PCS JÁ

PCS JÁ



    Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Ter 05 Maio 2015, 4:06 pm

    Denovo?? escreveu:Interessante a preocupação com a frustração do técnico em fim de carreira, e a total desatenção em relação às demais carreiras.

    Uma coisa não anula a outra.
    E a minha proposta tem uma grande vantagem. O técnico passará a estar completamente preocupado e atencioso em relação as frustrações das demais carreiras, já que  o seu futuro profissional será ser parte desta carreira frustada.

    Não será mais opção, como é hj, em querer sabotar a carreira de analista a fim de melhorar a situação do técnico.

    Além do mais, não deixa de ser uma preocupação com a carreira de analista propor algo que não envolva transposição, equiparação e nem elevação de escolaridade do cargo técnico.

    Viu como a minha proposta é a melhor?
    Denovo??
    Denovo??
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2139
    Reputação : 185
    Data de inscrição : 23/10/2014

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Denovo?? Ter 05 Maio 2015, 8:32 pm

    É uma teoria interessante... como sofisma... apenas.
    Sua única preocupação é em resolver a sua situação, como eu já disse aqui várias vezes.
    Adorei a argumentação: "como eu criei um estatuto em defesa do furtador, defendendo que os furtos tenham um limite de dois por mês, não deixa de ser uma preocupação com a vítima dos furtos, estabelecendo um limite razoável para evitar que seja furtado sem limite nenhum".
    O técnico deve ser um ser divino, merecedor de toda a atenção celeste. Ele não pode se desmotivar por ter feito um concurso que ELE QUIS FAZER para algo inferior ao seu talento e formação intelectual... Mas o servidor que fez concurso adequado ao seu nível escolar e acadêmico, esse, bem, esse que se conforme, pois vamos estabelecer limites para os que vem do cargo mais abaixo da escolaridade, pegar as vagas do cargo dele...
    Os técnicos PRECISAM DE MOTIVAÇÃO GENTE. Eles estão deprimidos. Os analistas? Ah.. esses.. bem.. quem mandou fazer o que é certo? Nesse país do oba oba, bestas foram eles.
    Temos, portanto, a teologia dos técnicos, pessoas sofridas por vida, merecedoras de políticas afirmativas. Cotas já, para técnicos nos concursos de analistas. Danado que nem minorias podem se auto intitular.
    Adorei. Quando publicar na Fenajufe vc me avisa?

    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Ter 05 Maio 2015, 8:38 pm

    Sofisma foi o que o senhor acabou de escrever. Não é atoa que o Corujito o classifica como um dos seres mais burros do fórum.
    Se não acrescenta, pelo menos tente não poluir o debate dos outros.
    wanderley fanzzinne
    wanderley fanzzinne
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 34
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 06/04/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por wanderley fanzzinne Ter 05 Maio 2015, 9:39 pm

    Vamos ser enganados como em outros anos, em anos anteriores onde o panorama era mais favorável não levamos. Agora com crise orquestrada pelo pt e seus companheiros, quem paga a conta são todos os brasileiros que estão sendo tributados de todas formas.
    Mesmo diante de todo panorama e o que vem até dezembro, nada, nada mesmo, pode ser pior que nossa classe desunida e cada um procurando tão somente os seus interesses. Conheço funcionários da Receita Federal e da Polícia Federal. Todos estão com os mesmos pensamentos, em 2015 vem nada, nada, nada. Lambendo os dedos, será proposto um aumento de 18% em 6 vezes semestrais após os primeiros meses de 2016 e que iria até dezembro de 2018. Parece que o executivo aceita qualquer valor diante da escassez que vem por aí. O Judiciário, torçam, para que tenhamos o mesmo valor do executivo e lembrando que não fazemos parte da mesa de negociação. O Judiciário é apenas um apenso jogado e esquecido antes do PJE. Arquivado em caixa de papelão e sem força de voltar do desarquivamento. Façam um reflexão mais apurada das mensagens expostas e suas respostas, parece que fazemos parte de dois poderes bem diferentes, somos do Judiciário e vamos morrer afogados e abraçados. Técnicos, analista, incorporados ou não, fraldas ou antigão, todos morrendo abraçados como o Titanic.
    Fhighlander
    Fhighlander
    Usuário Master
    Usuário Master

    Mensagens : 757
    Reputação : 16
    Data de inscrição : 30/03/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Fhighlander Ter 05 Maio 2015, 10:02 pm

    wanderley fanzzinne escreveu:Vamos ser enganados como em outros anos, em anos anteriores onde o panorama era mais favorável não levamos. Agora com crise orquestrada pelo pt e seus companheiros, quem paga a conta são todos os brasileiros que estão sendo tributados de todas formas.
    Mesmo diante de todo panorama e o que vem até dezembro, nada, nada mesmo, pode ser pior que nossa classe desunida e cada um procurando tão somente os seus interesses. Conheço funcionários da Receita Federal e da Polícia Federal.  Todos estão com os mesmos pensamentos, em 2015 vem nada, nada, nada. Lambendo os dedos, será proposto um aumento de 18% em 6 vezes semestrais após os primeiros meses de 2016 e que iria até dezembro de 2018. Parece que o executivo aceita qualquer valor diante da escassez que vem por aí. O Judiciário, torçam, para que tenhamos o mesmo valor do executivo e lembrando que não fazemos parte da mesa de negociação. O Judiciário é apenas um apenso jogado e esquecido antes do PJE. Arquivado em caixa de papelão e sem força de voltar do desarquivamento. Façam um reflexão mais apurada das mensagens expostas e suas respostas, parece que fazemos parte de dois poderes bem diferentes, somos do Judiciário e vamos morrer afogados e abraçados. Técnicos, analista, incorporados ou não, fraldas ou antigão, todos morrendo abraçados como o Titanic.

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]

    Isso aí só mostra que esse cenário de ganhar mas não levar está se concretizando mais e mais...
    Exterminador
    Exterminador
    Usuário Master
    Usuário Master

    Cargo : OJAF
    Mensagens : 744
    Reputação : 13
    Data de inscrição : 14/07/2010
    Localização : TRT 14ª Reg.

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Exterminador Ter 05 Maio 2015, 10:24 pm

    Se o governo pensar bem, o cargo superior para técnico é uma mão na roda. Se o técnico, com nível superior ganha X, porque o analista ganhará XX? Mais um bom motivo para barrar o PLC/85!!! :evil2:
    corujito
    corujito
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 3137
    Reputação : 209
    Data de inscrição : 06/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por corujito Ter 05 Maio 2015, 11:43 pm

    xx, não! né mano!

    2x, x+x, x*1,6....
    meutoconoteuoco
    meutoconoteuoco
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 49
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 25/03/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por meutoconoteuoco Qua 06 Maio 2015, 12:21 pm

    Darkshi,

    vou pegar uma opinião emprestada do administrador para definir o Denovo, "Trollador de M.."
    não vale a pena discutir com esse elemento.


    darkshi escreveu:Sofisma foi o que o senhor acabou de escrever. Não é atoa que o Corujito o classifica como um dos seres mais burros do fórum.
    Se não acrescenta, pelo menos tente não poluir o debate dos outros.
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Qua 06 Maio 2015, 1:31 pm

    meutoconoteuoco escreveu:Darkshi,

    vou pegar uma opinião emprestada do administrador para definir o Denovo, "Trollador de M.."
    não vale a pena discutir com esse elemento.


    darkshi escreveu:Sofisma foi o que o senhor acabou de escrever. Não é atoa que o Corujito o classifica como um dos seres mais burros do fórum.
    Se não acrescenta, pelo menos tente não poluir o debate dos outros.

    Não. Não vale.
    Faço uma proposta que simplesmente tira de pauta tudo o que os analistas estão reclamando. E mesmo assim ele acha ruim.

    Ele não passa de um "Trollador de M.."
    luctes
    luctes
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 226
    Reputação : 14
    Data de inscrição : 15/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por luctes Qui 07 Maio 2015, 7:25 am

    Legal.

    Analista com 10 anos no cargo poderá fazer concurso interno para juiz. Se for de um tribunal poderá fazer concurso para ministro. cheers
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Qui 07 Maio 2015, 8:58 am

    luctes escreveu:Legal.

    Analista com 10 anos no cargo poderá fazer concurso interno para juiz. Se for de um tribunal poderá fazer concurso para ministro. cheers

    Para que vc quer cotas em um concurso que sobra vaga?

    E que tipo de postura é esta que considera aceitável apenas o que é diretamente vantajosos para si?

    Denovo??
    Denovo??
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2139
    Reputação : 185
    Data de inscrição : 23/10/2014

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Denovo?? Qui 07 Maio 2015, 9:24 am

    Oh meu deuzo.... eu magoei....
    Corujito já te ensinou a estudar Poder Legislativo?
    Quando Eduardo Cunha rejeitar os vetos tu me avisa...
    kkkkkkkkkkkkkkk

    meutoconoteuoco escreveu:Darkshi,

    vou pegar uma opinião emprestada do administrador para definir o Denovo, "Trollador de M.."
    não vale a pena discutir com esse elemento.


    darkshi escreveu:Sofisma foi o que o senhor acabou de escrever. Não é atoa que o Corujito o classifica como um dos seres mais burros do fórum.
    Se não acrescenta, pelo menos tente não poluir o debate dos outros.
    luctes
    luctes
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 226
    Reputação : 14
    Data de inscrição : 15/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por luctes Qui 07 Maio 2015, 10:21 am

    darkshi escreveu:
    luctes escreveu:Legal.

    Analista com 10 anos no cargo poderá fazer concurso interno para juiz. Se for de um tribunal poderá fazer concurso para ministro. cheers

    Para que vc quer cotas em um concurso que sobra vaga?

    E que tipo de postura é esta que considera aceitável apenas o que é diretamente vantajosos para si?


    Mas aí vc se contradiz, pois o concurso interno para analista só será vantajoso para que já está dentro do órgão e pleiteia ascender. Já aqueles que se encontram fora do órgão que, quiçá, tenham se formado na UnB e, porventura, desejem ingressar na carreira do judiciário, terão que se contentar em fazer um concurso para nível médio, aguardar 10 anos para tentar um outro de nível superior, ou então, com as vagas remanescentes dos sistemas de cotas - negros, indígenas, pobres e técnicos.
    Denovo??
    Denovo??
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 2139
    Reputação : 185
    Data de inscrição : 23/10/2014

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Denovo?? Qui 07 Maio 2015, 11:02 am

    Meu amigo, esse Darkshi é um dos maiores flames que já passou por aqui.
    Ele cria tabelas e planos voltados para o benefício dele, e critica quem pede benefícios para o seu próprio cargo.
    Dê trela não. Deixe ele sonhar com o cargo de analista.


    luctes escreveu:
    darkshi escreveu:
    luctes escreveu:Legal.

    Analista com 10 anos no cargo poderá fazer concurso interno para juiz. Se for de um tribunal poderá fazer concurso para ministro. cheers

    Para que vc quer cotas em um concurso que sobra vaga?

    E que tipo de postura é esta que considera aceitável apenas o que é diretamente vantajosos para si?


    Mas aí vc se contradiz, pois o concurso interno para analista só será vantajoso para que já está dentro do órgão e pleiteia ascender. Já aqueles que se encontram fora do órgão que, quiçá, tenham se formado na UnB e, porventura, desejem ingressar na carreira do judiciário, terão que se contentar em fazer um concurso para nível médio, aguardar 10 anos para tentar um outro de nível superior, ou então, com as vagas remanescentes dos sistemas de cotas - negros, indígenas, pobres e técnicos.
    luctes
    luctes
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 226
    Reputação : 14
    Data de inscrição : 15/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por luctes Qui 07 Maio 2015, 11:23 am

    Eu conheço ele. Curtimos videojogos. Acredito que tem potencial para mudar de cargo sem precisar de trenzinho.

    O fato é: privilegiar um cargo sempre será em detrimento de outro. O mesmo se aplica ao privilegiar um grupo que está dentro. Quem estiver fora será prejudicado.

    A máxima aqui do fórum é aplicável a tudo isso: "farinha pouca, meu pirão primeiro".
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Qui 07 Maio 2015, 11:38 am

    luctes escreveu:Eu conheço ele. Curtimos videojogos. Acredito que tem potencial para mudar de cargo sem precisar de trenzinho.

    O fato é: privilegiar um cargo sempre será em detrimento de outro. O mesmo se aplica ao privilegiar um grupo que está dentro. Quem estiver fora será prejudicado.

    A máxima aqui do fórum é aplicável a tudo isso: "farinha pouca, meu pirão primeiro".

    Discordo completamente.

    A aprovação da PEC não é privilégio de uns em detrimento de outros. É reestruturação da carreira pública, criando um dispositivo que é comum em qualquer lugar do universo, que é o crescimento profissional. Inclusive em casos onde existe a figura do "Consultor" (legislativo, por ex) o analista pode ser beneficiado. Diria que até o analista do PJU poderia ser, já que a PEC poderia facilitar a entrada para o concurso da magistratura. Contudo seria inócuo, já que concurso de magistrado hj já sobra vaga. E a PEC é clara dizendo que o concurso interno deve ter a mesma dificuldade do externo.

    Além do mais chamar a PEC de trenzinho é não conhecer o teor da PEC. Trenzinho seria o retorno da ascensão funcional via canetada. E não é o que a PEC diz.

    Nem a "farinha pouca, meu pirão primeiro" é valida para este caso. Já que não tem farinha sendo consumida.
    wanderley fanzzinne
    wanderley fanzzinne
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 34
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 06/04/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por wanderley fanzzinne Seg 11 Maio 2015, 6:58 pm




    A proposta do Supremo Tribunal Federal para uma nova lei para a magistratura, cuja minuta foi encaminhada aos integrantes da corte no fim do ano do Judiciário (19/12) contém adicionais e benefícios financeiros que ultrapassam os pedidos por um aumento salarial.

    Os ministros do tribunal têm o maior contracheque do funcionalismo público nacional e uma elevação de seus salários traz a reboque, automaticamente, impacto nas contas públicas de Estados e da União. Em vez de aumento do salário, a nova lei amplia os chamados penduricalhos.

    Uma soma simples mostra que os benefícios e auxílios previstos no novo Estatuto da Magistratura podem triplicar os rendimentos dos juízes, levando os valores para o patamar de R$ 90 mil. O valor é alcançado quando calculados todos os benefícios, auxílios e verbas estipulados na minuta.

    Enxugando esses números e criando alguns cenários absolutamente factíveis chega-se ao seguinte exemplo:

    Um juiz de primeira instância receberá:

    – R$ 31.542,16 de salário a partir de 2015;

    – Mais R$ 1.577,10 a cada cinco anos de magistratura;

    – Mais R$ 1.577,10 de auxílio-transporte, pois não conta com carro oficial;

    – Mais R$ 1.577,10 de auxílio-alimentação;

    – Mais R$ 6.308,43 de auxílio-moradia;

    – Mais R$ 3.154,21 de auxílio-plano de saúde.

    No total, neste cenário simplório, o juiz receberá ao final do mês R$ 45.734,05.

    Esse valor aumenta com o enquadramento do magistrado em outras situações previstas na legislação.

    Se o magistrado tiver um filho, receberá mais R$ 1.577,10 de auxílio-creche e outros R$ 1.577,10 como auxílio-plano de saúde para o dependente. Os rendimentos sobem para R$ 48.888,25.

    Se ele tiver um segundo filho, um pouco mais velho e que estude em escola privada, receberá mais R$ 1.577,10 de auxílio-educação. E mais R$ 1.577,10 de auxílio-plano de saúde para este segundo dependente. Sobem os rendimentos para R$ 52.042,45.

    Caso o juiz tenha em seu currículo um curso de pós-graduação, receberá ao fim do mês R$ 53.619,55. Se ele tiver o título de mestre, vamos a R$ 56.773,76. Na hipótese de ter seguido uma extensa carreira acadêmica e, além de pós-graduação, tiver título de doutor, seus rendimentos vão a R$ 61.505,08.

    Na hipótese de acumular alguma função administrativa no foro, o contra-cheque subirá a R$ 72.019,13. Se este juiz julgar mais processos do que recebe no ano, ele receberá dois salários adicionais por ano. Dividindo esse valor por 12 para facilitar nossa conta, os rendimentos do magistrado subiriam mensalmente a R$ 77.276,15.

    Participando de mutirões de conciliação ou de outras atividades especiais, o juiz receberá a mais, por dia, R$ 1.051,40.

    No caso de um juiz mais antigo, que já tenha chegado ao topo da carreira e que tenha alcançado o tempo necessário para se aposentar, ele receberá mais R$ 1.577,10 por ano se decidir continuar trabalhando.

    Além desses valores, há outros benefícios na lista, como ajuda de custo para capacitação ( de R$ 3.154,21 a R$ 6.308,43) , auxílio para o caso de ser designado para localidade de difícil acesso (R$ 10.514,05), auxílio-mudança (de até R$ 94.626,48 em parcela única).

    Nessa contas todas é possível ainda incluir a venda de metade dos 60 dias de férias a que têm direito os juízes. Apesar de o Supremo ainda estar julgando se o juiz deve ser indenizado por não usufruir dos 60 dias de férias, a proposta de novo estatuto já estabelece essa possibilidade.

    O texto do novo estatuto, com novos benefícios e prerrogativas, foi entregue pelo presidente do Supremo, ministro Ricardo Lewandowski, aos demais integrantes da Corte. O ministro avisou que convocará sessões administrativas assim que o tribunal voltar do recesso para discutir a proposta. Aprovado o texto pelos demais ministros, ele será encaminhado a votação no Congresso Nacional.

    Leia a íntegra da minuta no JOTA.



    Fonte: site Jota Info
    GINO PUGSLEY
    GINO PUGSLEY
    Usuário Recente
    Usuário Recente

    Mensagens : 38
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 12/05/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por GINO PUGSLEY Ter 12 Maio 2015, 8:10 pm

    É cada vez mais visível que os próximos concursos Pju serão para vagas de analistas e começando aos poucos diminuindo os técnicos. Mesmo os técnicos sendo maioria hoje, em cinco anos será uma classe que vai desaparecer e principalmente com crescimento do TI em expansão.
    darkshi
    darkshi
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 8806
    Reputação : 248
    Data de inscrição : 14/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por darkshi Seg 25 Maio 2015, 9:12 pm

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link]
    prafrente
    prafrente
    Novo Usuário

    Mensagens : 8
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 14/05/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por prafrente Seg 25 Maio 2015, 11:18 pm

    sinto-me como um integrante de um time de futebol onde os onze jogadores brigam entre si....bando de imbecis...parem com essa discussão inútil entre técnico e analista...enquanto isso nosso plano está indo pro ralo...
    corujito
    corujito
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Mensagens : 3137
    Reputação : 209
    Data de inscrição : 06/07/2010

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por corujito Ter 26 Maio 2015, 5:01 pm

    prafrente escreveu:sinto-me como um integrante de um time de futebol onde os onze jogadores brigam entre si....bando de imbecis...parem com essa discussão inútil entre técnico e analista...enquanto isso nosso plano está indo pro ralo...

    mas esse aqui é o tópico da treta

    união pelo pcs é no outro


    Sigma
    Sigma
    Usuário VIP
    Usuário VIP

    Cargo : Analista Judiciário - Especialidade TI
    Mensagens : 5149
    Reputação : 136
    Data de inscrição : 08/07/2010
    Idade : 41
    Localização : Curitiba/PR

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Sigma Seg 10 Ago 2015, 11:58 pm

    Mito do desvio de função e verdades sobre NS para o cargo de técnico

    Por Vicente de Paulo da Silva Sousa, técnico judiciário do TRE/CE.
    Bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional e Processo Constitucional.
    Pós-graduado em Direito Penal e Processo Penal.
    Pós-graduando em Direito Civil e Processo Civil.
    Integrante do Movimento Nacional pela Valorização dos Técnicos Judiciários (MOVATEC).



    1. CARGO, OCUPANTE DO CARGO (O SERVIDOR), MODERNIZAÇÃO DO PJU E O PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA.

    A relevância do cargo de técnico judiciário para o bom funcionamento da prestação jurisdicional federal brasileira é incontestável. Igual é a importância histórica que tal carreira tem para a construção do Poder Judiciário da União. O artigo 2º, inciso II, da Lei n.º 11.416, de 15 de dezembro de 2006, que dispõe sobre as Carreiras dos Servidores do Poder Judiciário da União, estabelece [1]:

    Art. 2º. Os Quadros de Pessoal efetivo do Poder Judiciário são compostos pelas seguintes Carreiras, constituídas pelos respectivos cargos de provimento efetivo:

    I - Analista Judiciário;

    II - Técnico Judiciário;

    III - Auxiliar Judiciário.
    ” [grifado]

    É comum a confusão, mas cargo e seu ocupante são coisas diferentes. Ocupante do cargo [2] e o cargo ocupado por uma pessoa são institutos jurídicos bem definidos e diferenciados pela Lei brasileira. Equívocos como esses, recorrentes no cotidiano forense, fazem com que visões retrógradas impeçam a modernização da estrutura organizacional do serviço público, em especial, do quadro funcional do Poder Judiciário da União.

    Esclareçamos, portanto, esse equívoco. Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor [3]. Por outro lado, servidor é a pessoa legalmente investida em cargo público [4]. Tais descrições estão encravadas na Lei n.º 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Veja-se:

    “Art. 2º. Para os efeitos desta Lei, servidor é a pessoa legalmente investida em cargo público.

    Art. 3º.  Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor.”


    Assim, dando organicidade ao corpo jurídico, a Lei n.º 11.416/2006 prescreve em linhas gerais as atribuições do cargo objeto do presente estudo em seu artigo 4º., inciso II:

    “Art. 4º.  As atribuições dos cargos serão descritas em regulamento, observado o seguinte:

    (...)

    II - Carreira de Técnico Judiciário: execução de tarefas de suporte técnico e administrativo;” [grifado]


    Sobre tais institutos, a doutrina traz na lição de Bandeira de Mello (1975a) o caráter nuclear que o delimita quando diz que “cargo é a denominação dada à mais simples unidade de poderes e deveres estatais a serem expressos por um agente” [5].

    A estruturação dos cargos é relevante para o Estado. Nos últimos anos, foram implantadas alterações constitucionais, legais e gerenciais (CNJ), a fim de melhorar a gestão da prestação jurisdicoinal e seu serviço auxiliar. Para alcançar a tão sonhada gestão efetiva, há que aparelhar o capital humano com competências técnico-profissionais acompanhando a evolução do serviço público.

    A Emenda Constitucional n.º 45/2004 inaugurou o modelo gerencial orientando-se pela premente modernização do Poder Judiciário da União, a objetivar a redução da lentidão dos processos judiciais e a eficácia de suas decisões. Tal marco normativo passou a exigir melhorias na prestação dos serviços e maior qualificação de seu quadro funcional.

    Em virtude dessas mudanças, em especial com a implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe), os órgãos do judiciário necessitam de servidores altamente qualificados. Seja para atividades de planejamento e organização (realizadas pelos analistas), seja para atividades de suporte técnico e administrativo (realizadas pelos técnicos). Nesse sentido há que se atualizar a estrutura dos cargos às necessidades sócio-estatais hodiernas.

    2. O MITO DO DESVIO DE FUNÇÃO

    2.1 Real fundamento para a mudança de escolaridade

    A fundamentação política e jurídica da demanda dos técnicos judiciários do PJU está acobertada pelo manto da constitucionalidade. Porém, muitas aberrações são ditas e hasteadas como bandeira de luta por determinada(s) entidade(s) que se diz(em) representar determinada parcela categoria.

    É importante ressaltar que a valorização do cargo de técnico judiciário preconiza que a alteração do requisito escolar de ingresso no cargo NÃO ESTÁ LASTREADA NO DESVIO DE FUNÇÃO. Não procedem as afirmações de que os técnicos judiciários estariam escoimando sua demanda em uma ilicitude administrativa.

    O desvio de função deve ser combatido pelas autoridades competentes, seja no âmbito administrativo, em sede de controle interno, seja no âmbito jurisdicoinal, em sede de controle judicial, através da propositura de ação judicial cabível, pleiteando a reparação do dano e sua devida compensação pecuniária. Não há que se falar em reenquadramento funcional, apenas reparação material, vide Súmula n.º 378, do STJ: reconhecido o desvio de função, o servidor faz jus às diferenças salariais decorrentes [6]. Seria um erro injustificável pautar a atualização do cargo de técnico em uma irregularidade administrativa.

    Não prospera a ideia de que o núcleo de atribuições do cargo de técnicos tenha se desenvolvido porque seus ocupantes passaram a exercer as atribuições do cargo de analista ou de magistrado. Seria um absurdo sem tamanho legitimar-se a reestruturação do cargo na usurpação de atribuições de outras carreiras. Isso é inconstitucional, ilegítimo e ilegal (vide Súmula Vinculante n.º 43 e Súmula n.º 685 do STF).

    O que legitima e torna a demanda dos técnicos um pleito constitucional e juridicamente plausível é a elevação da escolaridade para nível superior com base na tese do desenvolvimento do cargo, do aprimoramento do serviço público, do progresso tecnológico e científico, na ampliação do acesso ao ensino universitário, na evolução da sociedade e nas novas demandas que esta passa a exigir do Estado e da Administração Pública na prestação dos seus serviços em prol do bem comum.

    2.2 A falsa ideia do desvio de função

    O diagrama abaixo traz a DISTINÇÃO funcional das carreiras/cargos e outros núcleos de atribuições que estão circunscritos aos Quadros de Pessoal dos órgãos do Poder Judiciário da União, quais sejam, as Funções Comissionadas, escalonadas de FC-1 a FC-6, e os Cargos em Comissão, escalonados de CJ-1 a CJ-4, para o exercício de atribuições de direção, chefia e assessoramento (art. 5º, caput, Lei n.º 11.416/06):

    Figura 1

    [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]

    Fonte: Vicente Sousa (Movatec-2015)

    Resta claro que cada cargo público, seja o de técnico ou analista, bem como FC ou CJ, tem seu núcleo de atividades bem definido pela legislação e regulamentos específicos. Outro erro bastante comum é afirmar que técnico judiciário no exercício de FC ou CJ está em desvio de função. Absurdo! Quem exerce tais encargos, acumula novas e diferentes atribuições de alta complexidade e, por isso, é recompensado finaceiramente.

    Não há que se falar em desvio de função, até porque a lei permite em certos casos a livre nomeação para exercê-las, dando apenas caráter preferencial para quem tem formação superior como critério de seleção, como é o caso das FCs. Ou seja, é possível que haja servidor sem formação superior excercendo, nos termos da lei, cargo de chefia, direção ou assessoramento.

    Cada carreira possui sua gama de atribuições, dispostas distintamente, sem interferência funcional de uma em outra, ou vice versa (vide figura supra). Quando isso ocorre, tem-se o desvio de função, anormalidade laboral, exceção que deve ser corrigida de imediato sob pena de se incorrer em injustiça contra o servidor contribuindo para o enriquecimento ilícito do Estado. Além do princípio da boa fé, tem-se para coibição do desvio de função no ordenamento jurídico brasileiro os seguintes fundamentos:

    I) Art. 884 do Código Civil (aplicado subsidiariamente às relações de emprego por força do art. 8º, parágrafo único, da CLT): veda o enriquecimento sem causa, impelindo que o aproveitador restitua ao lesionado o quantum indevidamente auferido; [7]

    II) Art. 927 do Código Civil: aquele que causar dano a outrem, por ato ilícito, fica obrigado a repará-lo; [8]

    III) Art. 468 da Consolidação das Leis do Trabalho: rege pela inalterabilidade unilateral do contrato de trabalho, ou seja, a mudança de cargo por decisão apenas do contratante. [9]

    IV) Súmula n.º 378, do STJ: reconhecido o desvio de função, o servidor faz jus às diferenças salariais decorrentes. [10]

    Sendo assim, o técnico judiciário que se encontre em desvio de função está albergado por sólida base legal para buscar a reparação desse grave dano administrativo. Há que noticiar o fato ao seu superior hierárquico, ou aciona os mecanismos de controle disponíveis no órgão e no sistema estatal de justiça.

    Portanto, não deve subsistir a ideia de que o pleito dos técnicos se ampara em uma situação de ilicitude. Isso geraria arguição de inconstitucionalidade, vez que haveria transformação do cargo (com novas atribuições de outro cargo) ou ascensão funcional (burlando o princípio do concurso público), institutos expurgados da ordem jurídica brasileira com o advento da Constituição Federal de 1988.

    3. SÚMULA VINCULANTE N.º 43 (STF).

    Outro argumento ilusório, bastante comum, é a interpretação equivocada da Súmula Vinculante n.º 43 dada por aqueles que se opõem a justa demanda dos técnicos [11], quando entendem que a mudança de escolaridade consubstanciaria uma forma de provimento derivado em cargo público vedada pela Constituição Federal de 88.

    É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se, sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento, em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido.

    Antes de esmiuçarmos tal norma, aprovada na Sessão Plenária do STF de 8/4/2015, cabe deixar claro que o que se busca não é a transformação ou ascensão funcional. Pelo contrário, é a revisão da escolaridade para ingresso no cargo que a classe exige há tempos. Ao contrário do que muitos pensam, isso não é forma de provimento derivado. Zanella di Pietro (2009, p. 523) bem ensina sobre o princípio do concurso público [12]:

    Quando a Constituição fala em concurso público, ela está exigindo processo aberto a todos os interessados (...). Daí não terem mais fundamento algumas formas de provimento, sem concurso público, previstas na legislação anterior à Constituição de 1988, como a transposição (ou ascensão) e a readmissão.” [grifado]

    Voltemos, pois, à Súmula Vinculante do Pretório Excelso, com relevante precedente instalado no ordenamento jurídico pátrio através Súmula n.º 685, do próprio STF [13], cujo texto era semelhante, ipsis litteris. A referida súmula, embora seja bem clara, com redação precisa e inequívoca, ainda assim é mal interpretada, principalmente por aqueles que não querem ouvir a demanda dos técnicos, menos ainda compreender a sua base ideológica, a qual é movida por forte respaldo jurídico, ético e sociológico.

    A citada norma proíbe que servidor seja investido em outro cargo que não integre a carreira para o qual fora anteriormente investido sem a prévia aprovação em concurso público. Pasmem! O preceito normativo é cristalino, mas, ainda assim, há quem diga que os técnicos estão pleiteando ingressar na carreira de analista ou algo dessa natureza.

    A simples mudança de requisito escolar para ingresso em cargo público jamais denotará transformação de um cargo em outro distinto. Isso é inconstituicional. Colacionando trecho do relatório do Minisitro Celso de Mello em sede de ADI 248, a aprovação da Súmula Vinculante n.º 43, à época Proposta de Súmula Vinculante n.º 102 (desdobramento da Proposta de Súmula Vinculante n.º 70) tem-se do eminente jurista que [14]:          

    “A transformação de cargos e a transferência de servidores para outros cargos ou para categorias funcionais diversas traduzem, quando desacompanhadas da prévia realização do concurso público de provas ou de provas e títulos, formas inconstitucionais de provimento no Serviço Público, pois implicam o ingresso do servidor em cargos diversos daqueles nos quais foi ele legitimamente admitido. Insuficiência, para esse efeito, da mera prova de títulos e da realização de concurso interno. Ofensa ao princípio da isonomia.”

    Tais esclarecimentos são importantes principalmente porque a exigência dos técnicos, ale´m de medida de justiça tem forte amparo legal e constitucional, espelhando-se no exemplo de muitas carreiras que se modernizaram em razão da evolução do cargo (oficiais-de-justiça de quase todos os Estados, técnicos da Receita Federal, agente, escrivão e papiloscopista da Polícia Federal etc).

    4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

    Portanto, resta claro que a mudança ora encetada pelos técnicos consiste em medida juridicamente idônea, legítima e constitucionalmente fulcrada nos princípios da justiça, isonomia, eficiência e do concurso público. Há que se promover amplo diálogo para que reste esclarecido que os técnicos buscam justiça e a modernização do cargo. Isso está em sentido diameltralmente contrário àquilo que os opositores do nível superior propalam sem o menor apuro técnico e falta de decoro político.

    Desvio de função é ilícito administrativo que deve ser resolvido através dos canais competentes para tal. Seja na via interna (administrativa), seja na via externa (judicial). Se há desvio de função, o técnico deve mover os mecanismos de controle cabíveis para que possa exercer apenas as atribuições legais relativas a seu cargo.

    A demanda dos técnico judiciário do PJU se arvora no fato incontroverso de que as atribuições do cargo evoluíram com o progresso tecnocientífico, com o aprimoramento do serviço público, com a ampliação do acesso ao ensino superior, com a evolução da sociedade e as novas demandas que esta passou a exigir do Estado e da Administração Pública na prestação dos seus serviços em prol do bem estar comum.

    O Mito do Desvio de Função como argumento embasa à transformação do cargo ou ascensão funcional, formas de provimento derivado em cargo público vedadas pela Lei Maior de 1988. Não é isso o que os técnicos querem ou estão discursando. Lamentável que haja pessoas e entidades representativas de parte da categoria insistindo nesse discurso de forma descuidada, atabalhoada, antidemocrática, antiética e subversiva.

    Para evitar a propagação de falsas ideias e argumentos perfunctórios sobre essa justa exigência dos técnicos, bem como tentar colimar arroubos resultantes de posturas conservadoras ou egoístas, é crucial que se compreenda que a mudança de escolaridade para o ingresso no cargo de técnico judicário do PJU trilha o caminho da constitucionalidade e da legalidade (dimensão jurídica), bem como o da legitimidade e da justiça (dimensão política), e resultará em ganhos imensuráveis para a sociedade.

    Por fim, cabe afirmar que urge, se já não tarda a mudança ora proposta, qual seja, nível superior para o ingresso no cargo de técnico judiciário do PJU: NÍVEL SUPERIOR É PARA ONTEM!!! NS JÁ!!!

    5. REFERÊNCIAS

    [1] [2] BRASIL, República Federativa do Brasil. Lei n.º 11.416, de 15 de dezembro de 2016. Lex: Disponível em . Acessado em: 15 jun 2015.

    [3] [4] BRASIL, República Federativa do Brasil. Lei n.º 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Lex: Disponível em . Acessado em: 15 jun 2015.

    [5] MELLO, Celso Antonio Bandeira de. Apontamentos sobre agentes públicos. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1975a.

    [6] BRASIL, República Federativa do Brasil. Superior Tribunal de Justiça (STJ). Súmula n.º 378. Disponível em: . Acessado em: 28 jul 2015.

    [7] [8] BRASIL, República Federativa do Brasil. Lei n.º 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Lex: Disponível em [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link] Acessado em: 27 jul 2015.

    [9] BRASIL, República Federativa do Brasil. Decreto-Lei n.º 5.452, de 1º de maio de 1943, Consolidação das Leis do Trabalho. Lex: Disponível em [Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar este link] Acessado em: 27 jul 2015.

    [10] BRASIL, República Federativa do Brasil. Superior Tribunal de Justiça (STJ). Súmula n.º 378. Disponível em: . Acessado em: 28 jul 2015.

    [11] BRASIL, República Federativa do Brasil. Supremo Tribunal Federal (STF). Súmula Vinculante n.º 43. Disponível em . Acessado em: 27 jul 2015.

    [12] PIETRO, Maria Silvia Zanella Di. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Atlas, 2010.

    [13] BRASIL, República Federativa do Brasil. Supremo Tribunal Federal (STF). Súmula n.º 685. Disponível em:. Acessado em: 27 jul 2015.

    [14] BRASIL, República Federativa do Brasil. Supremo Tribunal Federal (STF). Proposta de Súmula Vinculante n.º 102 – Distrito Federal. DJe nº 110 de 10/06/2015, p. 22. Disponível em: . Acessado em: 27 jul 2015.
    TECNIVSUPERIOR
    TECNIVSUPERIOR
    Usuário Júnior
    Usuário Júnior

    Mensagens : 178
    Reputação : 4
    Data de inscrição : 10/06/2015

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por TECNIVSUPERIOR Ter 11 Ago 2015, 7:33 am

    Convidado escreveu:
    Cientista escreveu:A verdade é que Técnico com nivel superior já não é mais uma questão de "se", mas uma questão de "quando".
    Receita, Policia e caminhando p Judiciário
    Fato

    Não vou colocar mais lenha na fogueira. Já que é uma questão de QUANDO e não de SE, QUANDO isso acontecer eu pago um almoço Darkshi no restaurante que vcs escolherem. E podem levar ainda o cidadão que gosta de observar pássaros junto.

    Oh Elemento Nocivo, vc está DESCONVIDADO!!!

    Conteúdo patrocinado

     Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico - Página 2 Empty Re: Reunião do Contec aprova a defesa do curso superior para o cargo de técnico

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom 28 Nov 2021, 1:57 am