cobre nem a inflação acumulada de 2016.

    P.S.: aos noobs: percentuais referentes a impacto sobre a folha de pagamento.
    VadeMekum
    VadeMekum
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1309
    Reputação : 193
    Data de inscrição : 11/05/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por VadeMekum Sex 03 Jun 2016, 4:39 pm

    Daniel Fernandes - SJRJ escreveu:15,8% foi sobre a folha. Na prática foram 27% no contracheque.

    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%

    Sim, mas perante a mídia, a boa cautela recomenda divulgar o percentual sobre a folha. E melhor ainda se divulgar os percentuais anuais, que foram meramente da ordem de 5,5% a.a - na minha opinião, melhor evitar comentar sobre percentuais "integralizados".
    RVMS
    RVMS
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1355
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 29/07/2011

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por RVMS Sex 03 Jun 2016, 4:42 pm

    Porque a nota fala em implementação em 05 (cinco) anos?
    grazi
    grazi
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : Analista Processual
    Mensagens : 511
    Reputação : 135
    Data de inscrição : 07/07/2010
    Localização : PGR

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por grazi Sex 03 Jun 2016, 4:43 pm

    Verdade

    VadeMekum escreveu:
    Daniel Fernandes - SJRJ escreveu:15,8% foi sobre a folha. Na prática foram 27% no contracheque.

    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%

    Sim, mas perante a mídia, a boa cautela recomenda divulgar o percentual sobre a folha. E melhor ainda se divulgar os percentuais anuais, que foram meramente da ordem de 5,5% a.a - na minha opinião, melhor evitar comentar sobre percentuais "integralizados".
    embuscadeaumento
    embuscadeaumento
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2790
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 05/07/2011

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por embuscadeaumento Sex 03 Jun 2016, 4:43 pm

    O cara do mpog toda semana negando orçamento pros 13    negando recurso p PL nesses 10 anos a mando da petralhada até ele deve soltado o "Ufaa eles merecem sim"rsrs
    PCS-TRE
    PCS-TRE
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1771
    Reputação : 154
    Data de inscrição : 27/02/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por PCS-TRE Sex 03 Jun 2016, 4:44 pm

    drhoff escreveu:5 - Os servidores do Judiciário estavam sem reajuste nos vencimentos básicos, há nove anos. O governo vetou recentemente aumento aprovado pelo Congresso de até 70%. Portanto, muito maior que o acordado entre os servidores e o governo: de 16% a 40%, que serão aplicados nos próximos cinco anos. Mesmo estes aumentos também são inferiores à inflação do período.

    Eta governinho bom, duvido q o governo daquele doida varrida iria defender os servidores, além do mais os do judiciário.
    Como sempre disse, tudo depende do chefe do executivo.

    Chupa, Ponciano!!!!

    Eita golpinho bom!!!!
    rijomo2015
    rijomo2015
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 337
    Reputação : 19
    Data de inscrição : 07/07/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por rijomo2015 Sex 03 Jun 2016, 4:45 pm

    TABELA DO SINTRAJUD:
    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    JULIUS JR
    JULIUS JR
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 572
    Reputação : 34
    Data de inscrição : 01/09/2014

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por JULIUS JR Sex 03 Jun 2016, 4:47 pm

    Jaspion escreveu:
    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%

    Verdade Grazi, foi 26,7%.

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 26,7%

    Defasagem em 04/2016 = 40,1%


    Então, se a gente vai receber em torno de 41% no PL 2648, isso "zera" o passado e vamos amargar o prejuízo de 2016/2019.

    Não é o melhor dos mundos, mas em vista do cenário que tínhamos com o governo anterior isso dá fôlego até o próximo embate.
    VadeMekum
    VadeMekum
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1309
    Reputação : 193
    Data de inscrição : 11/05/2015

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por VadeMekum Sex 03 Jun 2016, 4:50 pm

    Esses Sindpelegos não aprendem. Na área de acesso público de seus sites deveriam colocar uma notinha minúscula, tipo "condições de financiamento" que aparecem nas propagandas de veículos, falando que o percentual concedido para 2016 é de 4,5%.

    Na área reservada aos associados eh que deveriam postar tabelas, com os reflexos decorrentes do tal percentual sobre a folha.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Convidado Sex 03 Jun 2016, 4:51 pm

    CUT da Mara Maravilha e Poncianus publicou nota no Facebook, junto com link de matéria "CONGRESSO ATENDE TEMER E APROVA REAJUSTES DE SERVIDORES. IMPACTO É DE R$ 58 BILHÕES", CONTRA os reajustes aprovados:

    "Aumentos, até então contidos por Dilma, foram aprovados como forma de atrair o apoio político do funcionalismo público ao governo ilegítimo"


    Última edição por pernalonga em Sex 03 Jun 2016, 5:01 pm, editado 1 vez(es)
    RVMS
    RVMS
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1355
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 29/07/2011

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por RVMS Sex 03 Jun 2016, 4:53 pm

    pernalonga escreveu:CUT publicou nota no Facebook, junto com link de matéria "CONGRESSO ATENDE TEMER E APROVA REAJUSTES DE SERVIDORES. IMPACTO É DE R$ 58 BILHÕES", CONTRA os reajustes aprovados:

    "Aumentos, até então contidos por Dilma, foram aprovados como forma de atrair o apoio político do funcionalismo público ao governo ilegítimo"

    Estamos na m... muito por causa da CUT!!!
    Jaspion
    Jaspion
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico
    Mensagens : 1031
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 06/08/2012

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Jaspion Sex 03 Jun 2016, 5:00 pm

    pernalonga escreveu:CUT publicou nota no Facebook, junto com link de matéria "CONGRESSO ATENDE TEMER E APROVA REAJUSTES DE SERVIDORES. IMPACTO É DE R$ 58 BILHÕES", CONTRA os reajustes aprovados:

    "Aumentos, até então contidos por Dilma, foram aprovados como forma de atrair o apoio político do funcionalismo público ao governo ilegítimo"

    CUT se colocando contra os servidores, e ainda assim tem quem defenda esse pessoal aqui...
    cicero_pb
    cicero_pb
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 1962
    Reputação : 163
    Data de inscrição : 07/07/2010

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por cicero_pb Sex 03 Jun 2016, 5:02 pm

    Daniel Fernandes - SJRJ escreveu:15,8% foi sobre a folha. Na prática foram 27% no contracheque.

    grazi escreveu:Não foram só 15,8%, foi mais de vinte, não?

    Jaspion escreveu:
    JULIUS JR escreveu:Ao pessoal que é bom de cálculo: Qual a nossa defasagem salarial, considerando a inflação acumulada desde o PCS/2006, com o desconto dos reajustes de 2012 e o atual?

    IPCA de dez/2006 a 04/2016 = 77,4%

    Reajuste 2013/2014/2015 = 15,8%

    Defasagem em 04/2016 = 53,2%


    Pessoal, não tem como ser x% na folha e y% de reajuste....

    Vamos estudar, pelo menos o básico.

    Conteúdo patrocinado

    PCS - PL 2648/2015 - Página 14 Empty Re: PCS - PL 2648/2015

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom 28 Nov 2021, 1:58 am