PCS JÁ

PCS JÁ



    Tópico Geral

    Jaspion
    Jaspion
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico
    Mensagens : 1031
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 06/08/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Jaspion Qua 29 Out 2014, 3:41 pm

    Logo logo começa a suruba de MP's affraid
    avatar
    RELATOR
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 1845
    Reputação : 77
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por RELATOR Qua 29 Out 2014, 4:28 pm

    Servidores públicos retomam pressão por aumento salarial
    Os servidores têm pressa. Mal a presidente Dilma Rousseff se reacomodou no Palácio do Planalto, após a apertada vitória nas eleições, as cobranças de pautas históricas e de cumprimento de acordo selados no passado tomam força. A pressão começa amanhã — um dia depois do feriado comemorativo da categoria — em torno de um protocolo de intenções assinado pela chefe do Executivo durante a campanha do segundo turno. A Confederação Nacional dos Servidores do Serviço Público Federal (Condsef), que representa 80% do funcionalismo, se reunirá com o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), para montar a agenda da campanha salarial de 2015, quando se encerra o reajuste salarial de 15,8%, em três parcelas, assinado após a tensa greve geral de 2012.


    O desafio, agora, é organizar as plataformas e tentar repor perdas inflacionárias em 2016. “Há uma série de pendências. Renovamos, porém, a esperança de avanço nas negociações. A presidente ratificou a carta entregue pela frente de defesa dos servidores e se comprometeu a abrir o diálogo. Creio que o encontro na SRI será produtivo. É preciso deixar de ver o servidor apenas como despesa”, destacou Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Condsef. Ele lembrou que, até julho deste ano, o impacto negativo da inflação no bolso dos servidores já é 26,7% e o objetivo é recuperar o poder de compra.


    O eixo central das reivindicações inclui, entre outros pontos, definição de data-base em 1º de maio; política permanente de reposição inflacionária; e paridade entre ativos e aposentados. Nos dias 14, 15 e 16 de novembro, a Condsef participa, com as demais entidades do fórum em defesa dos servidores — 30 no total —, de um seminário de organização das lutas para 2015.


    Fonte: Correio Braziliense
    "http://noticias.anata.org.br/2014/10/servidores-publicos-retomam-pressao-por.html"


    26,7% na gaj dá quanto?
    JULIUS JR
    JULIUS JR
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 572
    Reputação : 34
    Data de inscrição : 01/09/2014

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por JULIUS JR Qua 29 Out 2014, 4:31 pm

    STF ANALISA PROCESSOS REFERENTES À INCORPORAÇÃO DE QUINTOS DOS SERVIDORES


    O Supremo Tribunal Federal (STF) analisa, em sessão desta quarta-feira (29), o Recurso Extraordinário (RE) 638115 e o Mandado de Segurança nº 25763 para decidir se o servidor público faz jus à incorporação de quintos decorrentes do exercício de Função Comissionada no período compreendido entre a edição da Lei 9.624/1988 e a Medida Provisória 2.225-48/2001.

    No RE, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça reafirmou entendimento no sentido de que é possível a incorporação de quintos, em relação ao exercício da função comissionada, no período de 08 de abril de 1998 a 05 de setembro de 2001. A União sustenta que não há direito adquirido a regime jurídico e que o Acórdão recorrido violou os princípios da legalidade e da indisponibilidade do interesse público, entre outros argumentos. Entretanto, o Tribunal reconheceu a existência de repercussão geral da questão constitucional suscitada.

    Já no Mandado de Segurança, a União possui pedido de liminar contra ato do Tribunal de Contas que reconheceu a legalidade da incorporação de parcelas denominadas “quintos” e “décimos”, aos vencimentos de servidores federais, no período compreendido entre 9.4.98 e 4.9.2001, com base no art. 3º da MP nº 2.225/01.

    A sessão do STF está prevista para às 14 horas.


    Fonte: Sindiquinze, Caroline P. Colombo

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    Maurício
    Maurício
    Administrador
    Administrador

    Mensagens : 291
    Reputação : 29
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Maurício Qua 29 Out 2014, 4:33 pm

    Gente, ninguém é criança aqui. Custa vocês ignorar estas postagens infames que todo mundo vê que é mentira?

    Será que toda hora tem que moderador segurar o sujeito pela mão e ter que chutar ele daqui? A gente sabe os servidores que podem e os que não se podem confiar. Aqui todo mundo é grandinho!

    Daí a gente acaba banindo um cara desses e fica recebendo mensagem da turma do deixa disso pedindo pro trolador voltar.

    Quando for a hora de banir, pode deixar que a gente faz isso.
    Aroldo Rique
    Aroldo Rique
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5984
    Reputação : 40
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Aroldo Rique Qua 29 Out 2014, 4:37 pm

    Fiz uma limpeza nas últimas páginas.


    Em vez de reclamar, basta ignorar os trolls. O problema é que o pessoal aqui fica pedindo detalhes, fontes, etc.


    _________________

    Pessoal, associem-se à ANATA.
    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    JULIUS JR
    JULIUS JR
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 572
    Reputação : 34
    Data de inscrição : 01/09/2014

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por JULIUS JR Qua 29 Out 2014, 4:44 pm

    Exercício da advocacia- servidor do Judiciário Federal – conjecturas acerca de ação coletiva nesse sentido

    Alan da Costa Macedo, Coordenador Geral do SITRAEMG, Bacharel em Direito pela UFJF; Pós Graduado em Direito Constitucional, Processual, Previdenciário e Penal; Servidor da Justiça Federal, lotado na 5ª Vara da Subseção Judiciária de Juiz de Fora-MG.

    _____________________________________________________________
    Desde que comecei a atuar como coordenador geral do SITRAEMG, venho trazendo ao debate questões que há muito tempo me assolavam como “ filiado” e também “consumidor dos serviços do Sindicato”, mas que nunca eram colocados em evidência ou não tinham a atenção devida.

    Entre elas estão questões como: “Home Office”; “ Isonomia do Adicional de Qualificação”; “ Valorização da Carreira do Técnico Judiciário com a exigência de nível superior ( através de estudo bem elaborado do tema e proposta de Lei específica originada pelo STF) ; “Possibilidade do Servidor do Judiciário advogar” entre outras questões mais específicas.

    Hoje, trarei ao debate a questão da possibilidade do servidor do Judiciário advogar, com o fito de dar conhecimento aos colegas sobre os fatos e fundamentos de tal pedido.

    Talvez perguntem: para que tratar de temas secundários em momento em que se discute a revisão salarial que é mais importante?

    Direi: infelizmente não confio nesse governo e precisamos estudar soluções oblíquas às questões gerais sob pena de “passarmos necessidades” daqui a um curto espaço de tempo. Lembrem-se como eram e como são, hoje em dia, os funcionários do Banco do Brasil.

    É de conhecimento público que passamos por um processo “global” de “ minimização dos Estados”, ou seja, todos , senão quase todos os países que importam, exportam e que tem o “ capital” como fonte de governabilidade estão tendo que se adequar a essa realidade ( Estado Mínimo) e não é diferente aqui no Brasil. Infelizmente, não podemos nos iludir que algum “salvador da Pátria” nos devolverá o status quo ante, ou seja, nossos salários não serão mais tão bons quanto antes.

    Sonhemos com a revisão salarial anual acompanhando a inflação? Sim.

    Mas pensar que recuperaremos todas as nossas perdas (considero justo e legítimo, mas longe da realidade) em uma ação governamental de um tipo de governo que não mais existe (Governos Corporativos) é ilusão, repito: ilusão.

    O que podemos fazer, então, para tentarmos manter um mínimo razoável de “padrão de vida”? Não sou eu que vai responder a isso, mas os próprios fatos e fenômenos sociais que se apresentam.

    Vejam-se que inúmeras carreiras tem o “bico” como saída ao problema econômico mundial, do qual o Brasil não conseguiu fugir. Policiais fazendo bico de segurança; médicos dando aulas em Universidades particulares; Juízes escrevendo livros e dando aulas; servidores lecionando e trabalhando em outras atividades informais etc..

    Penso que ficarmos inertes é que não podemos. Devemos lutar por todas as frentes, pois se não conseguirmos a recuperação do que já perdemos com a inflação e, em curto tempo, não conseguirmos aprovar a Data-base, a solução vai ser, sim, fazer “bico” para sobreviver.

    Nesse sentido, “advogar” é uma solução para quem tem que pagar suas contas, manter a qualidade de vida dos seus familiares e não precisar se desligar totalmente do serviço público federal.

    Diante disso, passei a estudar mais as questões ligadas à constitucionalidade da proibição “total” do servidor do Judiciário advogar e convenci meus pares a pedir ao Jurídico do SITRAEMG que formulasse uma ação coletiva nesse sentido. A ação está quase pronta, mas antes de distribuirmos, vale deixar aqui algumas das razões de pedir.

    QUESTÕES FÁTICAS E DE DIREITO

    Aos servidores púbicos do Judiciário Federal é vedado (de forma total e absoluta) o exercício da advocacia, consoante o que se depreende do art. 28, inciso IV, do Estatuto dos Advogados do Brasil:

    Art. 28. A advocacia é incompatível, mesmo em causa própria, com as seguintes atividades:

    (…)   IV – ocupantes de cargos ou funções vinculados direta ou indiretamente a qualquer órgão do Poder Judiciário e os que exercem serviços notariais e de registro;

    Observe-se que a lei “restringe” de tal maneira que, independentemente de proximidade com as atividades estritamente jurisdicionais, bem como o fato de atuarem na Justiça Eleitoral, Trabalhista, Federal são irrevelevantes para o legislador infraconstitucional.

    Disso sobrevêm as seguintes indagações:

    O tratamento discriminatório dado aos servidores do Judiciário é razoável?
    A vedação imposta de forma total e absoluta é proporcional?
    O fator discrime, ou seja, o fator de desigualdade justifica a desigualação com outros servidores de outros órgãos?
    A Lei faz restrição permitida no texto Constitucional?
    O exercício da Profissão, após a conquista do certificado de aprovação na OAB pode ser mitigado por simples vontade legal?
    Quais os critérios (exposição de motivos) do Legislador infraconstitucional para fazer a referida vedação de forma total e absoluta?
    A meu ver a incompatibilidade do artigo 28, IV do Estatuto da OAB, imposta aos servidores do Judiciário, deve ser declarada incidentalmente inconstitucional. Isso porque, a incompatibilidade restringe o exercício total da advocacia, o que se mostra totalmente desarrazoado pelos motivos que serão abaixo elencados:

    RAZOABILIDADE

    Sabe-se da possibilidade de regulamentação infraconstitucional do tema em questão, no entanto, a imposição de limitação ao exercício de qualquer profissão deve ser propagada principalmente sob a égide do Princípio da Razoabilidade. Sob esse prisma, a Constituição Federal prevê em seus artigos 5º, inciso XIII, e 170, § único, que o exercício de qualquer profissão é livre:

    “Art. 5º [...]

    XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; [...] “

    Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios: [...]

    Parágrafo único. É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei. ( grifei)

    A incompatibilidade prelecionada no Art. 28, IV, do Estatuto da OAB, proibição total da advocacia, a meu ver não encontra amparo nos princípios – proporcionalidade e razoabilidade (norteadores da aplicação da lei em relação aos direitos considerados fundamentais), devendo ser observados em sua máxima extensão em todo e qualquer âmbito de incidência jurídica.

    Quando se pensa em restringir o exercício de determinada profissão, deve-se fazê-lo pelo meio menos gravoso e sob ponderações específicas quanto a proporcionalidade da medida.

    Penso que o servidor do Judiciário Federal deve, sim, ser tratado de forma diferenciada, diante do óbvio acesso que tem ao conteúdo de processos, decisões judiciais e no próprio trato diário com os Juízes. Mas, não é razoável que se aplique restrição total a situações que podem ser separadas.

    Vejam-se os questionamentos abaixo:

    a) Um servidor da Justiça Federal tem algum tipo de ligação/contato/vantagem/ ou acesso diferenciado em processos que tramitam na Justiça do Trabalho?

    b) Um servidor da Justiça Estadual tem algum tipo ligação/contato/vantagem/ ou acesso diferenciado em processos que tramitam na Justiça Federal?

    c) Um servidor da Justiça do Trabalho tem algum tipo ligação/contato/vantagem/ ou acesso diferenciado em processos que tramitam na Justiça Estadual?

    1 c) Um servidor da Justiça Eleitoral tem algum tipo ligação/contato/vantagem/ ou acesso diferenciado em processos que tramitam na Justiça Estadual, Federal ou do Trabalho?

    Se as situações que se apresentaram geram a resposta: “não”, por que a vedação ao exercício da advocacia tem que ser total e não parcial? Há razoabilidade e proporcionalidade nisso?



    ISONOMIA

    Há algum tempo, verifico que às diversas carreiras do Executivo e legislativo, muitas destas com grande poder decisório, é permitido o exercício da advocacia. Veja-se como exemplo o caso dos Analistas do INSS.

               “Quem ocupa o cargo de ‘‘analista do seguro social’’ não pode ser impedido de se inscrever na OAB, já que a função é reconhecida apenas como de suporte e apoio técnico. O entendimento, da 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, manteve decisão da 6ª Vara Federal de Porto Alegre, que mandou a seccional gaúcha da OAB a conceder nova inscrição a uma técnica do Instituto Nacional do Seguro Social, que quer voltar a advogar.

    Nas razões em que tentou derrubar o Mandado de Segurança obtido pela autora na primeira instância, a Ordem repisou o argumento de que o cargo é incompatível com o exercício da advocacia, na forma do artigo 28, incisos II e VII, da Lei 8.906/1994 (Estatuto da Advocacia). Em síntese, sustentou que essa função tem relevante poder de decisão sobre terceiros.

    Para os julgadores das duas instâncias, entretanto, o cargo ocupado pela autora diz respeito, essencialmente, à instrução e análise de processos administrativos previdenciários. Logo, não se amolda a nenhuma das hipóteses legais que implicam incompatibilidade para o exercício da advocacia.

    O relator da Apelação em Reexame Necessário, desembargador federal Cândido Alfredo da Silva Leal Junior, ainda citou precedentes da corte sobre o assunto. Um dos acórdãos, da relatoria da desembargadora Vivian Josete Pantaleão Caminha, lavrado 26 de junho de 2013, anotou: ‘‘Não constitui óbice à inscrição do impetrante no quadro de advogados da OAB a circunstância de ocupar o cargo de Técnico do Seguro Social do INSS, pois compreende atribuições essencialmente de suporte e apoio técnico, nos termos do art. 6º, II, da Lei n. 10.667/03. A investidura em cargo ou função de direção é requisito indispensável para a configuração da incompatibilidade prevista no inciso III do art. 28 do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil”.  Para Leal Junior, a técnica está impedida de exercer a advocacia, apenas, contra a Fazenda Pública que a remunera, conforme prevê o artigo 30, inciso I, do mesmo Estatuto.” [1] (grifei)

    Veja-se o inteiro teor do julgado acima citado no link: [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    A pergunta é: O Analista e técnico do INSS tem funções decisórias. Por que nós, que não temos função decisória ( esta pertence ao Juiz) estamos vedados totalmente de advogar enquanto àquele cargo é vedada advocacia apenas contra a Fazenda que o remunera?

    Por que para nós não se aplica a mesma máxima: “Para os servidores do Judiciário, é vedado o exercício da advocacia apenas contra a fazenda que o remunera”?

    Essa seria a correta aplicação da Lei conforme a Constituição, pois não há fator de discriminação razoável e coerente para nos diferenciar das demais carreiras do Executivo e Legislativo.

    Afinal qual o critério legitimamente manipulável, que sem danos à isonomia, autorize distinguir pessoas e situações em grupos separados para fins de tratamento jurídico diversos? Afinal, que espécie de igualdade veda e que tipo de desigualdade faculta a discriminação de situações e de pessoas, sem quebra e agressão aos objetivos inerentes ao princípio constitucional da isonomia?

    No que tange ao reconhecimento das distinções que não podem ser procedidas sem afronta ao preceito isonômico, poder-se-ia analisá-las sob três aspectos, que foram desenvolvidos pelo Professor: Celso Antônio Bandeira de Mello[2]: o primeiro concernente ao elemento relacionado como fator de desigualação; o segundo atinente ao nexo lógico abstrato existente entre o fator erigido em critério distintivo e a disparidade estabelecida no tratamento jurídico diversificado; e por fim, a consonância desta conexão lógica com os interesses salvaguardados pelo sistema constitucional.

    Assim sendo, “para que certo preceito normativo não incorra em violação ao princípio igualitário, necessário se faz perquirir o fator que é adotado como critério desigualador; verificar, ainda, se existe razoabilidade, ou seja, fundamento lógico para que, em função do caractere distintivo escolhido, se dispense tratamento jurídico específico; outrossim, cumpre analisar se essa correspondência existente é in concreto, compatível com os valores consagrados pela ordem jurídica constitucional”. ( MELLO, 1999)

    Assente é o entendimento de que a lei não pode adotar como critério diferencial um caractere tão específico que singularize no presente e definitivamente, de modo absoluto, uma calasse a ser alvo do tratamento discriminatório; bem como, exigi-se que o caractere diferencial adotado, invariavelmente resida no grupo, coisa ou situação a ser discriminada, ou seja, traço algum que não exista nelas mesmas poderá servir de alicerce para submetê-las a regimes diferentes.

    Como é sabido, o preceito igualitário insculpido no texto constitucional tem por escopo propiciar garantia contra perseguições, bem como tolher favoritismos.

    Resta claro, pois, que se determinada norma individualiza, de forma atual e absoluta, o seu destinatário está ela, indubitavelmente, violando a regra isonômica, vez que, ou estará dispensando tratamento benéfico a um grupo de individuais, ou estará, por outro lado, impondo encargo sobre uma só classe, sem todavia, prever gravames ou vantagens para os demais. É o caso em que se pode comparar um servidor do Judiciário Federal com um Servidor do INSS.

    Também é lógico que a norma individualizadora gozará de legitimidade, e por assim dizer, aceitação, quando patente estiver a consonância entre o elemento de discrime por ela adotado e o tratamento diferenciador em razão dele estabelecido. Isso não ocorre no nosso caso.

    O art. 28, IV, do Estatuto da Advocacia é inconstitucional porquanto, por afronta ao preceito igualitário, ao acolher situação, para fins de regulá-la distintamente, eventualmente amparou-se em fatores que não guardam pertinência com a desigualdade da disciplina jurídica dispensada.

    Digo isso porque é cediça a influência negativa da OAB nesse sentido. Aquele conselho de Classe quer, de todo o jeito, proteger a classe de advogados de “concorrência”. Dizem que o servidor do Judiciário teria “vantagens” em relação aos demais advogados. Não dizem, porém, que vantagens seriam estas e se seriam aplicáveis a todos os casos. Retorne-se a um caso concreto para exemplificar: O que um Servidor da Justiça Federal poderia interferir; obter vantagens ou exercer prerrogativas atuando como advogado na Justiça do Trabalho?

    Por óbvio, seria realmente preocupante aos “advogados” que não se atualizam concorrer com servidores públicos cheios de conhecimento (aqueles conquistados para aprovação no serviço público), disciplinados e com currículum invejável.

    Tal vantagem, no entanto, não se dá apenas em relação aos servidores do Judiciário, mas um advogado que é também professor universitário, escritor de livros e com notório saber jurídico é também um “concorrente de peso” com a maioria.

    Com isso, entendo que a lei não elegeu como critério de discriminação qualquer elemento residente nas coisas, pessoas ou acontecimentos eventualmente diferençados que guardassem uma correspondência coerente com a desequiparação que deles resulta, o que me permite afirmar que são discriminações fortuitas e arbitrárias.

    Cármem Lúcia Antunes Rocha citada por José Afonso da Silva[3] diz:

    “Igualdade constitucional é mais que uma expressão de Direito; é um modo justo de se viver em sociedade. Por isso é princípio posto como pilar de sustentação e estrela de direção interpretativa das normas jurídicas que compõem o sistema jurídico fundamental”. ( grifei)

    Por estas conclusões e por outras que serão aventadas oportunamente (provavelmente na ação coletiva a ser distribuída) é que submeti o assunto aos colegas da Coordenação Geral do SITRAEMG que, colegiadamente, aprovaram o maior e mais abrangente estudo de caso para que o nosso Jurídico preparasse Ação coletiva com objetivo de conseguir a declaração incidental de inconstitucionalidade do art. 28, IV, do Estatuto da Advocacia e, com isso, possibilitasse ao servidor do Judiciário Federal (legitimados ativos filiados ao SITRAEMG) o exercício da advocacia.

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    RVMS
    RVMS
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Mensagens : 1355
    Reputação : 47
    Data de inscrição : 29/07/2011

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por RVMS Qua 29 Out 2014, 4:44 pm

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    28/10/2014 - Presidente do STJ e do CJF comunica suspensão de processo que trata de separação de carreiras para servidores da Justiça
    A proposta de elaboração de planos de carreira próprios para os servidores dos tribunais superiores não prosperou e, por conta disso, o presidente do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho da Justiça Federal, ministro Francisco Falcão, determinou o sobrestamento do processo administrativo que trata desse assunto no STJ e no CJF. A medida foi comunicada à Presidência do TRF2 através do Ofício CJF-OFI-2014/04395, assinada pelo ministro no dia 30 de setembro.
    Em abril deste ano, os presidentes dos cinco Tribunais Regionais Federais encaminharam ofícios ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça, manifestando-se contrários à eventual elaboração de projeto que separaria as carreiras dos servidores.Em seus argumentos, os presidentes das cortes regionais ponderaram que a Justiça Federal vem conseguindo reduzir suas despesas, segundo dados da pesquisa nacional "Justiça em Números". Além disso, eles destacaram que a Justiça Federal tem assegurado uma arrecadação para os cofres da União superior ao total de seus gastos, através de decisões nos processos de cobrança da dívida ativa.
    Por conta disso, os presidentes dos TRFs argumentaram que não se justificaria a divisão de carreiras, que acarretaria desestímulo para o pessoal dos tribunais, com a "criação de castas entre servidores de mesma competência e carreiras afins".

    Tribunal de Exceção
    Tribunal de Exceção
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 242
    Reputação : 4
    Data de inscrição : 02/05/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Tribunal de Exceção Qua 29 Out 2014, 4:45 pm

    Pô, Ia fazer uma piada com as postagens do banimento e da suspensão dos direitos e o Aroldo quebrou minhas pernas apagando os posts. Já que o pessoal vive pedindo ban pros troll, BAN PRO AROLDO!!!!


    [Postagem de muita coragem e pouco bom senso...]


    fuckyeah
    avatar
    ffdasilva26
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 376
    Reputação : 3
    Data de inscrição : 12/11/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por ffdasilva26 Qua 29 Out 2014, 4:49 pm

    E a reunião com o sinasempu?
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Convidado Qua 29 Out 2014, 4:55 pm

    ffdasilva26 escreveu:E a reunião com o sinasempu?

    ja começo a achar que também é boato...
    macfly
    macfly
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : ANALISTA
    Mensagens : 1190
    Reputação : 45
    Data de inscrição : 17/10/2014
    Localização : HILL VALLEY - CALIFÓRNIA

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por macfly Qua 29 Out 2014, 4:57 pm

    marlonplaster e Alvinegro? ????


    Notícias sobre a reunião na PGR?
    MPF SP
    MPF SP
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Administrativo
    Mensagens : 2150
    Reputação : 218
    Data de inscrição : 17/09/2014
    Idade : 32
    Localização : São Paulo

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por MPF SP Qua 29 Out 2014, 4:57 pm

    macfly escreveu:marlonplaster e Alvinegro? ????


    Notícias sobre a reunião na PGR?

    A reunião era hoje ?
    Aroldo Rique
    Aroldo Rique
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 5984
    Reputação : 40
    Data de inscrição : 07/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Aroldo Rique Qua 29 Out 2014, 4:59 pm

    ffdasilva26 escreveu:E a reunião com o sinasempu?
    Parece que foi adiada.


    _________________

    Pessoal, associem-se à ANATA.
    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    MPF SP
    MPF SP
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Administrativo
    Mensagens : 2150
    Reputação : 218
    Data de inscrição : 17/09/2014
    Idade : 32
    Localização : São Paulo

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por MPF SP Qua 29 Out 2014, 5:03 pm

    Aroldo Rique escreveu:
    ffdasilva26 escreveu:E a reunião com o sinasempu?
    Parece que foi adiada.

    Se for isso mesmo nego não leva os sindicatos a sério, aff
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 7830
    Reputação : 593
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin Qua 29 Out 2014, 5:03 pm

    Hoje o PGR está garantido o dos membros no CN. Somente então ele vai dar um tapa no 7919. E não podemos aceitar redução da tabela, pois os membros estão dando um verdadeiro salto $$$


    _________________
    Neoliberalismo não entrega o que promete, diz FMI!
    avatar
    TRF1/MG
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 4844
    Reputação : 314
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por TRF1/MG Qua 29 Out 2014, 5:05 pm

    Está claro que foi dado mais um balão nos servidores com aquela conversa de reuniões vão se intensificar após as eleições, reuniões na próxima semana para esclarecer sobre as negociações... está tudo indicando que era isso, agora temos a confirmação, infelizmente!
    Jaspion
    Jaspion
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico
    Mensagens : 1031
    Reputação : 54
    Data de inscrição : 06/08/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Jaspion Qua 29 Out 2014, 5:06 pm

    Nunca na história desse país se adiou reuniões como nesse ano :guy:
    avatar
    TRF1/MG
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 4844
    Reputação : 314
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por TRF1/MG Qua 29 Out 2014, 5:19 pm

    Jaspion escreveu:Nunca na história desse país se adiou reuniões como nesse ano :guy:


    Engano seu, em 2010 foi o mesmo roteiro, tudo igual. O triste é que mesmo já passando por isso muitos deliraram por aumento agora.
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Convidado Qua 29 Out 2014, 5:20 pm

    Se não houver reposição a culpa será exclusiva do sindicato!

    Nossos chefes (inclusive o Lauro) estão empenhados .

    avatar
    ffdasilva26
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 376
    Reputação : 3
    Data de inscrição : 12/11/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por ffdasilva26 Qua 29 Out 2014, 5:20 pm

    Lamentável juízes e procuradores aceitarem esse auxílio moradia, servidores não tem despesas com moradia? Essas autoridades por ocuparem os cargos que ocupam tinham que moralmente dar exemplo, não aceitando esse benefício, que em termos percentuais proporcionará um aumento de pelo menos 20 %, no rendimento deles. É quase certo que este ano não se terá aumento para ninguém, mas afinal com um auxílio desse há necessidade?
    Cada um com seu problema.
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 7830
    Reputação : 593
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin Qua 29 Out 2014, 5:21 pm

    MPT SP escreveu:Se não houver reposição a culpa será exclusiva do sindicato!

    Nossos chefes (inclusive o Lauro) estão empenhados .



    surprise2 surprise2 surprise2


    _________________
    Neoliberalismo não entrega o que promete, diz FMI!
    andre3107
    andre3107
    Usuário Especial
    Usuário Especial

    Cargo : Técnico Judiciário
    Mensagens : 1112
    Reputação : 31
    Data de inscrição : 31/08/2012
    Localização : Belém/PA

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por andre3107 Qua 29 Out 2014, 5:21 pm

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    avatar
    ffdasilva26
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 376
    Reputação : 3
    Data de inscrição : 12/11/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por ffdasilva26 Qua 29 Out 2014, 5:23 pm

    Se não houver reposição a culpa será exclusiva do sindicato!

    Nossos chefes (inclusive o Lauro) estão empenhados .

    Foi o sindicato que cortou o orçamento?
    Quem está com o MS para restabelecer o orçamento é o sindicato?
    Não haverá reposição pois o auxílio moradia já é o aumento dos juízes e procuradores.
    The Punisher
    The Punisher
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 613
    Reputação : 87
    Data de inscrição : 06/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por The Punisher Qua 29 Out 2014, 5:24 pm

    ffdasilva26 escreveu:Lamentável juízes e procuradores aceitarem esse auxílio moradia, servidores não tem despesas com moradia? Essas autoridades por ocuparem os cargos que ocupam tinham que moralmente dar exemplo, não aceitando esse benefício, que em termos percentuais proporcionará um aumento de pelo menos 20 %, no rendimento deles. É quase certo que este ano não se terá aumento para ninguém, mas afinal com um auxílio desse há necessidade?
    Cada um com seu problema.



    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Convidado Qua 29 Out 2014, 5:27 pm

    Ignorantes.

    Tudo leva a crer na mudança da forma de remuneração. Mas os bonzinhos dos sindicalistas sao contra


    Última edição por MPT SP em Qua 29 Out 2014, 5:29 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    vinasbauer
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 375
    Reputação : 4
    Data de inscrição : 05/11/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por vinasbauer Qua 29 Out 2014, 5:29 pm

    MPT SP escreveu:Ignorantes.

    Tudo leva a crer na mudança da forma de remuneração. Mas os bonzinhos dos sindicalistas sao c


    E a Gajona? Morreu?
    avatar
    ffdasilva26
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Mensagens : 376
    Reputação : 3
    Data de inscrição : 12/11/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por ffdasilva26 Qua 29 Out 2014, 5:30 pm

    MPT SP escreveu:Ignorantes.

    Tudo leva a crer na mudança da forma de remuneração. Mas os bonzinhos dos sindicalistas sao c


    A verdade é que com quase 5 mil dá para esperar mais um ano você não acha?
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Convidado Qua 29 Out 2014, 5:31 pm

    Coma faço para desfiliar do SINASEMPU ???
    Memorando para o RH ?
    MPUísta
    MPUísta
    Usuário Sênior
    Usuário Sênior

    Cargo : Técnico Administrativo
    Mensagens : 393
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 29/03/2011

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por MPUísta Qua 29 Out 2014, 5:35 pm

    MPT SP escreveu:Se não houver reposição a culpa será exclusiva do sindicato!

    Nossos chefes (inclusive o Lauro) estão empenhados .

    Arrow
    Fale mais sobre isso colega: os sindicatos teriam alguma condição de impedir a tramitação dos PLs 7919 e 7920, caso Lewando e Janot realmente se empenhem para que sejam aprovados?
    Galizezin
    Galizezin
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 7830
    Reputação : 593
    Data de inscrição : 13/01/2012

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Galizezin Qua 29 Out 2014, 5:36 pm

    MPT SP escreveu:Ignorantes.

    Tudo leva a crer na mudança da forma de remuneração. Mas os bonzinhos dos sindicalistas sao contra

    E a administração não abre o jogo porque motivos? É segredo entre as chefias e os sindicalistas? Culpa dos dois, no mínimo, por esconderem a verdade dos servidores, não estou certo!?


    _________________
    Neoliberalismo não entrega o que promete, diz FMI!
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por darkshi Qua 29 Out 2014, 5:37 pm

    Galizezin escreveu:
    MPT SP escreveu:Ignorantes.

    Tudo leva a crer na mudança da forma de remuneração. Mas os bonzinhos dos sindicalistas sao contra

    E a administração não abre o jogo porque motivos? É segredo entre as chefias e os sindicalistas? Culpa dos dois, no mínimo, por esconderem a verdade dos servidores, não estou certo!?

    Ainda estão levando a sério o MPT SP???????????????????????????????????????/




    -------

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    Conteúdo patrocinado

    Tópico Geral - Página 25 Empty Re: Tópico Geral

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua 01 Dez 2021, 11:10 am